Postagem em destaque

GRUPO DE CAPOEIRA CORDÃO DE OURO-NOVA CRUZ/RN REALIZOU O BATIZADO E TROCA DE CORDA FECHANDO COM CHAVE DE OURO! CONFIRAM!!!

FINAL - FOTO HISTÓRICA  - GRUPO DE CAPOEIRA CORDÃO DE OURO MOMENTO DO "ESQUENTE"  MOMENTOS DECISIVOS - MUITA CONCENTRAÇ...

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Violência contra a mulher é tema do 1º Seminário de Direitos Humanos do ADURN-Sindicato, evento será realizado em Santa Cruz e Natal

I Seminário de Direitos Humanos
Proporcionar um espaço de discussão e reflexão acerca da temática da violência contra a mulher a partir de interlocuções entre docentes, pesquisadores e ativistas dos Direitos Humanos, é partindo dessa premissa que nos próximos dias 19 e 20 de novembro o Núcleo de Direitos Humanos: raça/etnicidade, gênero e sexualidades do ADURN-Sindicato realiza o seu primeiro seminário.
Com o título: “Quebre o Silêncio! Basta de Violência contra a Mulher”, a atividade fecha a campanha nacional de mesmo nome, realizada entre os dias 20 de setembro e 22 de outubro, pelo PROIFES-Federação em parceria com os sindicatos federados ADURN e APUB. Majoritariamente virtual, a campanha atingiu mais de 20 mil usuários nas redes e teve por objetivo sensibilizar as mulheres vítimas de violência a quebrarem o silêncio e denunciarem agressões, que também acontecem nas Universidades e no ambiente escolar.
Para o coordenador do Núcleo de Direitos Humanos do ADURN-Sindicato, Oswaldo Negrão, o evento se faz importante à medida que fomenta o debate em torno dos Direitos Humanos na universidade, para que se busque cada vez mais instrumentos de conscientização e combate às violências e desigualdades, neste caso contra a mulher.
A fim de proporcionar um debate mais amplo com a comunidade acadêmica, o evento será realizado em dois campi da UFRN, sendo dia 19 de novembro no auditório da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA), a partir das 14h, e no dia 20 de novembro no auditório da Biblioteca Central Zila Mamede, Campus Central da UFRN, a partir das 9h. A programação do evento contará com conferências, rodas de conversa e debates com nomes nacionais ligados ao assunto, como a Coordenadora Nacional do Comitê Latino Americano e Caribenho dos Direitos das Mulheres, Rúbia Abs da Cruz, e a Gerente de Projetos de Prevenção e Eliminação da Violência contra as Mulheres da ONU Mulheres Brasil, Carolina Ferracini.
Veja abaixo a programação completa do seminário em Santa Cruz e em Natal:

PROGRAMAÇÃO | Santa Cruz

19 de novembro de 2018 - Auditório da FACISA

14h MESA DE ABERTURA
Edvaldo Vasconcelos – Diretor da Facisa/UFRN
Wellington Duarte – Presidente do ADURN-Sindicato
Nilton Brandão – Presidente do PROIFES-Federação
14h30 RODA DE CONVERSA: O que são Direitos Humanos?
Rúbia Abs da Cruz -  Coordenadora Nacional do Comitê Latino Americano e Caribenho dos Direitos das Mulheres - CLADEM Brasil
Ilidiana Diniz - Professora do curso de Serviço Social (UFRN) e membro do Grupo de Estudos e Pesquisa Ética, Trabalho e Direitos
15h30 DEBATE
16h INTERVALO
16h MESA – O papel do Estado no enfrentamento das violências
Érica Canuto – Promotora da Defesa da Mulher do Ministério Público do RN
Rosivaldo Toscano - Juiz Titular do 3º Juizado da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Natal/RN
Rúbia Abs da Cruz - Coordenadora Nacional do Comitê Latino Americano e Caribenho dos Direitos das Mulheres - CLADEM Brasil
17h DISCUSSÃO
17h30 ENCERRAMENTO 

