Postagem em destaque

GRUPO DE CAPOEIRA CORDÃO DE OURO-NOVA CRUZ/RN REALIZOU O BATIZADO E TROCA DE CORDA FECHANDO COM CHAVE DE OURO! CONFIRAM!!!

FINAL - FOTO HISTÓRICA  - GRUPO DE CAPOEIRA CORDÃO DE OURO MOMENTO DO "ESQUENTE"  MOMENTOS DECISIVOS - MUITA CONCENTRAÇ...

sábado, 21 de abril de 2018

COMUNIDADES DA CONCEIÇÃO E DO MARANHÃO CRIAM ENTIDADE CULTURAL E DESPORTIVA - NOVA CRUZ-RN

 Momento da votação para aprovação dos Estatuto e Eleições da sua primeira Diretoria e Conselho Fiscal da ACDCCM-NOVA CRUZ-RN
 Agradecimento do presidente eleito da ACDCCM-NOVA CRUZ-RN, o popular BETINHO
 Momentos da Leitura e Aprovação do Estatuto da ACDCCM-NOVA CRUZ e /ELEIÇÕES DA 1º DIRETORIA E CONSELHO FISCAL
 Leitura da proposta do Estatuto da ACDCCM-Nova Cruz-RN e na sequência das Eleições da Diretoria e Conselho Fiscal
Eduardo Vasconcelos, Presidente do Centro Potiguar de Cultura - CPC;RN, lendo a proposta do Estatuto da ACDCCM-NOVA CRUZ/RN

Hoje (20) os moradores/as das Comunidades de Conceição e do Maranhão, reuniram-se para a aprovar seus ESTATUTOS e eleger sua primeira diretoria e seu conselho fiscal.

O evento aconteceu na comunidade do CONCEIÇÃO , apesar das chuvas, mas a comunidade, iva, portanto da Conceição como do Maranhão se fizeram presentes.

Após a estiagem da chuva as comunidades se reuniram e atingiram seus objetivos.

Estiveram presentes como convidados o atual presidente do Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN, Eduardo Vasconcelos e o popular zé do Tempero, suplente de vereador pelo PCdoB de Nova Cruz;

Diretoria eleita para mandato de 2 anos é composta por:

- ROBERTO MARCONE GUEDES - Presidente
- JOSÉ RICARDO CORDEIRO - Vice Presidente
- SABRINA FRANÇA - Secretária Geral
- MÔNICA TEODÓSIO - 1ª Secretária
- FRANCISCO CANINDÉ - Tesoureiro Geral
- WEDMA CORDEIRO - 1º TESOUREIRO 
- MAGNO DE FARIAS - Diretor de Cultura e Eventos

Conselho Fiscal
- TIAGO CARDOSO
- ANA LÚCIA CARDOS
- MARLON DO VALE


Joaquim José da Silva Xavier – Tiradentes 21 de abril


Vida deste importante personagem da História do Brasil, sua luta pela independência do Brasil, o movimento da Inconfidência Mineira, morte de Tiradentes.
Introdução 
O nome do líder da Inconfidência Mineira era Joaquim José da Silva Xavier. Nasceu na Vila de São Jose Del Rei (atual cidade de Tiradentes, Minas Gerais) em 1746, porém foi criado na cidade de Vila Rica (atual Ouro Preto).
Biografia resumida
Exerceu diversos trabalhos entre eles minerador e tropeiro. Tiradentes também foi alferes, fazendo parte do regimento militar dos Dragões de Minas Gerais.
Junto com vários integrantes da aristocracia mineira, entre eles poetas e advogados, Tiradentes começa a fazer parte do movimento dos inconfidentes mineiros, cujo objetivo principal era conquistar a Independência do Brasil. Tiradentes era um excelente comunicador e orador. Sua capacidade de organização e liderança fez com que fosse o escolhido para liderar a Inconfidência Mineira. Em 1789, após ser delatado por Joaquim Silvério dos Reis, o movimento foi descoberto e interrompido pelas tropas oficiais. Os inconfidentes foram julgados em 1792. Alguns filhos da aristocracia ganharam penas mais brandas como, por exemplo, o açoite em praça pública ou o degredo.
Tiradentes, com poucas influências econômicas e políticas, foi condenado à forca. Foi executado em 21 de abril de 1792. Partes do seu corpo foram expostas em postes na estrada que ligava o Rio de Janeiro a Minas Gerais. Sua casa foi queimada e seus bens confiscados.
Conclusão
Tiradentes pode ser considerado um herói nacional. Lutou pela independência do Brasil, num período em que nosso país sofria o domínio e a exploração de Portugal. O Brasil não tinha uma constituição, direitos de desenvolver indústrias em seu território e o povo sofria com os altos impostos cobrados pela metrópole. Nas regiões mineradoras, o quinto (imposto pago sobre o ouro) e a derrama causavam revolta na população. O movimento da Inconfidência Mineira, liderado por Tiradentes, pretendia transformar o Brasil numa república independente de Portugal.
Para saber mais: livros e filmes
Filme:
Os Inconfidentes. Joaquim Pedro de Andrade. Brasil, 1972
Livros:
BENTES, Ivana. “Independência ou Morte ”. Joaquim Pedro de Andrade: a revolução intimista. Rio de Janeiro : Relume-Dumará, 1996.
BERNADET, Jean-Claude. “O caso Tiradentes: notas ”. Piranha no mar de rosas . São Paulo: Nobel, 1982. RAMOS , Alcides Freire. “ A conjuntura política (1964-1972) e Os inconfidentes ”.  Canibalismo dos fracos: cinema e história do Brasil. São Paulo: Edusp, 2002.
Fonte: Brasil Cultura

Coprodução Brasil-Portugal concorrerá no Festival de Cannes


O longa-metragem brasileiro, em coprodução com Portugal, Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos concorrerá na principal mostra paralela do Festival de Cannes, Un Certain Regard (Um Certo Olhar). O documentário é dirigido pelo cineasta português João Salaviza e pela brasileira Renée Nader. Selecionado em 2014, a produção conta com recursos do Ministério da Cultura, por meio do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), em parceria com a Agência Nacional do Cinema (Ancine).
Gravado na aldeia Pedra Branca, terra indígena Krahô, em Tocantins, o filme apresenta Ihjãc, um jovem Krahô que, depois de um encontro com o espírito do falecido pai, se vê obrigado a fazer sua festa de fim de luto.
Neste ano, a seção paralela terá avaliação de um júri liderado pelo ator Benicio Del Toro. A 71ª edição do Festival de Cannes ocorrerá de 8 a 19 de maio na cidade francesa.

Brasil em Cannes

Outro representante do Brasil em Cannes será O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues. O longa-metragem, que recebeu R$ 3 milhões do Fundo Setorial do Audiovisual, é uma coprodução Brasil-França-Portugal e um dos sete filmes a serem exibidos na Sessão Especial do evento. Com os atores franceses Vincent Cassel e Catherine Mouchet e os brasileiros Mariana Ximenes, Jesuíta Barbosa, Bruna Linzmeyer e Juliano Cazarré no elenco, O Grande Circo Místico conta a história dos 100 anos de existência do Grande Circo e das cinco gerações de uma mesma família que estiveram à frente do espetáculo com suas histórias.