Postagem em destaque

PRESIDENTE DO CPC/RN REUNIU-SE COM AS/OS CANTORES/AS JULIANA GOMES E DIEGO RAMOS - ASSUNTO: GRAVAÇÃO DE UM FUTURO CD!

Eduardo Vasconcelos - centro, entre os/as cantores/as, Juliana Gomes e Diego Ramos Hoje (17) a tarde no alpendre da Casa de Cultura &...

quinta-feira, 3 de maio de 2018

STRAF/STTR DE NOVA CRUZ PROMOVE NO PRÓXIMO SÁBADO (5) SUA II CAVALGADA DO AGRICULTOR E ALUSIVA AO DIA DO TRABALHADOR!!!



O SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS AGRICULTORES E AGRICULTORAS FAMILIARES DE NOVA CRUZ está promovendo sua 2ª cavalgada do agricultor, você sócio do sindicato em dias NÃO PAGA, isso mesmo NÃO PAGA, todos os sócios em dias ganharam um KIT CAVALGADA, para você que não é sócio e deseja participar da nossa cavalgada seja mais que bem vindo, por apenas R$ 30,00 você ADQUIRE SEU kit e ainda terá direto, a feijoada, caipirinha e muito forró pé de serra. será no próximo (SÁBADO) dia 05/ MAIO / 2018 AS 8:00 H COM saída da fazenda de Gilson próximo ao portal do agreste com um reforçado café da manhã, logo após vamos seguir pelas ruas da nossa cidade com destino a fazenda lapa onde teremos uma bela feijoada e muito forró pé de serra! 

Não perca, venha participar da grande cavalgada do agricultor!!!

ORG: SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS AGRICULTORES E AGRICULTORAS FAMILIARES DE NOVA CRUZ  - Presidente: Edmilson Gomes

PARTICIPE!

"SÓ LEMBRANDO": Justiça cancela registro sindical da Adufscar e reafirma representação do ANDES-SN


Na quarta-feira dia 18/04, o ANDES-SN participou de audiência de mediação no processo que questiona o registro sindical concedido à Associação dos Docentes da Universidade 

Federal de São Carlos.  A tentativa de conciliação foi estabelecida na sentença proferida pelo juiz do Trabalho Fernando Gabriele Bernardes, quando analisou a ação do Sindicato Nacional, em 2015, posteriormente e concedeu liminar, em 2016, suspendendo o registro da Adufscar.

A compreensão do juiz é que o processo de concessão do registro sindical para a nova entidade, que representaria os docentes em Instituições Federais de Ensino Superior de São Carlos, Araras e Sorocaba desrespeitou a Constituição Federal e ainda o estatuto do Sindicato Nacional, além dos preceitos para desmembramento de entidade sindical.

Na ocasião, em justificativa de sua decisão o juiz Bernardes destacou que "episódios conflituosos de desmembramento ou dissociação, infelizmente cada vez mais comuns, parecem resultar da imaturidade dos dirigentes sindicais e da falta de legitimidade dos sindicatos perante os trabalhadores. 

Após décadas de vigência do sistema de reconhecimento oficial das entidades sindicais, aparentemente os sindicalistas ainda não aprenderam a resolver suas diferenças civilizadamente no âmbito das corporações. Ao menor sinal de divergência, os descontentes costumam ceder ao impulso de constitui uma nova entidade, deixando assim transparecer a sua concepção privatista do movimento sindical. Não se vê disposição de lutar pela preservação do sindicato como instituição, ou de aproximá-lo dos anseios de suas bases. A organização sindical transforma-se numa criancice: quem não gosta de oposição, marginaliza os dissidentes; quem não gosta do sindicato, monta seu próprio”. Confira aqui a íntegra da sentença.

Na audiência realizada no último dia 19, não foi possível chegar a um acordo, uma vez que a Adufscar não apresentou proposta alguma. Segundo a Assessoria Jurídica Nacional do ANDES-SN, foi estabelecido prazo de 180 dias para informar se as partes chegaram a um acordo, caso não seja comunicado, o processo será arquivado.

Amauri Fragoso de Medeiros, 1º tesoureiro e encarregado de Relações Sindicais do ANDES-SN, esteve presente na audiência e considerou o andamento do processo uma vitória importante no reconhecimento do ANDES-SN, enquanto representante dos docentes de ensino superior no Brasil. “O juiz, em sua sentença, reconheceu o ANDES-SN como o representante dos professores de ensino superior no Brasil e entendeu que o tipo de desmembramento que ocorreu  tem características inconstitucionais”, contou.