PROGRAMAÇÃO | Natal

20 de novembro de 2018 - Auditório da Biblioteca Central Zila Mamede/UFRN

9h MESA DE ABERTURA
Ângela Paiva – Reitora da UFRN
Wellington Duarte – Presidente do ADURN-Sindicato
Nilton Brandão – Presidente do PROIFES-Federação
Ilana Lemos – Representante do Centro de Referência em Direitos Humanos Marcos Dionísio
Guiomar Veras - Coordenadora da Pastoral Carcerária do RN
10h RODA DE CONVERSA: O que são Direitos Humanos?
Rúbia Abs da Cruz -  Coordenadora Nacional do Comitê Latino Americano e Caribenho dos Direitos das Mulheres - CLADEM Brasil
Carolina Ferracini - Gerente de Projetos de Prevenção e Eliminação da Violência contra as Mulheres da ONU Mulheres Brasil
11h30 INTERVALO PARA ALMOÇO
13h30 APRESENTAÇÃO CULTURAL
14h MESA 1 - Violência Institucional Contra a Mulher
Ilidiana Diniz - Professora do curso de Serviço Social (UFRN) e membro do Grupo de Estudos e Pesquisa Ética, Trabalho e Direitos
Prof. Dra. Thaís Madeira – ADUFSCar-Sindicato
15h DEBATE
15h30 INTERVALO/ APRESENTAÇÃO CULTURAL
16h MESA 2 – O papel do Estado no enfrentamento das violências
Érica Canuto – Promotora da Defesa da Mulher do Ministério Público do RN
Rosivaldo Toscano - Juiz Titular do 3º Juizado da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Natal/RN
Ana Paula Vasconcelos – Delegada  da DEAM
Rúbia Abs da Cruz - Coordenadora Nacional do Comitê Latino Americano e Caribenho dos Direitos das Mulheres - CLADEM Brasil
17h DISCUSSÃO
17h30 ENCERRAMENTO
Fonte: ADURN 

UFRN consulta comunidade universitária para eleição de reitor

UFRN consulta comunidade universitária para eleição de reitor
A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza nesta terça-feira, 13, a consulta à comunidade universitária para eleição de reitor e vice-reitor pelo Conselho Universitário (Consuni). É assegurado o direito de voto a todos os servidores efetivos ativos do quadro de pessoal da UFRN – professores e técnico-administrativos – e a todos os alunos regulares da instituição, matriculados ou em mobilidade. Assim, são eleitores os estudantes dos cursos presenciais ou a distância de graduação, pós-graduação e do ensino técnico integrado ou técnico subsequente, além dos residentes vinculados às residências médicas e multiprofissionais. É permitido votar apenas uma vez e por uma única categoria, mesmo que o servidor ou aluno pertença a mais de uma das categorias participantes.
A consulta será realizada das 7h às 22h30, pelo Sistema Integrado de Gestão de Eleições (SIGEleição), no endereço www.sigeleicao.ufrn.br. Os participantes podem votar de qualquer dispositivo eletrônico, como tablets, smartphones e computadores. Aos que precisarem de acesso à internet ou auxílio no processo, será disponibilizado um laboratório de informática em cada campus da UFRN, com recursos humanos e tecnológicos para facilitar a votação. O presidente da Comissão Eleitoral, professor Djalma Ribeiro da Silva, ressalta a importância de participação da comunidade universitária na consulta, pois assegura a representatividade entre os servidores e estudantes da chapa única inscrita para o mandato 2019-2023. São candidatos aos cargos de reitor e vice-reitor, respectivamente, os professores José Daniel Diniz Melo, atual vice-reitor, e Hênio Ferreira de Miranda, atual diretor do Centro de Ciências da Saúde (CCS).
“Mesmo na situação de chapa única, é essencial termos mais de 50% de participação de todas as categorias, pois os votos comprovam a aceitação da comunidade universitária aos candidatos”, explica Djalma Ribeiro. Os votos são paritários, isto é, cada categoria – professores, técnico-administrativos e alunos – representa 1/3 do argumento final da chapa. O resultado da consulta será conhecido no mesmo dia, após o encerramento do período de votação, e a divulgação ficará a critério da Comissão Eleitoral.
Fonte: ASCOM – Reitoria/UFRN

Senado aproveita onda de retrocessos e dá força ao desmonte da educação

O Senado Federal aprovou na quarta-feira (7), o corte de 50% dos recursos do Fundo Social do Pré-Sal, destinado ao investimento nas áreas de educação e saúde pública.
 
