Postagem em destaque

A hora e a vez de lutar pelo Fundeb

Prestes a vencer, programa imprescindível para educação básica no país precisa ser reeditado com melhorias Programa fundamental para ed...

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

“Dia de Iemanjá”


No Brasil, a orixá goza de grande popularidade entre os seguidores de religiões afro-brasileiras, e até por membros de religiões distintas.

Origem do Dia de Iemanjá
Inicialmente, o Dia de Iemanjá era comemorado em conjunto com a Igreja Católica, porque dia 2 de fevereiro também é dia de Nossa Senhora da Conceição. Porém, nos anos 60, houve uma reação da Igreja, que começou a considerar a celebração um culto pagão, e atualmente a data conta com devotos do candomblé e da umbanda, em sua maioria.

Iemanjá - Iemanjá é também conhecida por Yemanjá, Iyemanjá, Yemaya, Yemoja ou Iemoja. O nome Iemanjá é derivado da expressão Iorubá, que quer dizer "mãe cujos filhos são peixes".

Iemanjá era a orixá de uma nação iorubá, os Egba, que viviam inicialmente em um local no sudoeste da Nigéria, entre Ifé e Ibadan, onde há um rio chamado Yemanjá. No século XIX, por causa das guerras entre povos iorubás, os Egba foram obrigados a se afastar do rio Iemanjá e passaram a viver em Abeokuta. No entanto, continuaram cultuando a divindade, que segundo a tradição, passou a viver em um novo rio, o Ògùn.

Iyemanjá, Yemanjá, Yemaya, Iemoja “Iemanjá” ou Yemoja, é um orixá africano, cujo nome deriva da expressão Iorubá “Yèyé omo ejá” (“Mãe cujos filhos são peixes”), identificada no jogo do merindilogun pelos odu ejibe e ossá, representado materialmente e imaterial pelo candomblé, através do assentamento sagrado denominado igba yemanja

Iemanjá é um orixá africano, e faz parte da religião do candomblé e de outras 
religiões afro-brasileiras. O Dia de Iemanjá é a maior festa de Iemanjá, onde milhares depessoas se vestem de branco e vão à praia depositar oferendas, como espelhos, jóias, comidas, perfumes e outras objetos.

Existe ainda uma ligação com o catolicismo, no entanto. O dia de Iemanjá é também o Dia de Nossa Senhora dos Navegantes, uma santa católica. No Rio Grande do Sul e em Santa Catarina ainda existe esse sincretismo entre Iemanjá e Nossa Senhora dos Navegantes. No Rio de Janeiro Iemanjá é sincretizada com Nossa Senhora da Glória.

Se liga: primeira festa em homenagem à Sereia afro brasileira se deu nos anos 1920, quando um grupo de pescadores estava passando por dificuldades na pescaria. Foi então que pediram ajuda a um mentor espiritual, e este explicou que o alimento voltaria farto se fizessem uma oferenda à Deusa do Mar. Como o resultado foi positivo, decidiram realizar a festa todos os anos, para garantir a abundância na pescaria.

"São muitas as músicas escritas em homenagem à Iemanjá. Rita Ribeiro, que homenageou 
a Sereia com uma interpretação de “Rainha do mar”, canção de Dorival Caymmi, comenta as características da Orixá, que é conhecida também como a Grande Mãe".

Escola de samba homenageia Sindicato dos Estivadores do Espírito Santo

estivadores118100
Por Marcos Aurélio Ruy, do Portal CTB
“A categoria entendeu a necessidade de unidade para fortalecer o sindicato e lutar contra a reforma da previdência e pela revogação da reforma trabalhista”, diz José Adilson Pereira, presidente eleito do sindicato. A posse da nova diretoria ocorre no dia 27 de março.
“Muito importante porque o nosso sindicato completa 100 anos neste ano e temos diversas atividades programadas até o dia 20 de julho, a data do aniversário”, complementa. Pereira conta que vai ser criado um selo comemorativo do centenário, a rua da República, onde fica a sede, passará a se chamar avenida dos Estivadores, além de estar programada uma grande festa em julho.
Mas o que está chamando mais a atenção de toda a população capixaba é a homenagem feita pela escola de samba Novo Império, que desfila no grupo especial da capital Vitória. Com o tema “No Vai e Vem do Mar Lá se Vão 100 Anos do Sindicato da Estiva”, a escola canta a importância dos estivadores na economia do estado do Sudeste.
“Miscigenação de um povo! Índios, negros e italianos geraram os braços fortes de nobres estivadores que contribuíram com a expansão do comercio da indústria de Vitória, os nordestinos vindos de Alagoas juntaram-se aos demais estivadores capixabas e deixaram o suor encravado neste chão”, diz o carnavalesco Jorge Caribe.
Já Pereira explica que a história do sindicato e da escola de samba se misturam. “A Nova Império foi fundada (em 1956) por estivadores como resistência cultural e uma forma de organizar melhor as lutas em prol do povo”.
Para o sindicalista a homenagem prestada pela escola de samba vai obrigar a “afiliada da Globo a contar a nossa história para milhares de pessoas durante uma hora de desfile”. Ele explica que tudo o que “eles se recusaram a falar sobre a reforma trabalhista e as nossas lutas por mais direitos, no Carnaval terão de fazê-lo”.
A festa mais popular do Brasil mostra que pode ajudar na organização e superação das mazelas de uma elite que odeia o país e o seu povo.