Outro ponto da decisão ressaltado pelo diretor do Sindicato Nacional é o aspecto de que o ANDES-SN configura como um instrumento jurídico através de seu estatuto, o qual precisa ser respeitado. “Então, se de certa forma, as seções sindicais, ao entrarem no sindicato, elas permitem que sua homologação se dê através de nossa instância maior, qual seja o Congresso da entidade. Logo, elas teriam que obedecer também o estatuto, que é um instrumento jurídico perfeito, no momento da saída, o que não foi o caso em São Carlos”, explicou.

Medeiros afirmou ainda que o Sindicato Nacional está aberto ao diálogo. “O ANDES-SN,  a todo o momento, está aberto a debater nos fóruns apropriados. Inclusive, se a Adufscar quiser fazer essa discussão internamente ao sindicato, não haveria nenhum problema ou impedimento, porque assim estaríamos respeitando o nosso estatuto”, concluiu.

Confira a ata da Audiência de Conciliação.

Fonte: ANDES

Adaptado pelo CPC/RN, em 03/05/2018

Atenção entidades sindicais participantes do XXIII CONFASUBRA


O check-in nos hotéis do Congresso será realizado às 14 horas do dia 06/05/2018. Portanto, não será servido café da manhã e/ou almoço para as entidades de base. Nesta data está garantido apenas o jantar.

Todo e qualquer acerto de diárias e consumos extras, fora do contrato do XXIII CONFASUBRA (de 06 a 11/05/2018) deverá ser pactuado diretamente com os hotéis da rede, através dos e-mails: eventosbr@gruponacionalinn.com.


Comissão Organizadora do XXIII CONFASUBRA


Na UnB UNE Volante vai falar de soberania nacional e democracia

Debate principal acontece às 12h desta quinta-feira (03) com a participação da Reitora da Universidade de Brasília, Márcia Abrahão Moura; Festival Inquietações acontece no mesmo dia às 20h
A UNE Volante, caravana itinerante de estudantes que vai passar por todas as regiões do país, desembarca nesta quartae quinta-feira (02 e 03/5) na Universidade de Brasília (UnB).
Na quarta as atividades iniciam às 10h com um debate sobre a resistência do movimento estudantil na universidade doantropólogo Darcy Ribeiro. Às 17h30 o Cuca da UNE vai defender caminhos para a regulamentação de atividades culturais nas universidades brasileiras.
No planalto central – quarta parada da UNE Volante – o assunto principal será “O papel estratégico da universidade e a soberania nacional”, com debate na quinta-feira às 12h que será transmitido ao vivo. Participarão a Reitora da Universidade de Brasília, Márcia Abrahão Moura; a presidenta da UNE, Marianna Dias entre outros convidados.
Confira a programação na íntegra:
02/05 Quarta-feira
10h às 12h – Debate

Tema: UnB de 68 à 2018 – 50 anos de resistência do movimento estudantil 
Debatedores: Maria Luiza Pinho Pereira (Representante da ADunB e participante da “Oposição sindical”, membro do GTPA-Fórum EJA/DF, representando no Fórum Distrital de Educação), Vinicius Paranaguá (Diretor da UNE no DF).
Local: Ceubinho.

12h às 14h – Assembleia Geral dos Estudantes.

Local: Ceubinho.

14h às 16h – Oficina de comunicação colaborativa do CUCA da UNE.

Local: Auditório da Faculdade de Comunicação-FAC.

17h30 – Encontro do Circuito Universitário de Cultura e Arte da União Nacional dos Estudantes-CUCA da UNE para discussão da regulamentação de atividades culturais nas universidades brasileiras.

Convidada: Olgamir Amâncio (Decana de Extensão e Cultura da UnB).
Local: Teatro de Arena.

19h às 22h – Batalha da Escada UnB.

Local: Teatro de Arena.

03/05 Quinta-feira
8h às 20h – Exposição fotográfica do CUCA da UNE “Imagens da Democracia”.

Local: Ceubinho ou UDFinho.

11h30 – Encenação da peça “Parecer da Democracia”+ Cortejo cultural com baterias.

Local: ICC sul e norte.

12h às 15h – Debate com transmissão ao vivo pela internet.