 O percentual do Fundo Social...
Por Leidiane Souza
O Senado Federal aprovou na quarta-feira (7), o corte de 50% dos recursos do Fundo Social do Pré-Sal, destinado ao investimento nas áreas de educação e saúde pública.
O percentual do Fundo Social do Pré-Sal começou a ser destinado à educação em 2013, quando a presidenta Dilma Rousseff sancionou a Lei 12.351/2010. A matéria aprovada recomendava que os recursos fossem utilizados até que o país alcançasse as metas do Plano Nacional de Educação (PNE).
O texto aprovado pelo Senado determina que as verbas que iriam para o Fundo sejam usadas para expandir a rede de gasodutos no país, sendo 20% para expansão de gasodutos e 30% para os fundos de participação dos Estados (FPE) e Municípios (FPM).
A matéria foi incluída no Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 209/2015, de autoria do Senador Ronaldo Caiado, que tratava do pagamento de multas indenizatórias a usuários e consumidores prejudicados pelas distribuidoras de energia, através de um acordo costurado pelo relator, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo Michel Temer no Senado.
Segundo a diretora do Sinpro/DF, Rosilene Corrêa, a decisão do Senado indica o aprofundamento do sucateamento da educação pública, iniciada com a PEC do Teto de Gastos. “O desmonte da educação se intensificou assim que o governo golpista assumiu, quando houve a alteração das regras de exploração do Pré-Sal. Tiraram a autonomia da Petrobras e abriram para o mercado privado. Mais este ataque é a consagração de que estão indo além do congelamento da educação por 20 anos, imposto com a PEC 55. Os recursos que já não eram suficientes para a educação, mas  apontavam para um possível avanço, agora, serão reduzidos ainda mais”, afirma.
Segundo ela, “mais que nunca, precisamos ser fortes e atuar no enfrentamento aos retrocessos”.
O projeto de lei aprovado no Senado foi encaminhado para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e para a CI, em decisão terminativa, que é aquela tomada por uma comissão, com valor de uma decisão do Senado. Em decisão terminativa, depois de aprovados pela comissão, alguns projetos não vão a Plenário, são enviados diretamente à Câmara dos Deputados, encaminhados à sanção, promulgados ou arquivados.
Fonte: SINPRO/DF

Brasil é excluído de Convenção sobre biodiversidade

De 17 a 29 de novembro, a Organização das Nações Unidas (ONU) realizará a 14º Convenção da Diversidade Biológica (COP-10). O evento, que acontece no Egito, reúne ONGs, cientistas e representes...
Por Leidiane Souza 
De 17 a 29 de novembro, a Organização das Nações Unidas (ONU) realizará a 14º Convenção da Diversidade Biológica (COP-10). O evento, que acontece no Egito, reúne ONGs, cientistas e representes de mais de 40 países para discutir a preservação da biodiversidade. Mas, apesar de concentrar 20 % das riquezas biológicas a nível mundial, o Brasil não poderá opinar nas questões pertinentes ao tema. Isso porque o Congresso não ratificou adesão ao Protocolo de Nagoia.
O Protocolo de Nagoia é um Tratado internacional, adotado pelos participantes da COP-10, em 29 de outubro de 2010 em Nagoia, Japão. Porém, o acordo só entrou em vigor em outubro de 2014, quando foi ratificado por 51 países, como definido em seus termos. Seu principal objetivo é a repartição justa e equitativa entre seus membros dos benefícios decorrentes dos recursos genéticos provenientes das plantas, animais e micro-organismos.
De acordo com a integrante do Coletivo de Meio Ambiente do Sinpro/DF, Iolanda Rocha, ao deixar de participar da convenção, o Brasil coloca a natureza em risco e ainda pode abrir brechas para o aumento exploração por parte agronegócio, maior interessado na exploração ambiental. “Estamos vivendo um momento extremamente difícil de retrocessos e desrespeito às culturas, tradições e saberes o povo brasileiro. Esses parlamentares que se recusaram a ratificar o Protocolo de Nagoia colocam em xeque o equilíbrio necessário para as políticas públicas no setor, apenas para gerar lucros com o agronegócio.  A vida não importa para eles. Ignorar um tratado tão importante como este é ignorar os saberes tradicionais dos povos indígenas e quilombolas que deveriam ser prioridade. É inadmissível atitudes como essa no Congresso Nacional. A nossa biodiversidade é riquíssima e precisa ser respeitada e valorizada. Sabemos que a pauta ambiental é vital para a manutenção do nosso clima. Precisamos defendê-la”.