Luther King: O Homem o Mito


Martin Luther King: “Em 4 de abril de 1968. uma bala assassina silenciou esse profeta de Deus. Contudo. sua vida continua inspirando milhões de homens e mulheres. Martin Luther King Jr. não pode ser esquecido. 

 Precisamos de homens e mulheres que não nos deixem acostumados com a ordem natural das coisas. Precisamos de gente cuja voz troveje ira contra a iniquidade e a injustiça, mas que nunca fale sem a ternura de Deus”.

Em 31 de janeiro de 1977,Coretta Scott King obteve de um tribunal federal uma ordem para que fossem lacradas, por 50 anos, 845 páginas de documentos do FBI a respeito de seu marido “porque a publicação delas destruiriam sua reputação!” Muitas pessoas alegam que há neste arquivo informações importantes que deveriam ser disponibilizadas ao público. A côrte disse que o arquivo é de pouca importância, mas outros afirmam que, se isto for de fato verdade, por que privar o público das informações?

A ordem para “grampear” King foi dada pelo então procurador federal Bobby Kennedy, em 
1963. Antes que os arquivos fossem finalmente lacrados, parte das informações vazaram e foram corroboradas por pessoas ligadas a King. Estas afirmações estão incluídas nas Atas do Congresso, que estão disponíveis ao público. O que se sabe sobre King é tão chocante que é até difícil imaginar que há ainda mais coisas — mas os arquivos permanecem lacrados, até para a mídia. King esteve filiado a mais de 60 grupos comunistas (Ata do Congresso de 29 de maio de 1968, pg. E4785).

O jornal The Tennessean publicou uma foto de King, no final de semana do Dia do Trabalho de 1957, em que ele está sentado ao lado de Abner Berry, membro do Comitê Central do Partido Comunista e articulista do jornal comunista The Daily Worker; Aubrey Williams, um membro do Partido Comunista; e Myles Horton, diretor da escola comunista Highlander Folk, localizada em Montegle, Tennesse. Rosa Parks [ Nota do Tradutor: a Virgem Maria da hagiografia do movimento pelos Direitos Civis] também era aluna desta escola de treinamento comunista.

Biografia- Nasceu no Sul segregacionista dos EUA, em Atlanta (Geórgia), no dia 15 de janeiro de 1929, e morreu também no Sul, em um hotel de Memphis (Tennessee), em 4 de 
abril de 1968, supostamente assassinado por um branco racista. 

O suposto assassino, Earl Ray, começou confessando o crime, mas pouco depois se retratou e proclamou sua inocência até sua morte há 10 anos, chegando inclusive a convencer a família de King. 

O assassinato de Luther King ocorreu em um momento de turbulência política não só nos EUA, mas no mundo, dando margem a muitas teorias sobre possíveis conspirações. 

A região Sul dos EUA, na qual faleceu King em 1968 já era muito diferente daquela na qual tinha nascido em 1929 - graças, em grande parte, a seus próprios esforços. 

Em 1964, o presidente Lyndon Johnson tinha aprovado a Lei de Direitos Civis que proibiu a discriminação racial em estabelecimentos públicos, e em 1965 a Lei de Direito ao Voto. 

Os negros tinham direito ao voto desde 1870, mas práticas discriminatórias na hora da inscrição criavam obstáculos a sua participação. 

Luther King morreu quando fazia 15 anos que lutava por esses direitos e pela igualdade real entre os cidadãos. 

Liderou ou co-liderou os protestos com os quais foram alcançados os maiores avanços em matéria de direitos civis nesses anos, começando pelo boicote aos ônibus da cidade de Montgomery quando uma mulher negra, Rosa Park, fora presa por se negar a ceder seu assento a um branco. 

Devido ao boicote, King foi detido (ao longo de sua vida isso aconteceu várias vezes), acossado e ameaçado, mas a segregação nos ônibus terminou e a luta ativa pela igualdade racial foi iniciada. 

Em 1957, King co-fundou e acabou presidindo a Conferência de Líderes Cristãos do Sul (SCLC), na qual desenvolveu seu movimento de protesto e persuasão não violenta inspirado em Gandhi. 


