Postagem em destaque

A hora e a vez de lutar pelo Fundeb

Prestes a vencer, programa imprescindível para educação básica no país precisa ser reeditado com melhorias Programa fundamental para ed...

sábado, 17 de março de 2018

AFOXÉ - CULTURA NEGRA - ENTRE DANÇAS E RITMOS AFRODESCENDENTES

PRÓXIMA SEMANA PRESIDENTE DO CPC/RN VIAJA A INTERIORES DO ESTADO VISANDO MOBILIZAÇÃO PARA O PRÓXIMO EVENTO

CENTRO POTIGUAR DE CULTURA - CPC-RN
CENTRO POTIGUAR DE CULTURA - CPC/RN
Próxima semana o presidente do Centro Potiguar de Cultura - CPCRN, Eduardo Vasconcelos ao interior do Estado Potiguar, visando mobilizar estudantes, artistas, entre outros para participarem do V ENCONTRO DE LIDERANÇAS CULTURAIS DO CENTRO POTIGUAR DE CULTURA- CPC/RN , que ocorrerá dia 27 de abril n o IFRN de Parelhas. O CPC/RN dessa forma garantirá mais participação no evento, alem da organização para o sucesso do mesmo.

Serão 100 (cem) convidados divididos entre estudantes, artistas culturais (grupos), profissionais da área e autoridades.

Eduardo começará por Natal e em seguida as regiões do Trairi e Seridó. Eduardo Vasconcelos manterá contatos com prefeitos, secretários de cultura da educação para garantir transportes para o inscritos/participantes.

lembrando que o evento não paga taxa de inscrição, tem direito ao almoço, certificado, entre outros.

Participem!

JACARÉ PARADO VIRA BOLSA DE MADAME!

CULTURA: José Augusto Ribeiro, 80, e um novo filme sobre Vargas

Vargas_José Augusto Ribeiro.jpg
Com direção de Beto Almeida, documentário sobre Vargas vai se basear nos livros de Ribeiro (Reprodução)
Maneschy, do PDT: um exemplo para o Jornalismo!
De Osvaldo Maneschy, membro do diretório nacional do PDT, no Facebook:

