Postagem em destaque

A hora e a vez de lutar pelo Fundeb

Prestes a vencer, programa imprescindível para educação básica no país precisa ser reeditado com melhorias Programa fundamental para ed...

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Travestis e transexuais poderão solicitar inclusão do nome social no CPF

Foto: Thiago Gomes - Agência Pará
Transexuais e travestis poderão ter o nome social incluído no documento de Cadastro de Pessoas Físicas (CPF). Para isso, basta que compareçam a uma unidade de atendimento da Receita Federal e peçam a inclusão. O cadastro será feito imediatamente e o nome social passará a constar no CPF, acompanhado do nome civil.
As orientações foram divulgadas hoje (20) pela Receita Federal após a publicação de instrução mormativa sobre a questão no Diário Oficial da União desta quinta-feira (20). O nome social constará dos documentos “Comprovante de Inscrição” e “Comprovante de Situação Cadastral” no CPF.
O nome social é a designação pela qual a pessoa travesti ou transexual se identifica e é socialmente reconhecida.
Decreto publicado em abril do ano passado, assinado pela então presidente, Dilma Rousseff, estabelece que os órgãos e as entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, em seus atos e procedimentos, devem adotar o nome social da pessoa travesti ou transexual, de acordo com seu requerimento. O decreto estabeleceu prazo de um ano para  órgão e entidades se adequarem à norma. A instrução da Receita visa cumprir a determinação.
O decreto assegura a travestis e transexuais o direito de requerer, a qualquer momento, a inclusão de seu nome social em documentos oficiais e nos registros dos sistemas de informação, de cadastros, de programas, de serviços, de fichas, de formulários, de prontuários e congêneres dos órgãos e das entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional.
*Barriguda News via O Mossoroense/Ana Paula Cardoso

PERSEGUIÇÃO

Perseguição aos cristãos ou cristofobia é o nome dado aos maus tratos físicos ou psicológicos, incluindo agressões e assassínios exercidos por não-cristãos sobre cristãos, motivados os primeiros pela diferente identidade e manifestação religiosas e étnicas dos segundos.

"Ainda ocorre nos dias atuais, vejam o caso do prefeito do Rio de Janeiro, vejam o caso de Lula, vejam o caso do diretor do hospital de Apodi, entre outros e outros exemplos. Mas desistir da LUTA, JAMAIS!" - 

Eduardo Vasconcelos - Presidente do Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN,

CENTRO POTIGUAR DE CULTURA CONVOCA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA PARA DIA 06/08/2017-EM NOVA CRUZ/RN

CENTRO POTIGUAR DE CULTURA – CPC/RN
EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA
NOVA CRUZ/RN

A Diretoria do Centro Potiguar de Cultura – CPC/RN, reunida no dia 02 de julho de 2017 em sua sede, situada a Rua 15 de novembro, 174 – Centro – Nova Cruz/RN, deliberou: Assembleia Geral Extraordinária para o dia 06 de agosto às 9h, horas da manhã no Auditório da Terceira DIRED/SEEC – Nova Cruz/RN , cujas pautas serão: a) Mudanças Estatutárias: Capitulo 1, Artigo 02 e 03 e  Capitulo 05,  Art. 21.
Desde já ficam convocados todos os sócios em dia com suas obrigações estatutárias.
Nova Cruz/RN, 02 de julho de 2017
.
EDUARDO Henrique Félix de VASCONCELOS

Presidente

ABSN TEM ASSEMBLEIA GERAL DIA 12 DE AGOSTO NA EMAB - PARELHAS-RN



COMISSÃO  PROVISÓRIA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRINHOS SENSAÇÃO NORDESTINA – ABSN – Parelhas -RN - Fundada em 17 de junho de 2017

*EDITAL DE CONVOCAÇÃO

A Comissão Provisória da Associação Brasileirinhos Sensação Nordestina – ABSN – Parelhas – Rio Grande do Norte, CONVOCA seus associados e a população parelhense a se f azerem presentes a ASSEMBLEIA GERAL, que será realizada dia 12 de agosto de 2017, no Auditório da Escola Municipal ARNALDO BEZERRA, situada a Rua José Roque, 500 – Centro – Parelhas, Rio Grande do Norte, cujas pautas serão: A) APROVAÇÃO DOS SEUS ESTATUTOS (ABSN); B) ELEIÇÃO DA SUA PRIMEIRA DIRETORIA e C) Outros assuntos inerentes. Desde Já ficam todos CONVOCADOS para este fim. 