"O que mais preocupa não é o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons”. Martin Luther King Jr."

A não violência deste pastor - que levava o nome do pai da Reforma e viveu, segundo seus biógrafos, uma autêntica vida cristã com dúvidas e tormentos inclusive - o que lhe valeu reconhecimentos e críticas. 

Em 1964 obteve o Prêmio Nobel da Paz e em 1965 o Pacem in Terris, e entre as honras póstumas está a celebração de seu aniversário como festa nacional. 

Mas o pacifismo de Luther King provocava também rejeição entre grupos como a Nação do Islã (NOI) de Malcolm X ou o Black Power, que enfatizavam o orgulho negro, chegando, em algumas ocasiões, a pregar a superioridade negra. 

No dia anterior de seu assassinato, King, se referindo às ameaças recebidas, disse que não temia porque: "Deus me permitiu chegar ao ao topo, eu olhei de cima e vi a Terra prometida. Pode ser que não chegue com vós, mas como povo a alcançaremos".

"Eu tenho um sonho. O sonho de ver meus filhos julgados pelo caráter, e não pela cor da pele.”Martin Luther King Jr.

Um afro abraço.
Claudia Vitalino.
fonte:https://pt.wikipedia.org/wiki/Martin_Luther_King_Jr./https://educacao.uol.com.br/biografias/martin-lutherking.htm./http://www.suapesquisa.com/biografias/luther_king.htm/https://www.ebiografia.com/martin_luther_king/.

Ouça “História Hoje” 30/01/: Herivelto Martins, um dos maiores compositores brasileiros

HERIVELTO
No dia 30 de janeiro de 1912 nascia Herivelto Martins. Natural do município fluminense Paulo de Frontin, ainda criança ele se muda para Barra de Piraí, onde o pai funda a Sociedade Dramática Dançante Carnavalesca Florescente de Barra de Piraí.
Apresentação José Carlos Andrade
ANTES DE OUVIR O ÁUDIO DESLIGUE O SOM DA RÁDIO BRASIL CULTURA NO TOPO DA PAGINA
História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. Vai ao ar pela Rádio Brasil Cultura de segunda a sexta-feira.

