Postagem em destaque

CPC/RN PROMOVE DIA 11/12/2019 SUA III NOITE DAS HOMENAGENS NA CÂMARA DOS VEREADORES DE NOVA CRUZ/RN - CONFIRA!

Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN - 2009/2019 " "Dandara", simbolo de luta em favor da LIBERTAÇÃO da população NEGRA!&...

domingo, 15 de julho de 2018

"DIVULGANDO LINDAS HISTÓRIAS!" - CPC/RN - 2018 COM TODOS OS DIREITOS - COM VOCÊ, VAMOS MAIS LONGE

HISTÓRIAS INSPIRADORAS

 
“Se tem mulher na luta, dá certo. Lideramos de várias óticas, queremos mudar o todo.” 

Glisiany Plúvia de Oliveira, 30 anos, é líder do Grupo Ousadia Juvenil, que empodera jovens da periferia de Mossoró (RN). Plúvia, como é conhecida, está sempre pronta para combater o extermínio da juventude negra, o machismo, o racismo, a homofobia e tantas outras violações de direitos. Para conhecer a história, clique aqui.
Foto: Ronny Santos
“A minha luta é para que as mulheres se empoderem.”
Clique aqui  e conheça um pouco da história de Marli da Silva, fundadora da Associação Pernambucana de Mães Solteiras (Apemas), organização apoiada pelo Fundo Brasil que já contabilizou mais de 50 mil reconhecimentos de paternidade no estado de Pernambuco.
 
Foto: Sérgio Carvalho
“Eu espero que possamos ocupar um espaço que nos é de direito na sociedade, porque lutamos por isso, é um direito nosso.”
Maria Lidiane Maria Lidiane Apolinário da Silva, 28 anos, lidera a Associação de Moradores do Quilombo de Acauã (AMQA), projeto apoiado pelo Fundo Brasil.Conheça aqui   a luta dela.
 “Para trabalhar com direitos humanos, a pessoa precisa ter um propósito.”

Mazé Maria José de Almeida Lima, 74 anos, a Mazé, é fundadora do Movimento de Mulheres Negras de Sorocaba (Momunes), apoiado pelo Fundo Brasil de Direitos Humanos. Clique aqui  e saiba mais
 “O Fórum de Juventudes me ajudou a construir sonhos. Coletivamente.”

Acesse aqui  para conhecer a história de Gizele Martins, 32 anos. Gizele é comunicadora comunitária, jornalista e integrante do Fórum de Juventudes RJ, apoiado pelo Fundo Brasil de Direitos Humanos
Fonte: http://www.fundodireitoshumanos.org.br/2018mulheres-2/

EDITAL: ENFRENTANDO O RACISMO A PARTIR DA BASE: MOBILIZAÇÃO PARA DEFESA DE DIREITOS

“Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar.”
Nelson Mandela
1. APRESENTAÇÃO
O objetivo do Fundo Brasil de Direitos Humanos é promover os direitos humanos no Brasil e sensibilizar a sociedade brasileira para que apoie iniciativas capazes de gerar novos caminhos e mudanças significativas para o país. Nosso compromisso é disponibilizar recursos para apoio institucional e para atividades de organizações da sociedade civil e de defensores e defensoras de direitos humanos em todo o território nacional, priorizando aqueles/as que disponham de poucos recursos e/ou que tenham dificuldades de acesso a outra as fontes.
O Fundo Brasil de Direitos Humanos, em parceria com a Open Society Foudations (OSF), vai destinar até R$ 490.000,00 (quatrocentos e noventa mil reais) para apoio a iniciativas que promovam o enfrentamento ao racismo a partir de ação direta junto à realidade vivida pela população negra no Brasil.
O programa Human Rights Initiative da OSF quer fortalecer, no Brasil, movimentos de luta por equidade racial que atuem em favor dos setores mais marginalizados da população, bem como apoiar iniciativas que enfrentem a discriminação racial, incluindo desigualdades e opressões interseccionais, a partir do trabalho de base e mobilização local protagonizadas por negras e negros.

