Postagem em destaque

IMPORTÂNCIA DO ISOLAMENTO SOCIAL NO COMBATE À COVID-19

O que é isolamento social Nos últimos meses, o isolamento social ganhou uma importância inédita, devido ao combate à COVID-19. O termo ...

sexta-feira, 6 de março de 2020

Visitação ao Parque Nacional do Iguaçu cresce 15% em fevereiro

Número de visitantes superou o registrado no mesmo período de 2019; turistas de 129 países estiveram na unidade de conservação
A visitação ao Parque Nacional do Iguaçu (PR) registrou aumento em relação ao mesmo período do ano passado. Em fevereiro de 2020, 155.771 pessoas passaram pela atração, 15% a mais do que as 134.474 que passaram pela unidade de conservação no mesmo mês em 2019. O Parque Nacional do Iguaçu é considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco e uma das Novas Sete Maravilhas da Natureza.
De acordo com dados da administração, turistas de 129 países estiveram na atração em fevereiro. Os brasileiros lideraram com 72.418 pessoas. A lista de países que mais visitaram o Parque em fevereiro traz na segunda colocação a Argentina (27.049), seguida de Paraguai (6.287), Estados Unidos (6.239) e França (3.745). Já o ranking de turistas por estado brasileiro é liderado por São Paulo (26.728). Paraná (19.054), Rio Grande do Sul (5.067), Rio de Janeiro (4.760) e Santa Catarina (4.366) ficaram logo atrás.
Em dezembro de 2019, o Parque Nacional do Iguaçu registrou a marca de dois milhões de visitantes na unidade de conservação que abriga as famosas Cataratas do Iguaçu. As atividades relacionadas ao turismo correspondem a mais de 50% da arrecadação de Foz do Iguaçu (PR) e quase 30% da economia da cidade está relacionada à visitação do parque, responsável por mil empregos diretos e cerca de 15 mil indiretos.
O Parque Nacional do Iguaçu é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão federal responsável pela administração das unidades de conservação federais do Brasil. Desde 1999 o parque conta com a gestão dos serviços de visitação turística da concessionária Cataratas do Iguaçu S.A., empresa genuinamente iguaçuense, que integra o Grupo Cataratas.
Em seus 185 mil hectares de florestas, guarda a memória dos ambientes naturais da Região Oeste do Paraná. A memória das paisagens naturais, dos rios e riachos livres, límpidos e cheios de vida protege uma vasta, rara e especial manifestação de nossa fauna e flora. Em seu território, o Parque Nacional abriga perto de 400 espécies de aves, 158 espécies de mamíferos, 175 espécies de peixes, mais de duas mil espécies de plantas e mais de 750 espécies de borboletas.
Ranking de visitação ao Parque Nacional do Iguaçu – Fevereiro 2020
 Países
1 – Brasil: 72.418
2 – Argentina: 27.049
3 – Paraguai: 6.287
4 – Estados Unidos: 6.239
5 – França: 3.745
6 – Inglaterra: 3.177
7 – Coreia do Sul: 3.026
8 – Alemanha: 3.018
9 – Israel: 2.962
10 – Chile: 2.681
Estados
1 – São Paulo 26.728
2 – Paraná: 19.054
3 – Rio Grande do Sul: 5.067
4 – Rio de Janeiro: 4.760
5 – Santa Catarina: 4.366
6 – Minas Gerais: 2.185
7 – Bahia: 1.542
8 – Mato Grosso do Sul: 1.051
9 – Espírito Santo: 839
10 – Pernambuco: 710
Edição: Vagner Vargas
Fonte: Portal BRASIL CULTURA

As 10 cidades mais altas do Rio Grande do Norte

10ª Coronel Ezequiel


A pequena cidade de cerca de 6 mil habitantes tem em torno de 
584 metros de altitude

9ª Serrinha dos Pintos

Foto: Bruno Souza via: serrinhapintos.blogspot.com-
A cidade que é emancipada da cidade de Martins (RN) tem cerca de 615 metros de altitude

8ª Luís Gomes

Foto: Foto Ideal
Essa que é emancipada da quente cidade de Pau dos Ferros (no Alto Oeste Potiguar), tem cerca de 636 metros de altitude

7ª Portalegre

Foto: www.jornalpotiguar.com
O “Paraíso Serrano” do Rio Grande do Norte tem cerca de 642 metros de altitude

6ª Venha-Ver


A cidade que abriga o ponto mais alto do Rio Grande do Norte, a Serra do Coqueiro (link), não é a mais alta do estado, e tem cerca de 
650 metros de altitude

5ª São Miguel


A maior produtora de milho do Rio Grande do Norte tem cerca de 679 metros de altitude

4ª Jaçanã

Foto: www.jacanafotosrn.blogspot.com
A pequena Jaçanã é alta e tem temperaturas amenas. Ela tem cerca de 684 metros de altitude

3ª Lagoa Nova

Foto: www.paisagensdoserido.openbrasil.org
A cidade fria que fica próxima à Currais Novos tem cerca de 686 metros de altitude

2ª Martins

Foto: www.jaldesmar-costa.blogspot.com
Considerada a cidade mais fria do RN, ela tem cerca de 703 metros de altitude

1ª Tenente Laurentino Cruz


A pequena cidade de cerca de 6 mil habitantes é considerada uma das mais frias do Rio Grande do Norte. Ela registra alturas entre 
740 e 750 metros, no mirante “Pedra da Lagoa” pode se registrar até 837 metros.