A Convenção

A Convenção sobre a Diversidade Biológica tem como principais objetivos a discussão sobre a conservação da diversidade biológica, a utilização sustentável dos seus componentes e a partilha justa e equitativa dos benefícios provenientes da utilização dos recursos genéticos. A Convenção é o primeiro acordo que engloba todos os aspetos da diversidade biológica: genomas e genes; espécies e comunidades; habitats e ecossistemas.
Fonte: SINPRO-DF

Carlos Alberto de Paula, não por acaso um brasileiro

Carlos Alberto de Paula vai receber, merecidamente, um presente em forma de música na próxima quarta-feira, dia 14 de novembro em Curitiba.
Familiares, amigos, colegas de trabalho se organizaram e vão promover no Teatro Paiol, em Curitiba, um show em homenagem ao professor, músico, produtor cultural, ator, intelectual e pensador paranaense, natural de Paranavaí, e que já percorreu o Brasil e outras partes do planeta com seu trabalho e suas contribuições para a construção de um mundo melhor.
Para garantir qualidade de vida ao paciente, são necessários recursos materias e tecnológicos caros. O show no Paiol – ingressos a R$ 50 e R$ 25 – tem o objetivo de arrecadar dinheiro para custear essas despesas.
O espetáculo será conduzido por músicos que foram parceiros de Carlos Alberto de Paula ao longo da carreira do artista. Relembrará “Caso Brasileiro”, apresentação ocorrida há 40 anos, e da qual o Professor Carlos teve participação brilhante, tocando sua flauta transversal, sax alto e harmônica. Ele colaborou ainda na produção e divulgação do espetáculo.
Daí vem o nome do show deste 14 de novembro: “Carlos, não por acaso um brasileiro”.
TRAJETÓRIA
Mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Carlos Alberto de Paula lecionava no Colégio Estadual do Paraná, quando precisou se afastar para tratar da doença.
Além do trabalho em sala de aula, sempre muito valorizado e respeitado pelos colegas de profissão, e admirado pelos estudantes, o professor exerceu uma série de outras atividades em prol do ensino público.
Na primeira década dos anos 2000, por exemplo, atuou no Departamento de Educação Básica da Secretaria de Estado da Educação do Paraná, contribuindo com a gestão da pasta.
Fez parte da equipe do programa “Livro Didático Público” – referência nacional – responsável pela publicação da disciplina de Artes. Construiu documentos e artigos até hoje balizadores dos currículos escolares. Também no período, ministrou curso de extensão para professores da rede pública.
Como ator, se destacou principalmente no teatro, mas a participação no filme “Batalha de Guararapes” (1978) foi um dos trabalhos marcantes, e que, 40 anos depois, faz o próprio Carlos citar a experiência como uma das mais inusitadas de sua trajetória.
SOBRE O SHOW
Quem quiser até o Teatro Paiol prestar a homenagem a Carlos Alberto de Paula pode entrar em contato com os familiares do professor, por meio do evento criado no facebook, para informar presença e providenciar os ingressos.
Contamos com a sua presença para agitar o Teatro do Paiol neste show dedicado ao Professor Carlos, apoiando a MUSELA [nome do projeto de apoio a Carlos; ver aqui] e também em comemoração aos 40 anos do espetáculo ‘Caso Brasileiro’ do qual o Carlos Alberto De Paula participou brilhantemente tocando flauta transversal,sax alto e harmônica; além de colaborar na produção e divulgação.