2. SOBRE O FOCO DO EDITAL
O amadurecimento do entendimento de que o racismo é estruturante das desigualdades e conflitos sociais no Brasil aumentou em parte da sociedade a percepção sobre as necessidades de ações mais focadas no desafio do seu enfrentamento. Isto enquanto postura, disposição e vontade política é pressuposto para a eficácia de iniciativas que se propõem a promover igualdade racial, diversidade e direitos humanos em seus mais diversos aspectos.
Marca fundamental da construção da nação brasileira, os 388 anos de escravidão mercantil condenam ainda hoje, mesmo depois de 130 anos de abolição, a população descendente de africanos à base da pirâmide social e ao alvo da violência sistêmica. Tal realidade impôs ao seguimento majoritário da população brasileira o permanente, singular e diário exercício pelo reconhecimento de suas necessidades humanas. Antes ainda que a reivindicação por direitos, o reconhecimento de sua condição humana. Daí que o enfrentamento ao racismo significa pressuposto fundamental para o resgate da humanidade; logo, elemento crucial para a promoção dos direitos humanos.
Não bastasse o sofrimento imposto pelo racismo, a realidade de mulheres negras e homens e mulheres Lgbtqi+ torna-se ainda mais difícil, visto as características patriarcais, machistas, sexistas e lgbtfóbicas de nossa sociedade. A partir de tais parâmetros, este edital busca identificar iniciativas de movimentos, organizações, grupos e coletivos que se dediquem ao enfrentamento desta realidade por meio de ações diretas e cotidianas de promoção e defesa de direitos em comunidades marcadas pela sistêmica desigualdade social e consequente violência em diversos níveis.
3. SOBRE OS PROJETOS QUE ESTE EDITAL VAI APOIAR
A partir do pressuposto fundamental descrito na Declaração Universal dos Direitos Humanos de que direitos iguais e inalienáveis de todos os membros da família humana constituem a base da liberdade, da justiça e da paz no mundo, este edital visa apoiar projetos que:
• Tenham por objetivo o enfrentamento ao racismo e suas mais diversas decorrências sociais tais como discriminação, preconceito, criminalização, ausência de perspectivas, violência, feminicídio e genocídio.
• Articulam o combate ao racismo e suas variáveis à promoção de iniciativas de valorização da diversidade e promoção da justiça em uma ou mais das seguintes temáticas:

a) Denúncia e enfrentamento à violência do estado, violência policial, encarceramento em massa, política de drogas e modelo de políticas de segurança pública no geral;
b) Apoio a familiares de vítimas da violência do estado;
c) Direitos e apoio ao desenvolvimento sócio-político-cultural-educacional de mulheres Lgbtq+ negras;
d) Valorização e defesa das religiões de matriz africana;

• Sejam desenvolvidos a partir de diversas formas e dimensões, entre as quais: litígio estratégico, advocacy, comunicação, práticas de educação popular, formação política, artes, música, poesia, leitura, literatura, atividades interdisciplinares e inovadoras.
Os projetos apresentados deverão ter um valor total de até R$ 70.000,00 (setenta mil reais) e prazo máximo de 18 meses de duração.
Que outros elementos serão considerados para a seleção dos projetos?
A. Adequação ao foco do edital;
B. Prioridade para projetos propostos por negros e negras
C. Capacidade do proponente para o desenvolvimento do projeto proposto;
D. Diversidade regional;
E. Potencial efeito multiplicador do projeto;
F. Criatividade, caráter inovador e consistência da proposta;
G. Conexão com redes, fóruns, articulações locais, regionais ou nacionais;
H. Existência de vínculos estreitos com as comunidades com as quais a proposta se relaciona;
I. Adequação da proposta às necessidades reais da comunidade ou do público diretamente beneficiado;
J. Idoneidade e legitimidade do grupo, organização que pretende executar as atividades;

4. SOBRE OS CRITÉRIOS PARA CONCORRER AO EDITAL
O Fundo Brasil prioriza o apoio a projetos de grupos, coletivos, pequenas e médias organizações sem fins lucrativos. Serão aceitas propostas de organizações mesmo que ainda não formalizadas e/ou que não tenham CNPJ, desde que atendam aos demais requisitos deste edital.
As organizações proponentes deverão contar com receita anual de, no máximo, R$ 700.000,00 (setecentos mil reais), visto que o objetivo é apoiar aquelas com pouco acesso a recursos.