Parelhas (RN), 17 de junho de 2017

MARIA DE LOURDES SANTOS FERNANDES –
Presidente Provisória da ABNS-PARELHAS-RN


*Republicação por incorreção

“História Hoje” 20 /07 : Há 144 anos, nascia Santos Dumont

20 de julho de 1873. Nasce Santos Dumont, o pai da aviação.
“Arriscar o que ninguém ousou, realizar o que ninguém tentou”. A frase define a personalidade de Alberto Santos Dumont,
Apresentação Dilson Santa Fé
Biografia de Santos Dumont
Santos Dumont (1873-1932) foi inventor brasileiro. “O pai da aviação”. Com o “14-Bis”, executou, em Paris, o primeiro voo em um aparelho mais pesado que o ar.
Santos Dumont (1873-1932) nasceu na Fazenda Cabangu, em João Aires – hoje Santos Dumont, Minas Gerais, no dia 20 de julho de 1873. Filho de Henrique Dumont, engenheiro francês e de Francisca Santos Dumont, de família portuguesa. Seu avô, François Dumont, joalheiro francês, veio para o Brasil em meados do século XIX e escolheu Diamantina para morar. Aprendeu a ler com sua irmã Virgínia. Estudou no Colégio Culto à Ciência, em Campinas, depois no Instituto das Irmãos Kopke e no Colégio Morethzon, no Rio de Janeiro. Em 1891, acompanhado da família, visitou a França pela primeira vez.
No fim do século XIX, o motor a gasolina era a sensação das exposições em Paris. Santos Dumont ficou fascinado, pois sempre se interessou por mecanismos. Voltou ao Brasil, mas no ano seguinte Dumont retorna à Paris na intenção de aplicar suas ideias.
Com 18 anos, foi emancipado e recebeu do pai títulos de renda e ações que lhe permitiriam financiar suas experiências e aprender tudo sobre motores a explosão. Seu sonho, desde criança, era criar um aparelho que permitisse o homem voar controlando seu próprio curso. Passou a adolescência observando os pássaros e estudando sua constituição física.
Santos Dumont chegou em Paris e aprofundou-se nos estudos, principalmente em mecânica e no motor de combustão, pelo qual se apaixonou à primeira vista. Seu primeiro Balão dependia do vento para se mover, o “Brasil”, com apenas 15 kg ganhou altura. A dirigibilidade era o que realmente interessava a Santos Dumont.
Depois de muitos estudos, mandou construir o “Nº1”, primeiro de uma série de “charutos voadores” motorizados. No dia 20 de setembro de 1898, sob o comando do inventor, o balão subiu aos céus, chegando a altura de 400 metros e retornando ao mesmo ponto de partida. Construindo um balão sucessivamente e realizando experiências, foi desenvolvendo os mistérios da navegação aérea.
O balão “Nº3” já possuía um motor a gasolina.
Em 1900, o milionário francês Deutsch de la Meurth lançou um desafio aos construtores de dirigíveis: “Aquele que conseguir partir do Campo de Saint-Cloud, fazer à volta a Torre Eiffel, e voltar ao ponto de partida em 30 minutos, ganhará 100.000 francos”. Pilotando o balão “Nº6”, com um motor de 16HP, Dumont ganha o prêmio Dustche. Distribuiu metade do prêmio entre seus mecânicos e auxiliares e a outra metade destinou as necessitados.
O balão “Nº7”, que foi projetado para corrida, nunca chegou a competir, pois não tinha concorrente. O “Nº8” não existiu. Com o “Nº9”, Dumont começou a transportar pessoas nos voos que fazia. Uma de suas passageiras era a cubana Aída de Acosta, que se tornou a primeira mulher no mundo a voar. De tanto cruzar os céus de Paris com o número nove, recebeu o apelido de “Le petit Santos”. O “Nº10”, maior que os outros, foi denominado “um dirigível ônibus”, pelo próprio Santos Dumont.
Santos Dumont, no dia 13 de setembro de 1906, com o “14-BIS”, executou em Paris o primeiro voo em um aparelho mais pesado que o ar. A aeronave subiu a uma altura de 50 metros. Em 1908, Santos Dumont constrói o “Demoiselle”, cujo desenho serviria de modelo a todos os projetistas que se seguiram. Tudo nela era obra de Dumont, inclusive o motor. Em 1910, na primeira exposição da Aeronáutica realizada no Grand Palais de Paris, o “Demoiselle” foi um sucesso.
Ainda em 1910, Dumont encerrou sua carreira. Passou a supervisionar as indústrias que surgiram na Europa. Doente, resolve voltar ao Brasil. Em 8 de dezembro de 1914, ao ver seu invento ser usado para bombardear a cidade de Colônia, se decepciona. No Brasil, sua tristeza aumentou quando o aeroplano foi usado durante a revolução de 1932 em São Paulo. Com esclerose múltipla e depressão, se suicida em um hotel no Guarujá.
Alberto Santos Dumont faleceu no Guarujá, São Paulo, no dia 23 de julho de 1932. Deixou dois livros: “Dans-L’air” (1904) e “O que Vi e o que Nós Veremos” (1918).
História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. Vai ao ar pela Rádio Brasil Cultura de segunda a sexta-feira