A história de José Martí contada em cordel


martijohnmanuel_k_trestauration118038
Há 165 anos, em 28 de janeiro de 1853, nascia em Havana o herói nacional de Cuba, José Martí. Em homenagem a esta data, publicamos um cordel criado pelo poeta popular, escultor, xilógrafo e produtor cultural, o cearense Hamurábi Bezerra Batista, a pedido da Associação Cultural José Martí do estado do Espírito Santo – ACJM/ES
A história de José Martí e da revolução cubana
Autor: Hamurábi Batista
Ele veio à luz em Cuba
A 28 do mês
No final desse janeiro
Do ano 53
Do século dezenove
José Matí, havanês.
Mariano era o seu pai
De Valência natural
Leonor Perez Cabrera
A sua mãe afinal
Foi jornalista e filósofo
Poeta, e intelectual.
Desde a sua mocidade
Suas ideias eram várias
E demonstrou simpatias
Das mais revolucionárias
Que havia entre os cubanos
Germinando aquelas áreas.
Quando tinha quinze anos
Uma rebelião surgiu
Em busca da independência
O grito bravo e hostil
Que libertou aos escravos
Desafiando o poderio.
Foi Carlos Manuel de Céspedes
Quem essa façanha fez
A luta de várias décadas
Começou naquela vez
Daquelas grandes pelejas
Nós destacaremos três.
Teve a Guerra dos Dez Anos
Ou Grande Guerra chamada
Também a Guerra Chiquita
Durante um ano travada
E a Guerra Hispano-Cubana
Ou Guerra Chica falada.
Numa escola secundária
Que cursou na adolescência
Do mestre Rafael Mendive
Nutriu a grande influência
Contra o domínio espanhol
A total independência.
Iniciou na política
O seu ativismo honrado
Nuns jornais separatistas
Diretamente empenhado
Mas seu professor Mendive
Foi preso e após deportado.
Com a prisão de seu mestre
Cristalizou sua luta
Numa atitude rebelde
Muito forte e resoluta
Versus a Espanha invasora
Acrescentando à disputa.
No ano 69
Aos seus dezesseis de idade
Publicou folhas impressas
E fez a publicidade
De ideias separatistas
E o rumo da liberdade.
Distribuiu um periódico
Numa intenção temporária
Por esse motivo preso
Em uma ação arbitrária
Por divulgar conteúdo
De ordem revolucionária.
Pelo invasor espanhol
Foi ele então condenado
A seis anos de prisão
Sob trabalho forçado
Que acabou resultando
Bastante debilitado
Sendo assim que conseguiu
A um indulto obter
No ano 71
Para dalí ocorrer
Deportação para Espanha
Onde passou a escrever.
Seu estilo idealista
Mui presente e vigoroso
O tornara conhecido
E bastante estudioso
E dedicou se ao Direito
Com um zelo prestimoso 
Da República Espanhola
Viu sua proclamação
Quando escreveu sua crítica
À grande contradição
“Revolução na Espanha
E lá em Cuba a opressão.”
No ano 74
O doutorado ele fez
Em Letras, Filosofia
Como também fez em Leis
Naquela universidade
Que em Zaragoza perfez.
No ano 75
Para o México partiu
Se aproximando de Cuba
O objetivo incluiu
Com a população indígena
José Martí interagiu.
Sendo assim intensifico 
O que batalhava em prol
A luta contra o racismo
E o clamor de sol a sol
A exploração da igreja
E o domínio espanhol.
Quando a Guerra dos Dez anos
Finalmente terminou
Seguindo destino a Cuba
Jose Martí regressou
E com Calixto Garcia
Ao Comitê que fundou.
Um ano de seu regresso
De novo foi deporta
Quando da Guerra Chiquita 
Não pode participar
Mas pros Estados Unidos
Foi da Espanha pra lá.
Em Nova York entretanto
Ao Comitê organiza
O seu primeiro discurso
Nos States realiza
Forças revolucionárias
Num chamado prioriza.
“Com lágrimas não se conquista
Para os direitos o endosso
Para o futuro sombrio
Se abandonarmos o esforço
Da nossa terra assolado 
E sufocada no fosso.”
Viajou pra Venezuela
No ano de 81
Achou com Simon Bolívar
A identidade em comum
“Os latinos das Américas
O povo todo é só um.”
Far-se-ia a pátria livre
E próspera a sua classe
Se dos Estados Unidos
A gente se afastasse
E cultivasse o cultura
Que ela mesma criasse.
Fundou o PRC
No ano 92
Escreveu um documento
Pra insurreição que propôs
Chamado de Montecristi
O Manifesto que expôs.
E regressou para Cub 
Do Haiti proveniente
Quando seiscentos soldados
De forma surpreendente
Emboscaram-no num ataque
Deveras muito potente.
Em 19 de maio
Foi baleado e abatido
Sendo depois destacado
Por mentor reconhecido
Da Revolução Cubana
Diretamente influído.
José Martí das Américas
Ele é de todos países
Do continente é a voz
Das lutas as mais felizes
Pra derrotar o império
As principais diretrizes.
Do imperialismo nascente
A denúncia efetivar
Das terríveis consequências
Que poderá provocar
Caso os revolucionários
Não consigam se ajuntar.
“Pois o revolucionário
Não busca por seu prazer
Porém o lado que possa
Habituar-se ao dever
Pois os seu sonho de hoje
É Lei que amanhã vai ser.”
“Ardentes e ensanguentados
Dos séculos, no caldeirão
Notou a ferver os povos
Ao dirigir sua visão:
No futuro a diferença
É resultante da ação.”
FIM
De Vitória (ES),  Cláudio Machado para o Portal Vermelho

Ouça “História Hoje” 29/01/: José do Patrocínio, a causa abolicionista foi sua vida

patrocinio
Se toda a propriedade é roubo, a propriedade escrava é um roubo duplo, contrária aos princípios humanos que qualquer ordem jurídica deve servir.
Apresentação José Carlos Andrade
ANTES DE OUVIR O ÁUDIO DESLIGUE O SOM DA RÁDIO BRASIL CULTURA NO TOPO DA PAGINA
A reflexão é do abolicionista José do Patrocínio que fez do combate à escravidão a causa de sua vida.
Ele morreu de tuberculose, aos 51 anos, no dia 29 de janeiro de 1905, no Rio de Janeiro.
Jornalista, escritor, político e ativista. Era chamado de Tigre da Abolição, ajudou a criar uma série de instituições que trabalharam contra a escravidão.
Trabalhou em vários jornais, comprou um deles e sempre defendeu, neles, a causa anti-escravidão. Chegou a escrever três romances, hoje desconhecidos. Ajudou a fundar a Academia Brasileira de Letras, tendo ocupado uma das cadeiras.
Voltou ao Rio, onde morreu esquecido e endividado. Diz-se que deixou um texto inacabado quando morreu, depois de ter visto um carroceiro açoitar um cavalo: “Eu tenho pleos animais um respeito egípcio. Penso que eles têm alma, ainda que rudimentar, e que eles sofrem conscientemente as revoltas contra a injustiça humana.” 
História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. Vai ao ar pela Rádio Brasil Cultura de segunda a sexta-feira.