Incentivamos a inscrição de iniciativas fruto de articulações e/ou redes locais, regionais ou de segmentos. Estimulamos também a apresentação de projetos elaborados, propostos e coordenados por negras e negros. Todas as propostas deverão vir acompanhadas de detalhado histórico de atuação das entidades proponentes.
Não serão apoiados:
A. Projetos que não se adequem ao foco deste edital;
B. Aqueles propostos por organizações governamentais; universidades; partidos políticos ou grupos político-partidários; empresas públicas e privadas, microempresas e microempreendedores individuais; organizações internacionais ou organizações que não tenham sido constituídas no Brasil de acordo com a legislação brasileira;
C. Propostas individuais.

5. COMO SUBMETER SEU PROJETO
A submissão de proposta será via internet. Para concorrer, grupos e organizações acessar o link abaixo e preencher todas as informações solicitadas até às 23h59 do dia 31 de agosto de 2018.
O formulário de cadastro de projetos pode ser acessado neste link.
O recebimento das propostas se dará apenas pelo sistema online.
Não recebemos projetos por e-mail, tampouco aceitamos projetos entregues diretamente na sede do Fundo Brasil.
Não serão aceitas propostas submetidas fora do prazo, em nenhuma hipótese.
O Fundo Brasil de Direitos Humanos não prorroga o prazo de seus editais.
O resultado será divulgado no dia 20 de novembro de 2018, Dia Nacional da Consciência Negra.
Em caso de dúvidas
Dúvidas serão respondidas somente por email. Favor escrever para edital@fundodireitoshumanos.org.br
Fonte: http://www.fundodireitoshumanos.org.br/

Idiossincrasias

até certo ponto, o roberto foi racional e calculista mas, no dia de sua morte, começou a perder a razão quando telefonou para idalga e disse a frase que poderia comprometer todo o fio de relacionamento ainda restante: “eu li as mensagens.”, disse.
Por Luiz Henrique Dias*
Luiz Henrique Dias
e leu mesmo, sabia de tudo, da paixão dela pelo Robson, dos gozos – inexistentes em seu casamento -abundantes nos encontros dela com o amante, da intenção dela em pedir o divórcio e de como lutava para achar uma forma de conseguir terminar sem conflitos. “afinal, foram doze anos”, sempre repetia ao amante amado. ao dizer a ela ter lido, o silêncio ao telefone era quase uma pintura do mar depois da ressaca, um espaço eterno, um compasso mudo, e foi ela quem – enfim – pontuou “pois bem, se sabe, o que eu devo dizer?”, “que me ama e que vai abandonar o robson. por mim.”. era tudo que ela não queria. teve a certeza sempre de que, se ele soubesse de algo, iria embora, não suportaria a traição, até se mataria, mas nunca que iria pedir a ela deixar o amante e ficar. agora ela precisava ser certeira nas palavras. “quero o divórcio”, disse ela, que ouviu o telefone desligar. um misto de preocupação e conforto. “ele vai se matar”, pensou. e ele ia: caminhou até o quarto, abriu as portas dos guarda-roupas, jogou tudo no chão, tudo, todas as histórias, as vestes da mulher que conheceu numa manhã de chuva, numa feira, comprando enquanto ele vendia alhos, colocou tudo em um círculo formado por tecidos coloridos e lembranças. foi à cozinha, pegou o álcool, entrou no círculo e jogou o combustível nas roupas. ateou fogo. abaixou as calças e gritou “agora você vai gozar pela última vez!” e, num ritual somente seu, e mágico, se masturbou pegando fogo, a pele e alma queimavam e o gozo não chegou a tempo de perder o controle do braço e morreu com as mãos agarrando as lascas queimadas do piso de madeira. lá fora, um carro vendia morangos.
*Luiz Henrique Dias é escritor. As frases todas iniciadas em letra minúscula é uma opção estética do autor