Este projeto começou como iniciativa para resgatar a história do trabalho do professor Carlos, músico, produtor cultural, atuante na área da educação.
Esta carreira foi prematuramente interrompida, quando no dia 22 de março de 2016, após sentir dificuldade em segurar as notas de sua flauta transversal, o professor teve o diagnóstico de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) confirmado, uma doença progressiva, incurável e terminal, com expectativa de vida de 2 anos. Também conhecida como doença do neurônio motor e doença de Lou Gehrig, é uma condição que causa a morte dos neurônios de controle dos músculos voluntários.
A causa não é conhecida em 90% a 95% dos casos, cerca de 5-10% dos casos são genéticos com alterações em um de dois genes específicos. O único tratamento conhecido é de um remédio, o Riluzol, que promete prolongar a vida por cerca de duas semanas a três meses em alguns casos. É preciso que o paciente a partir de um determinado estágio da doença, seja acompanhado de perto por outra pessoa em função da incapacidade de executar as suas tarefas rotineiras. Como a doença não afeta as suas capacidades intelectuais, o paciente percebe tudo que acontece a sua volta, vivência, por isso, lucidamente a doença e a sua progressão, havendo porém dificuldades de comunicação com outras pessoas, caso já exista comprometimento dos músculos da fala.
Foi com o rápido avanço do quadro evolutivo da doença e procura de diversos tratamentos paliativos, além da equipe multidisciplinar, que começamos a unir os amigos que fizeram parte da história para juntarmos forças.
UM GRANDE,FESTIVO E FRATERNO ENCONTRO COM OS AMIGOS/ARTISTAS:
* Beto Collaço -composições-voz/violão;
* Carlos Lopes Pereira – voz e percussão; com Jonas -violão/voz; Rafael Deina -cavaquinho,voz e percussão;
* Daniele Franco – canto & Hermes Drechsel – piano;
* Daniel Faria – composições,canto e violão;
* Dirceu Wolff Filho – voz/violão, charango e percussão;
Fredy Estupiñan Carranza –
* Guego Favetti -composições – voz/violão;
* Luiz Antonio Ferreira -composições -voz/violão/guitarra;
* Nice Luz – canto (com Guego Favetti ao violão)
* Nicholas Rugenski -bateria – com Johann Lasperg-guitarra;Giuliano Zem -contrabaixo;Leonardo Castilho-voz/violão e Matheus Quincas Suzin-voz.
* Orlando Baumel – sax tenor;
* Rosy Greca – composições -voz/violão;
* Ronald Magalhães – composições -voz/piano/violão – com Ana Vargas -canto;e Sérgio Kowalski – clarinete;

* Silviane Stockler & Jackson Lima – vozes & violões.”

Curitiba recebe “Marcha do Orgulho Crespo” pelo Mês da Consciência Negra

No dia 17 de novembro, um dos movimentos nacionais mais expressivos pela valorização do negro será realizado em Curitiba. A “Marcha do Orgulho Crespo” integra a programação do Mês da Consciência Negra, promovido pela Secretaria de Estado da Cultura do Paraná (SEEC).
A marcha busca a valorização da identidade e da ancestralidade negra, a representatividade, a autoestima, a livre expressão do cabelo natural e o empoderamento da mulher negra na sociedade. A concentração para o evento será em frente ao Prédio Histórico da UFPR e irá até a Sociedade 13 de Maio, onde haverão outras apresentações.
Outras atividades
Outros eventos em novembro acontecem pelo Mês da Consciência Negra como o 53º Festival de Música e Poesia de Paranavaí (FEMUP), de 14 a 17, em Paranavaí e a “Oficina de turbantes com Samara Rosa”, dia 12/11, das 14h às 16h, no município de Pinhais.
Mês da Consciência Negra
O Mês da Consciência Negra celebra o Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro. São 92 atividades como oficinas, palestras, debates e shows que colocam a questão do negro, do preconceito e do papel dele na sociedade no centro das discussões. Confira aqui a programação completa.
Serviço:
 “Marcha do Orgulho Crespo”, pelo Mês da Consciência Negra
17 de novembro, das 10h às 18h30
Concentração na UFPR | Praça Santos Andrade, 50 – Centro- Curitiba/PR
até a Sociedade 13 de Maio | Rua Desembargador Clotário Portugal, 274. Curitiba/PR
“Oficina de turbantes com Samara Rosa”
12 de novembro,  das 14h às 16h
Centro Cultural Wanda dos Santos Mallmann Rua 22 de abril, 305
“53º Festival de Música e Poesia de Paranavaí (FEMUP)”
14 a 17 de novembro
Mais informações: www.paranavai.pr.gov.br
Fonte: SEEC