Tema: O papel estratégico da universidade e a soberania nacional.
Debatedores: Márcia Abrahão Moura (Reitora da Universidade de Brasília-UnB), Ricardo Gebrim (Direção Nacional da Consulta Popular-CP), Murilo Camargo (Professor de Políticas Públicas para Educação Superior e Estudos Interdisciplinares Sobre a Universidade da Universidade de Brasília-UnB), Jessy Dayane (Vice-presidenta da UNE), Marianna Dias (Presidenta da UNE.
Local: Anfiteatro 10.

18:30h – Apresentação de artes cênicas.

Companhia: Terra em Cena.
Local: Teatro de Arena.

19h – Sarau de poesia.

Convidado: Daniel Pexeira.
Local: Teatro de Arena.

19:30h – Leitura do manifesto “Uma universidade chamada Brasil”.

Local: Teatro de Arena.

20h às 0h – Festival Inquietações

Bandas: Martinha do Coco, Marcelo Café, Médicos da Peste, Desaforo Norte, Rapadura e mostras de música estudantil.
Local: Teatro de Arena.

Sobre a UNE Volante
Entre os meses de Abril a Junho a UNE junto ao CUCA da UNE percorrerão universidades das 5 regiões do país, levando debates e o Festival Inquietações em campanha na defesa da universidade pública e gratuita.
Com o tema Educação, Liberdade e Democracia a UNE Volante articulará reitores, professores, técnicos-administrativos e estudantes em comitês e campanhas em defesa da gratuidade do ensino, bem como em defesa da liberdade do ex-presidente Lula em cada universidade que percorrer.
“Vamos mobilizar grandes nomes da academia, da política e dos movimentos sociais para pautar e discutir o papel das instituições de ensino para setores estratégicos do Brasil como a soberania nacional, o fortalecimento da democracia, a engenharia nacional, a produção agrícola, o combate às desigualdades sociais, a consolidação do SUS, entre outros assuntos”, destacou a presidenta da UNE, Marianna Dias.

SERVIÇO

O que? UNE VOLANTE E FESTIVAL INQUIETAÇÕES
Quando? 20 de Abril a 07 de Junho de 2018.
Outras informações: www.une.org.br
Assista ao vídeo da UNE Volante: https://goo.gl/V9PqLp
Assista ao vídeo do Inquietações: https://goo.gl/42bNVD

Adaptado pelo CPC/RN, em 03/04/2018

“Meta é somar 100 milhões de viajantes internos pelo País”


O Ministério do Turismo pretende ampliar o número de viagens realizadas pelos brasileiros dentro do Brasil. De acordo com o novo ministro da pasta, Vinicius Lummertz, a meta é mobilizar 40 milhões de brasileiros e somar 100 milhões de viajantes internos pelo País. A afirmação foi feita durante entrevista ao programa “Por Dentro do Governo”, nesta quinta-feira (26).  
Lummnertz afirmou que, além disso, o “desafio” do governo é “trazer mais estrangeiro para cá”. “Nós desregulamentamos a questão dos voos charters. A expectativa é que mais 10 milhões de brasileiros poderão viajar internamente. Isso é desburocratização. Também foram retirados aqueles vistos tradicionais e criados os vistos eletrônicos para turistas dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália, e houve um crescimento de 50% nos primeiros quatro meses de lá pra cá”, explicou.  
O próximo passo, segundo o ministro, é aprovar o projeto de lei que abre o capital das companhias áreas “para que tenhamos mais voos no Brasil, mais competição para que possam entrar no Brasil as chamadas empresas de custo baixo”. Hoje o percentual é limitado a 20% e poderá chegar a 100% quando terminar de tramitar no Congresso.  
Fonte: Governo do Brasil, com informações do Ministério do Turismo