Curitiba reúne melhores percussionistas do mundo em festival internacional

Percussionistas de renome mundial estarão em Curitiba durante uma semana para segunda edição do Festival Internacional de Percussão. O 2º FIP Curitiba será aberto na próxima segunda-feira (16/7), às 19h30, no Teatro Londrina, do Memorial da Cidade e seguirá até domingo, com concertos aulas e oficinas.
Ao longo de sete dias, o público terá acesso a palestras, masterclasses e shows ligados ao universo da percussão.  Todas as ações de formação são gratuitas. Os concertos, que acontecem no Teatro Londrina (Memorial de Curitiba), custam R$2,00 (inteira) e R$1,00 (meia entrada).
Dias de shows
Haverá sete concertos diários no palco do Teatro Londrina com expoentes mundiais da percussão. Na abertura, o Festival apresenta o Duo Desvio. Na terça, (17/7) estará no palco o projeto Pandeirada Brasileira, trazendo como solistas os músicos Marcos Suzano, Caíto Marcondes e Vina Lacerda. A noite de quarta-feira (8/7) será animada pelo concerto do duo UM2UO.
Na quinta (19/7) será a vez do Duo Clavis, formado pelos músicos paranaenses Marcello Casagrande (vibrafone) e Mateus Gonsales (piano) e na sexta-feira (20/7), o show ficará por conta do Grupo de Percussão da Patagônia (Argentina). No sábado (21/7) estarão no palco os integrantes do grupo americano Hands On`semble, um dos maiores grupos de percussão do mundo. O encerramento do 2º FIP será no domingo (22/7), às 12h, com a apresentação do grupo curitibano Mano a Mano Trio.
Os cursos, palestras e masterclasses acontecem no Conservatório de Música Popular Brasileira e no Teatro Londrina e são regidos por músicos que integram a programação do FIP e instrumentistas convidados da cidade. A entrada para as ações formativas
FIP nas Regionais
Para descentralizar suas ações, o FIP também promove seis concertos nas regionais de Curitiba. Três deles já ocorreram. Os próximos eventos acontecem nesta quinta (12/07), às 17h, na Regional Boa Vista, na sexta (13/07), às 16h, na Regional Tatuquara e no dia 7 de agosto, às 19h, na Regional Santa Felicidade.  Os concertos serão executados pelo grupo Lapercutório Coletivo, grupo formado por importantes percussionistas curitibanos e as oficinas serão ministradas por Denis Mariano e Carlos Ferraz.
Em sua segunda edição, o Festival Internacional de Percussão de Curitiba, pretende alargar questões sobre a percussão e espalhar a todos os públicos música de qualidade, com acesso popular.
Este Projeto, uma idealização de Vina Lacerda com produção de Design Próprio, é realizado com o Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.
SERVIÇO:
2º Festival Internacional de Percussão de Curitiba
CONCERTOS
DUO DESVIO
Data: 16/07 (segunda-feira)
Horário: 19h30
Local: Teatro Londrina (Rua Claudino dos Santos – s/n – Memorial de Curitiba, PR)
Ingressos: R$ 2 reais (inteira) e R$ 1 real (meia entrada)
PANDEIRADA BRASILEIRA
Data: 17/07 (terça-feira)
Horário: 19h30
Local: Teatro Londrina (Rua Claudino dos Santos – s/n – Memorial de Curitiba, PR)
Ingressos: R$ 2 reais (inteira) e R$ 1 real (meia entrada)
CONCERTO UM2UO
Data: 18/07 (quarta-feira)
Horário: 19h30
Local: Teatro Londrina (Rua Claudino dos Santos – s/n – Memorial de Curitiba, PR)
