Postagem em destaque

CPC/RN PROMOVE DIA 11/12/2019 SUA III NOITE DAS HOMENAGENS NA CÂMARA DOS VEREADORES DE NOVA CRUZ/RN - CONFIRA!

Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN - 2009/2019 " "Dandara", simbolo de luta em favor da LIBERTAÇÃO da população NEGRA!&...

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

CASA-GRANDE NO SERTÃO DO SERIDÓ POTIGUAR

LOCALIZADA SEMPRE EM LUGARES ALTOS EM RAZÃO DA EXÍMIA VISTA E TB DA DEFESA PRÓPRIA DO SEU DONO CONTRA FORÇA DE ESTRANHOS...

MUITAS VEZES TINHA ESTE FORMATO:


25 ERA O NÚMERO DE COMPONENTES QUE FAZIA PARTE DA BOA CASA-GRANDE DO SERTÃO COM INCLUSÃO DOS CURRAIS DE GADO AO LADO,VEJAMOS UM EXEMPLO DA CASA-GRANDE DO INGÁ EM ACARI/RN:

1-ALPENDRE;

2-CUPIÁ;

3-SALA DAS MULHERES COM ARMÁRIO PARA ARMAS;

4-QUARTO DO CASAL;

5 E 8-QUARTOS DAS MULHERES E MOÇAS

6-QUARTO DOS HOMENS, RAPAZES E HÓSPEDES

7-CORREDOR COM PEQUENO SÓTÃO PARA GUARDAR RAPADURA OU OUTROS;

9-SALA DAS REFEIÇÕES;

10-CORREDOR COM CANTAREIRAS PARA JARRAS OU POTES D'ÁGUA;

11-COZINHA COM FOGÃO;

12-COZINHA DE TREMPE PARA QUEIJO, INCLUSIVE O LUGAR CERTO DO PILÃO;

13 Á 15-DEPÓSITOS

16-QUINTAL COM MURO ALTO DE CACOS DE VIDROS;

17-TERRAÇO COM FÔRNO DE ALVENARIA PARA FAZER BOLOS, BISCOITOS E OUTROS;

18-W.C. DE COMUA;

19-BANHEIRO.

20-CANTEIROS COM PIMENTEIRAS, ERVAS PRA CHÁ E BOGARI, ETC.

21-TAMARINEIRO.

22 Á 24-ARMAZÉNS(ANTIGAS SENZALAS DO ESCRAVOS CATIVOS)

25-CURRAIS DO GADO VACUM,CAVALAR E MUAR...


FONTE: VELHOS COSTUMES DO MEU SERTÃO

Documentários sobre lutas pela arte e pan-africanismo entram na tela do Cine Brasília

Dois documentários entram em cartaz no Cine Brasília antes de o espaço fechar para a 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que acontece de 22 de novembro a 1º de dezembro.
O documentário “Cine São Paulo” retrata o drama na luta pela sobrevivência de uma sala de cinema no interior paulista. Segundo o programador do Cine Brasília, Rodrigo Torres, “trata também de uma situação conjuntural, que é de extinção de antigos espaços de exibição cinematográfica no Brasil, especialmente dos cinemas de rua”.
Torres lembra ainda que apenas 10% dos municípios do país hoje apresentam salas de cinema. O filme mostra algumas das principais dificuldades de manutenção destes espaços. Conquistou o prêmio de melhor documentário no Festival Biarritz América Latina de 2017. O Cine Brasília exibe “Cine São Paulo” com exclusividade.
Outro documentário, “Meu amigo Fela”, reconstrói a vida do multi-instrumentista nigeriano Fela Kuti (1938-1997). Revolucionário, visionário, gênio, guerrilheiro, pan-africanista e pop star, Olufela Olusegun Oludotun Ransome-Kuti colecionou adjetivos e ganhou a condição de ícone da consciência negra. A partir do olhar dos seus amigos e das conversas com o biógrafo, o afro-cubano Carlos Moore, surge a figura de um líder político e representante de toda uma geração pan-africana.
Continua em cartaz a animação “A Cidade dos Piratas”, que desafia o espectador a acompanhar uma narrativa complexa em termos de linguagem e conteúdo, abordando de maneira livre passagens da biografia do cartunista e transformista Laerte Coutinho (68 anos). Personagens das tirinhas “Piratas do Tietê” ganham a cena num convulsionado enredo que mistura ficção e crítica da realidade.
Confira a seguir sinopses, fichas técnicas e horários de exibição.
“Cine São Paulo”
De Ricardo Martensen & Felipe Tomazelli (2017, documentário, Brasil, 78 minutos, livre)
Sinopse: Aquilo que um dia foi uma respeitável sala de cinema, agora está praticamente em ruínas. O proprietário, o professor de história Francisco Teles, ou seu Chico, como é tratado em Dois Córregos (SP), inicia uma luta obstinada para salvar o prédio centenário na pequena cidade do interior paulista. É uma declaração de amor dos diretores ao cinema e um exemplo de luta de um homem simples para manter o acesso à sétima arte.
Trailer: https://vimeo.com/214292638
“Meu amigo Fela”
De Joel Zito Araújo (2019, documentário, Brasil, 94 minutos, 14 anos, inglês/francês, com legendas em português)
Sinopse: Uma nova perspectiva sobre o músico nigeriano Fela Kuti, a fim de contrapor a narrativa mais frequentemente retratada: como um excêntrico ídolo pop africano do gueto. Fela estudou música em Londres, para onde foi, a princípio, em busca de especialização médica. Faleceu em decorrência de uma complicação ligada ao vírus HIV. O documentário foi selecionado para o Festival Internacional de Cinema de Rotterdam e para a mostra competitiva do Festival Pan Africano de Burkina Faso.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=uUR1d0nAUxU
“A Cidade dos Piratas”
De Otto Guerra (2018, documentário/animação, Brasil, 83 minutos, 16 anos)

