Postagem em destaque

A hora e a vez de lutar pelo Fundeb

Prestes a vencer, programa imprescindível para educação básica no país precisa ser reeditado com melhorias Programa fundamental para ed...

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Parceria interinstitucional promove o acesso a benefícios na Terra Indígena Pareci, em Mato Grosso

class=
parceria paresi capa
Equipes do CRAS e da Funai em atendimento na Terra Indígena Paresi, no Mato Grosso (foto: Martins Toledo/Funai)

Entre os dias 19 e 21 deste mês, equipes de servidores da Coordenação Técnica Local (CTL) de Tangará da Serra-MT (subordinada à Coordenação Regional de Cuiabá/Funai) e do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) estiveram na Terra Indígena Pareci, ao norte do município, com o objetivo de atender à comunidade no acesso a benefícios.

A equipe do CRAS e Funai percorreu cerca de 700 km atuando em nove aldeias: Cabeceira do Buriti, Buriti, Nova Esperança, Papagaio I, Papagaio II, Papagaio III, Papagainho, Ithyaucê e Cabeceira do Sacre. Na ocasião, além de procurarem por cidadãos cuja situação se enquadra nos requisitos de acesso ao Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC), orientaram as comunidades quanto o direito ao salário maternidade, aposentadoria, atendimento para deslocamento para perícia médica, acesso a documentos civis básicos, renovação do cadastro no programa Bolsa Família e inclusão de novos participantes no programa.
O trabalho prevê futuras visitas a outras aldeias e o diálogo interinstitucional, que ocorrerá em novembro, a fim de promover o projeto Mutirão da Cidadania, dessa vez de forma mais abrangente e com disponibilização de meios de transporte aos beneficiários.
Para Martins Toledo, técnico de indigenismo da CTL, "o estreitamento das relações interinstitucionais promove o acesso dos indígenas a outras políticas públicas, possibilitando a emancipação dos programas de assistência social".
Assessoria de Comunicação Social - Funai
com informações da CTL Tangará da Serra/MT

O CPC/RN APOIA! BLOGUEIROS, YOUTUBERS E INSTAGRAMMERS DO RIO GRANDE DO NORTE SE JUNTAM PARA O DIA DAS CRIANÇAS


Numa tarde de Domingo de 2015 o Curiozzzo organizou com o apoio de outros criadores de conteúdo do RN um evento chamado “Internet do Bem”uma ação realizada na Via Costeira de Natal dentro do projeto “Viva Costeira”, que naquela edição tanto arrecadou brinquedos e roupas usadas para crianças, como alimentos para animais.
Em Setembro de 2018 o evento volta na sua segunda edição, entitulado “INTERNET DO BEM 2”. Desta vez, Henrique, criador do Curiozzzo, e outras figuras da internet potiguar como Mateus (Todo Natalense), Andercrazyy, Wesli (Natal Zuera), Lara Paiva (Brechando), Renata de Lucca (Agenda Natal) e o arquiteto Manoel Jr. (@ideiasparanatal), se unem para arrecadar doações de roupas, calçados e brinquedos usados para crianças carentes, em comemoração ao Dia das Crianças.
A primeira ação começou na última Quarta-feira (26/09), fazendo parte do pocket show do cantor Alan Persa, que tradicionalmente ocorre em frente à entrada do Shopping Midway Mall da Avenida Senador Salgado Filho.
As personalidades da internet potiguar se revezarão durante cada dia de arrecadações, que se estenderão até o mês de Outubro, sempre com a atração do cantor Alan Persa. Veja a agenda:
30/09: Lual Astral (show do Alan) em Ponta Negra
13/10: Cidade da Criança (Av. Rodrigues Alves, s/n – Tirol – com entrada a R$2,00)
Neste dia das crianças faça uma boa ação! Dê uma passadinha por lá levando aquela roupa, sapato ou brinquedo que está encostado na sua casa sem uso, e de quebra venha nos ver!
Mais novidades você acompanha pelas stories do Curiozzzo no Instagram.
Fonte: CURIOZZO.COM
Adaptado pelo CPC/RN, em 28/09/2018.

Medida para preservação audiovisual no País

O Grupo de Trabalho (GT) sobre Preservação, Digitalização e Difusão de Conteúdo Audiovisual, coordenado pelo Ministério da Cultura (MinC), avaliou, em reunião nesta quarta (26), a situação da preservação audiovisual no País e o projeto de digitalização dos acervos audiovisuais das TV públicas brasileiras. O objetivo é produzir uma política pública de preservação para esse tipo de conteúdo, além de conciliar ações de formação profissional e difusão no setor.
A partir de um diagnóstico do setor, de acervos públicos e privados dispersos pelo país, o GT estabelecerá as ações de médio, curto e longo prazo em uma perspectiva de trabalho para os próximos dez anos. Também definirá quais acervos serão atendidos primeiro, de acordo com o grau de risco e importância histórica dos produtos, além do levantamento de provedores dos recursos financeiros, sejam eles públicos ou privados, vinculados às propostas de ação definidas.
A terceira reunião do GT contou com a presença de três convidados: o coordenador do Laboratório Universitário de Preservação Audiovisual (LUPA-UFF), Rafael de Luna; o gerente do Centro de Documentação da Fundação Padre Anchieta – TV Cultura, José Maria Lopes; e a representante do Conselho Executivo da Federação Internacional dos Arquivos de Televisão (FIAT/IFTA), Rita Marques.
“Nós temos uma expertise em fazer esse grande trabalho de restauração e preservação não só de conteúdos de televisão, mas também de cinema. É uma prioridade nossa, junto com a Ancine e o Fundo Setorial do Audiovisual, dar andamento nos trabalhos para que a gente possa salvar essa memória que está se perdendo no país inteiro”, pontuou Lopes.
Para Rafael de Luna, existe uma grande demanda na preservação deste tipo de acervo. “Nós temos um passivo analógico, dos filmes feitos em película e de vídeos analógicos que não foram devidamente preservados ou estão inacessíveis. E nós ainda temos um volume cada vez de uma produção digital recente que precisa ser preservado efetivamente e não está sendo. Isso demanda estratégias de preservação específicas, além de recursos e investimentos contínuos”, avaliou.
O Secretário do Audiovisual, Frederico Mascarenhas, acredita que a contribuição de especialistas do setor é importante para direcionar as ações do GT. “A ideia é já ter, na próxima reunião, a partir da consolidação das informações e contribuições dos convidados e dos membros do Grupo de Trabalho dessas três reuniões, uma proposta de documento”, analisou Mascarenhas.
O Grupo de Trabalho, instituído por resolução do Conselho Superior do Cinema, é formado por representantes dos ministérios da Cultura, da Justiça e da Agência Nacional de Cinema (Ancine). Também integram o grupo três representantes da sociedade civil e três especialistas da área que são definidos a cada reunião. A expectativa é que o plano seja entregue ao CSC em dezembro deste ano.

Fonte: BRASIL CULTURA