Ingressos: R$ 2 reais (inteira) e R$ 1 real (meia entrada)
DUO CLAVIS
Data: 19/07 (quinta-feira)
Horário: 19h30
Local: Teatro Londrina (Rua Claudino dos Santos – s/n – Memorial de Curitiba, PR)
Ingressos: R$ 2 reais (inteira) e R$ 1 real (meia entrada)
ENSEMBLE DE PERCUSIÓN DE FUNDACIÓN CULTURAL PATAGONIA (ARG)
Data: 20/07 (sexta-feira)
Horário: 19h30
Local: Teatro Londrina (Rua Claudino dos Santos – s/n – Memorial de Curitiba, PR)
Ingressos: R$ 2 reais (inteira) e R$ 1 real (meia entrada)
HANDS ON`SEMBLE  –  RANDY GLOSS E AUSTIN WRINKLE (EUA)
Data: 21/07 (sábado)
Horário: 19h30
Local: Teatro Londrina (Rua Claudino dos Santos – s/n – Memorial de Curitiba, PR)
Ingressos: R$ 2 reais (inteira) e R$ 1 real (meia entrada)
CONCERTO MANO A MANO TRIO
Data: 22/07 (domingo)
Horário: 12h
Local: Teatro Londrina (Rua Claudino dos Santos – s/n – Memorial de Curitiba, PR)
Ingressos: R$ 2 reais (inteira) e R$ 1 real (meia entrada)
AÇÕES FORMATIVAS E ATIVIDADES PARALELAS
16/07/2018
Workshop Marcos Suzano, às 10h, no Conservatório de Música Popular Brasileira  (R. Mateus Leme, 66) Entrada Franca
Workshop Caíto Marcondes, às 14h30, no Conservatório de Música Popular Brasileira (R. Mateus Leme, 66) Entrada Franca
17/07/2018
Workshop Duo Desvio, às 10h, no Teatro Londrina (Rua Claudino dos Santos, s/n, Memorial de Curitiba). Entrada Franca
Concerto com o grupo de percussão Lapercutório Coletivo, às 14h30, no Conservatório de Música Popular Brasileira (R. Mateus Leme, 66). Entrada Franca
Palestra Luciano Candemil, às 17h, no Conservatório de Música Popular Brasileira (R. Mateus Leme, 66). Entrada Franca
18/07/2018
Palestra Aglaê Frigeri, às 10h, no Conservatório de Música Popular Brasileira (R. Mateus Leme, 66). Entrada Franca
Palestra Jorge Fálcon (ARG/BR), às 14h30, no Conservatório de Música Popular Brasileira (R. Mateus Leme, 66). Entrada Franca
Workshop Marcello Casagrande, às 17h, no Teatro Londrina (Rua Claudino dos Santos, s/n, Memorial de Curitiba). Entrada Franca
19/07/ 2018
Workshop Angel Frette (ARG), às 10h, no Conservatório de Música Popular Brasileira (R. Mateus Leme, 66). Entrada Franca
Mesa Redonda “O choro no CMPB” com Sérgio Albach, Ana Paula Peters e Lucas Mello, às 14h30, no Conservatório de Música Popular Brasileira  (R. Mateus Leme, 66). Entrada Franca
Roda de Choro, às 17h, no Conservatório de Música Popular Brasileira (R. Mateus Leme, 66).  Entrada Franca
20/07/2018
Workshop Ensemble de Percusión de Fundación Patagônia (ARG), às 10h, no Conservatório de Música Popular Brasileira (R. Mateus Leme, 66). Entrada Franca 
Workshop Hands On`Semble (USA) – Randy Gloss e Austin Wrinkle (USA), às 14h30, no Conservatório de Música Popular Brasileira (R. Mateus Leme, 66). Entrada Franca
21/07/2018
Roda de Pandeiro com Vina Lacerda, às 11h, no Conservatório de Música Popular Brasileira (R. Mateus Leme, 66). Entrada Franca 
Oficina Coletivo Nós em Traço “Corpo com som” (atividade para crianças), às 16h, Memorial de Curitiba (Rua Claudino dos Santos s/n) Entrada Franca
22/07/2018
Concerto Curimba Treme Terra, às 11h, no Memorial de Curitiba (Rua Claudino dos Santos s/n) Entrada Franca
Encerramento do Festival – Sarau do Julião Boêmio, às 14h30, no Espaço Carmela (Rua Dr. Claudino dos Santos, 72) Entrada R$10 reais.