“Território Cultural Livre” debate negritude na SP Escola de Teatro


No dia 5/5, a partir das 10h, a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco promove debates e apresentações artísticas com a participação de artistas e estudiosos negros, cujos trabalhos e militância abordam os espaços que ocupam na sociedade. Entre os convidados então a rapper Luana Hansen, o coreógrafo Ismael Ivo (diretor artístico do Balé da Cidade de São Paulo), a escritora Stephanie Ribeiro (colunista dos sites Blogueiras Negras e Huffpost Brasil e das revistas Capitolina e Marie Claire) e o diretor e ator Eugênio Lima, do Núcleo Bartolomeu de Depoimento.
O evento gratuito, chamado Território Cultural Livre, acontece na sede Brás da SP Escola de Teatro e é organizado pela própria escola em parceria com o Núcleo Negro, coletivo de aprendizes da Instituição. O tema desta edição está relacionado às discussões propostas em sala de aula, levantando questões sobre a negritude em diferentes esferas.
Cia. Carne Agonizante também marca presença nesta edição do Território Cultural Livre, apresentando o espetáculo “Não Tive Tempo para Ter Medo”, inspirado nas obras política e poética de Carlos Marighella (1911-1969), guerrilheiro e escritor que chegou a ser considerado “o inimigo número um” da ditadura militar brasileira.
“Com os Territórios Culturais, a SP Escola de Teatro abre espaço para que artistas compartilhem suas reflexões e seus trabalhos com nossos estudantes e com a cidade. A ideia surge a partir do conceito de espaço solidário do geógrafo Milton Santos, que defendia que um espaço de formação só faz sentido quando se constitui como espaço solidário, de troca de conhecimentos.
Joaquim Gama

Coordenador pedagógico da SP Escola de Teatro

Para compor esta edição de Território Cultural Livre, a SP Escola de Teatro contou com a participação dos aprendizes do coletivo Núcleo Negro, que articulou a vinda dos convidados da programação. “A principal ideia foi trazer estudiosos que tenham visibilidade nas áreas em que atuam. São pessoas que conseguem desenhar, a partir da sua própria trajetória, uma outra perspectiva possível sobre o que é ser negro hoje em dia”, explica a estudante Nina Oliveira, aprendiz do curso regular de Sonoplastia e integrante do Núcleo. “Temos na programação desde colegas do teatro e da música a uma economista e uma cientista política: todos atuando em espaços que foram alcançados com seus trabalhos e militância, enfrentando questões como racismo e machismo.”

PROGRAMAÇÃO

O evento tem início às 10h, com uma apresentação do grupo Odara Negrada, que já esteve na Escola anteriormente. O show do coletivo traz canções afro-brasileiras em português e iorubá, executadas ao som das batidas da alfaia e do batá. Às 11h00, a Cia. Carne Agonizante apresenta o espetáculo “Não Tive Tempo para Ter Medo”, inspirado na obra política e poética de Carlos Marighella (1911-1969), guerrilheiro e escritor que chegou a ser considerado o inimigo número um da ditadura militar brasileira.
primeiro encontro do ciclo de conversas acontece ao meio-dia, com o tema “O Povo Negro é Cultura de Resistência”. Participam do debate: a rapper Luana Hansen, a psicóloga Priscila Santos (do Núcleo Negro de Estudos Africanos e Afro-Brasileiros da UFABC), o ator e DJ Eugênio Lima (do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos e Frene 3 de Fevereiro), o diretor e dramaturgo Zé Fernando (do grupo Teatro dos Narradores e Cia. Os Crespos) e Ismael Ivo, coreógrafo e diretor artístico do Balé da Cidade de São Paulo.
Em seguida, às 13h40, o performer, músico, compositor e pesquisador da cultura afro diaspórica Will Oliveira apresenta a performance “Brasil Negreiro” no pátio da SP Escola de Teatro.
primeira sessão da mostra Perspectivas do Audiovisual Negro acontece às 14h30 e contará com a participação da atriz Shirlena Marabilis e da roteirista Pricilla Costa (curta: “A Alma do Cinema Não Tem Cor”), do cineasta Renato Cândido (curta: “Jennifer”) e do roteirista e diretor Valter Rege (curta: “Preto no Branco”). Depois do bate-papo com os convidados, os curtas serão exibidos novamente.
segundo encontro do ciclo de conversas deste Território Cultural tem como tema “Reconstruindo o Imaginário Social da Mulher Negra” e discute a reconstrução do pensamento sobre a mulher negra, que sai de um lugar de submissão no imaginário social para ser vista em espaços de construção de saberes. Participam do debate: a escritora e ativista Stephanie Ribeiro, Juliete Vitorino (membro da Rede de Proteção e Resistência contra o Genocídio), Alessandra Almeida (pesquisadora em políticas públicas sobre gênero, raça e classe e membro da Marcha das Mulheres Negras de SP) e Rafaela Carvalho, economista e militante do Movimento de Mulheres Olga Benário.
As atividades do dia chegam ao fim com a apresentação musical Vozes Urbanas, às 15h50, que reúne jovens artistas apresentando seu projeto autoral.
Fonte: Brasil Cultura