JOSÉ AUGUSTO RIBEIRO FAZ 80 ANOS HOJE - O jornalista e escritor José Augusto Ribeiro, autor entre outras obras da trilogia “A Era Vargas”, o mais completo livro sobre a vida e obra política do presidente Getúlio Vargas; e “Tancredo Neves, a Noite do Destino”, biografia lançada em 2015, completa hoje 80 anos de idade. Atualmente José Augusto mora em Curitiba com o seu filho, Vicente Ribeiro, maestro de profissão, e continua escrevendo.
José Augusto começou no jornalismo em 1956, quando entrou na Faculdade de Direito da Universidade do Paraná, em Curitiba, onde se formou em 1960. A sua vida profissional começou no “O Estadodo Paraná” e de lá para cá já passou por muitas redações: ‘Diário Carioca’, ‘O Cruzeiro’, ‘Folha de São Paulo’, ‘Manchete’, ‘Jornal do Brasil’, ‘Ultima Hora’, ‘Fatos & Fotos’, ‘Correio da Manhã’, ‘O Globo’, ‘TV Globo” e ‘TV Bandeirantes’, entre outras.
Em 1963 foi trabalhar no Rio de Janeiro como assessor do ministro do Trabalho de Jango, o senador Amaury Silva, mas foi afastado do serviço público após o golpe de 64, voltando para as redações e o jornalismo.
Exemplo para novos e velhos profissionais, o conheci na redação do Globo, em 1980, onde ele era editor de política. Um chefe tranquilo, centrado, grande amigo e colega. Que me demitiu quando chegou a ordem da direção, no início da vigência da lei dos pagamentos semestrais, de ‘enxugar’ a redação. José Augusto recebeu a sugestão de demitir o grande Aluizio Flores, já em final de carreira; mas preferiu demitir o mais jovem dos redatores, eu, então com 31 anos, por ter mais chance de conseguir novo emprego.
Compreendi e toquei minha vida, indo trabalhar com Wagner Teixeira e Maurício Azedo no recém fundado “Jornal do PMDB”, lançado com pompa na sede da ABI pelo deputado Ulysses Guimarães, em apoio a candidatura do senador Roberto Saturnino Braga ao governo do Rio de Janeiro – que ele não chegou a disputar. E segui minha vida.
Jamais deixei de ser amigo de José Augusto e de respeitá-lo.
Anos depois José Augusto começa a publicar livros – o primeiro deles “De Tiradentes a Tancredo Neves, uma história das Constituições”, em 1987; “Nossos Direitos na nova Constituição”, em 1988; e “Curitiba, a Revolução Ecológica”, em 1993. Em 1979 já realizara, com Neila Tavares, o documentário “Agosto 24”, embrião do que seria uma de suas grandes obras, publicada posteriormente, a trilogia “A Era Vargas”, publicada originalmente em 2000 pela Casa Jorge Editorial e já reeditada duas vezes.
Em 1984 José Augusto passou a trabalhar como assessor de imprensa de Tancredo Neves em sua campanha presidencial. Em 1985 voltou à TV Bandeirantes, onde ficou ate 1990. Trabalhou em seguida nas revistas da Editora Cadernos do Terceiro Mundo, de Neiva Moreira e Beatriz Bissio. Em 1994 foi assessor de imprensa de Leonel Brizola em sua campanha presidencial.
A partir de 1995 passou a trabalhar exclusivamente na elaboração de livros: em 2000 lançou “A Era Vargas”, que já está na terceira edição: e, em 2008 lançou “Jânio Quadros – O Romance da Renúncia” e, em 2015, “Tancredo Neves: A Noite do Destino”, outra obra de fôlego, como a trilogia “A Era Vargas”. Em dezembro de 2016 publicou mais dois livros: “Getúlio Vargas, a saga da Petrobrás” e “Getúlio Vargas, a morte com um sorriso”. Absolutamente ativo apesar de AVC sofrido anos atrás, José Augusto atualmente negocia com editora gaúcha a republicação de seus livros.
Também está para ser lançado, provavelmente mês que vem, mês do aniversário de nascimento do presidente Getúlio Vargas, um documentário sobre a trajetória de Getúlio tendo como fio condutor narrativa de José Augusto Ribeiro sobre a vida e a obra do grande presidente. A direção é do jornalista Beto Almeida, de Brasília.
Desejo, de coração, longa vida ao grande jornalista, escritor e amigo José Augusto Ribeiro. Um exemplo de dignidade e ética para todos os que amam a profissão de jornalista. Parabéns, Zé.
Fonte: CONVERSA AFIADA

CURITIBA – Grupo Brasileiro lança edital para jovens cantores


Grupo de jovens cantores do Conservatório de MPB de Curitiba tem edital aberto para processo de seleção de novos integrantes. O chamamento visa a seleção de seis cantores com idade entre 14 e 18 anos, sendo duas vagas para vozes femininas e quatro vagas para vozes masculinas. As inscrições devem ser feitas até dia 30 de março, presencialmente no Conservatório, de segunda-feira à sexta-feira das 9h às 12h e das 14h às 18h.
Criado há um ano e meio e dirigido por Helena Bel e Milton Karan, o Grupo Brasileiro tem por objetivo trabalhar a canção nacional por meio de teoria e leitura musical, solfejo e técnica vocal, prática de canto a duas, três e quatro vozes, com desenvolvimento interpretativo que possibilite um resultado cênico-musical.

Dos testes
O processo seletivo para as vozes femininas é destinado apenas as ex-integrantes do Coral Brasileirinho. Já as vagas para as vozes masculinas são abertas para a comunidade em geral.
Os nomes dos candidatos pré-selecionados a participarem das audições serão divulgados no dia 2 de abril e os testes acontecem no dia 3 de abril. Durante a audição será necessária a apresentação da música “Deixe a Menina” do autor Chico Buarque e mais uma canção de livre escolha, com ou sem acompanhamento instrumental próprio.

Os nomes dos cantores selecionados para integrarem o Grupo Brasileiro serão divulgados no Conservatório de MPB e nos sites www.icac.org.br e www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br, a partir do dia 5 de abril. O início dos ensaios acontecerá no dia 09 de abril. (segunda-feira).
Serviço:
Grupo Brasileiro abre vagas para novos integrantes
Inscrições abertas até 30 de março presencialmente no Conservatório de MPB de Curitiba
Audição: 3 de abril
Resultado: 5 de abril
Endereço: Rua Mateus Leme, 66
Telefone: 3321-3315