Sinopse: Um diretor de cinema (Otto) enfrenta uma situação complexa no meio da produção de longa metragem quando o autor de “Os Piratas do Tietê” (Laerte) começa a rejeitar os personagens quando o enredo está praticamente pronto. O filme, com direção de Otto e roteiro de Laerte, mistura ficção, realidade e reflexões sobre política e arte.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=UndpMLfsQv4

Cotidiano Leitor traz a I Festa Literária com diversas ações culturais gratuitas

Escrita feminina, literatura afro-indígena e livro ilustrado são os temas macros escolhidos para inaugurar a I Festa Literária do Cotidiano Leitor. Serão três dias intensos de evento, de 15 a 17 de novembro, no Museu Oscar Niemeyer, com uma série de experiências literárias. Entre as atividades, estão programadas uma feira do livro, oficinas, workshop, exposições, sarau literário, leitura de poemas, narração de histórias, performance, roda de leitura e diálogos com autores e ilustradores premiados e reconhecidos internacionalmente. Todas as atividades são gratuitas. Interessados podem requerer certificado de participação para as rodas de conversa.
Marina Colasanti, uma das mais premiadas escritoras brasileiras e detentora de vários prêmios Jabutis, e a poeta, atriz, jornalista e cantora Elisa Lucinda, com diversos livros publicados e atuação no teatro cinema e televisão, estão entre os destaques no primeiro dia de evento, 15 (sexta-feira). A partir das 16h, no Auditório Poty Lazzarotto, elas participam da roda de conversa “Escrita Feminina: lugar de escuta e lugar de fala”.
No dia 16, a roda de conversa será com os premiados ilustradores Odilon Moraes e Roger Mello, com a temática “Discursos da imagem na Literatura Infantil brasileira”. Já para o dia 17, os convidados Daniel Munduruku e Cidinha da Silva falam sobre “Literatura Afro-brasileira e Indígena”. Daniel é filho do povo indígena Munduruku e como educador social e ativista ministra palestras e seminários destacando o papel da cultura indígena na formação da sociedade brasileira. Cidinha possui forte engajamento com a causa negra e com questões ligadas às relações de gênero.
A realização da Festa Literária é do Governo do Paraná por meio da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, com a produção executiva do Instituto Dom Miguel e apoio de prefeituras. O evento faz parte do Projeto Cotidiano Leitor, com atividades baseadas no Plano Estadual do Livro, Leitura e Literatura (PELLL), que busca promover a democratização do acesso ao livro, estimular o interesse por narrativas literárias e formar uma sociedade leitora.
OUTROS DESTAQUES – Entre as diversas ações culturais programadas, estão as exposições de fanzine e de tapetes de autoria de alunos dos Centros de Socioeducação (Censes). Estes centros foram criados pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho e atuam com o objetivo de ajudar os adolescentes em conflito com a lei, que cumprem medidas socioeducativas. Eles desenvolvem atividades educacionais e têm ações de qualificação profissional.
Também faz parte da programação o workshop Escrita Independente em tempos de internet e diversas oficinas. Entre elas: Confecção de Personagens de papel; Ilustração para adultos; Origami; Criação de Personagens; Educação Inclusiva e Literatura Infantil Juvenil; Música; Pintura e Ilustração; Bonecas Abayomi; Criação Literária; e Autoedição.
CERTIFICADO – Interessados em receber certificado de participação para as rodas de conversa do evento, que pode contar como horas complementares, podem requerer seu documento por meio do formulário disponível no link bit.ly/certificado_festaliteraria.
SERVIÇO
Festa Literária do Projeto Cotidiano Leitor
Dias: 15, 16 e 17 de novembro de 2019
Horário: das 10h às 18h
Local: Museu Oscar Niemeyer (R. Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico)

Informações: BRASIL CULTURA