Gostou? Veja compartilhe com seus amigos!
Fonte: CURIOZZZO

Foi um natalense o primeiro civil a morrer pilotando um avião no Brasil

Era 23 de Maio de 1930, manhã de uma Sexta feira. Desde bem cedo alunos do curso de pilotagem da “Escola de Voo Aeroclube” circulavam pelo campo de pouso da instituição.
O Aeroclube do Rio Grande do Norte havia sido fundado há dois anos atrás, em 29 de dezembro, e possuía uma boa infraestrutura de ensino aeronáutico, com sede, hangar e duas aeronaves modelos “Blue Bird”: a Natal I e a Natal II.
post-natalense-primeiro civil-morrer-pilotando-aviao-brasil-aeroclube-faixada-antiga-preto-e-branco
Aeroclube de Natal
Eles estavam no hangar da escola, se preparando para uma costumeira aula de voo sobrevoando a “periferia” da pequena cidade de Natal, na região do atualmente populoso e verticalizado bairro do Tirol.
A turma de futuros pilotos civis, que haviam se matriculado em Dezembro do ano anterior, era formada por filhos da elite da sociedade local. Nela estavam: Otávio Lamartine, Fernando Pedroza, Aldo Carielo, Eloy Caldas, Plínio Saraiva e Edgar Dantas.
Naquela tranquila manhã, segundo o jornal “A Republica”, o aluno Plinio Saraiva não se encontrava, mas estavam presentes o mecânico Abel de Oliveira e o instrutor carioca e militar da Marinha do Brasil, Djalma Fontes Cordovil Petit, que era também muito hábil com um avião em mãos.
post-natalense-primeiro civil-morrer-pilotando-aviao-brasil-djalma-petit
Djalma Petit (à esquerda) e Juvenal Lamartine (à direita). Foto da Revista Cigarra. Fonte-http://peryserranegra.blogspot.com
Os primeiros a fazerem voos foram Otávio Lamartine e Eloy Caldas à bordo do avião Natal I. Logo depois subiria à bordo o aluno Edgar Dantas. No exercício daquele dia cada aluno deveria decolar, dar duas voltas no campo do clube e depois aterrissar. Uma tarefa aparentemente simples.
Segundo relatos, Edgar fez uma decolagem tranquila, efetuando suas duas voltas sem problemas, porém, segundo o jornal A Republica, o jovem de apenas 21 anos já no final do seu exercício quando se preparava para aterrisar, realizou uma manobra imprudente, fazendo uma curva fechada a apenas 20 metros do solo, e o resultado foi desastroso.
A notícia do acidente na época pelo jornal A Republica
Para a surpresa de todos, devido tanto à pouca velocidade quanto à baixa altitude, o avião foi de encontro ao solo. A aeronave, conforme você pode ver na foto abaixo, caiu quase que na vertical. Edgar foi atingido por uma estaca de uma cerca em um curral, e fraturou seu crânio no frontoparietal, provocando forte hemorragia.
post-natalense-primeiro civil-morrer-pilotando-aviao-brasil-queda
Segundo o escritor Paulo Pinheiro de Viveiros, autor livro “História da aviação no Rio Grande do Norte”, do hangar do Aeroclube o instrutor Petit disse “-Vejam como se morre em plena mocidade!”.
post-natalense-primeiro civil-morrer-pilotando-aviao-brasil-turma-edgar-dantas-djalma-petit
Edgar Dantas é o primeiro a esquerda. Ao centro, de branco, o instrutor Petit. Foto: Jorge Maciel
Gostou desta história? Então você precisa ver também: 5 curiosidades sobre o dia em que o Zeppelin sobrevoou Natal
Fonte: Rostand Medeiros do TOK de História

7 prédios históricos no centro de Natal (RN) que são belos exemplos de conservação e respeito - Por Henrique Araujo

7 prédios históricos no centro de Natal (RN) que são belos exemplos de conservação e respeito.

Hospital Infantil Varela Santiago, Av. Deodoro da Fonseca.
Igreja da rua João Pessoa (em frente às Lojas Riachuelo)
Memorial da Justiça (em frente a parada metropolitana)
Museu Café Filho
Casarão na Av. Deodoro da Fonseca (ao lado do Nordestão)
Casarão por trás da Igreja Matriz
Casa da “Viúva Machado”
Depois daqueles 6 lugares lamentavelmente abandonados em Natal (RN), aqui estão 7 belos exemplos de conservação do patrimônio e da história da cidade, registrados pelas lentes do fotógrafo Jeronymo Tinoco – pra não dizerem que não falamos de flores:
Lembrando sempre que é preciso respeitar a história, preservando objetos, monumentos, prédios e etc, antigos de nossas localidades. E você que ta aí lendo esse post deve ajudar sempre que possível, combinado?
Ah e pra ver mais fotos do Jeronymo clique aqui!
Fonte: CURIOZZZO