Postagem em destaque

A hora e a vez de lutar pelo Fundeb

Prestes a vencer, programa imprescindível para educação básica no país precisa ser reeditado com melhorias Programa fundamental para ed...

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Primeira vez na Bienal? Conheça o ABC da maior mostra estudantil da América Latina

É a primeira vez que a UBES integra o festival cultural estudantil. Entenda o dicionário das atividades que unem festa à resistência.

De 6 a 10 de fevereiro de 2019, a produção cultural da juventude de todo o Brasil vai tomar Salvador, na 11º Bienal da UNE – Festival dos Estudantes.
Pela primeira vez, secundaristas e pós-graduandos se integrarão à maior mostra estudantil da América Latina, há 20 anos realizada apenas por universitários. Desta vez, o evento é convocado ao mesmo tempo pela União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e a Associação Nacional dos Pós-Graduandos (ANPG).
Isso quer dizer que secundas terão oportunidade de expor trabalhos artísticos, assistir a artistas consagrados, conhecer a cultura de estudantes do país todo e pensar o Brasil por meio da arte.
A ideia é uma grande união de resistência pela festa. Com o tema “Gilberto Gil: Um reencontro com o Brasil”, o festival faz “um convite ao reencontro do Brasil da fé, do futebol, da festa em meio à resistência” para “forjar a nossa sobrevivência, o nosso futuro”, como explica o manifesto desta edição.
Como tudo isso acontece? Para os novatos curiosos, segue o dicionário da Bienal da UNE – Festival dos Estudantes:

DICIONÁRIO DA BIENAL DA UNE – FESTIVAL DOS ESTUDANTES

MOSTRAS SELECIONADAS: Apresentação dos trabalhos inscritos por estudantes e selecionadas pela curadoria. São 8 mostras de artes dos estudantes: música, artes cênicas, audiovisual, artes visuais, literatura, projetos de extensão, ciência e tecnologia. Quem é selecionado para apresentar seus trabalhos tem o pagamento da inscrição estornado.
MOSTRAS CONVIDADASApresentação de artistas e intelectuais consagrados que dialogam com os conceitos de cada mostra e com o tema da Bienal. São 7 mostras convidadas: música, artes cênicas, audiovisual, artes visuais, literatura e projetos de extensão.
LADO C: Atividades de interação dos estudantes com a cidade que sedia a Bienal, principalmente as comunidades periféricas.
ENCONTROS: Debates sobre o tema da Bienal com artistas, intelectuais, ativistas, gestores culturais e políticos. O tema desta edição será: “Gilberto Gil: Um reencontro com o Brasil”.
OFICINAS: Espaços de prática e aprendizagem dos estudantes ministrados por artistas.
CULTURATA: Passeata de encerramento, um cortejo carnavalesco pelas ruas da cidade-sede.
Bateu ansiedade? Confirme presença no evento do Facebook.
Fonte: UBES

Últimos dias para inscrição no edital do Programa Praça do Circo

Curitiba – Às 12h, deste domingo (02/12) encerra o prazo para inscrição no edital do Programa Praça do Circo. A iniciativa, inédita no país, visa selecionar companhias circenses itinerantes de médio porte de todo o Brasil, que tenham interesse em utilizar um dos dois espaços públicos disponibilizados em Curitiba.
As inscrições, exclusivamente online, podem ser feitas no link: www.sic.cultura.pr.gov.br/cadastro. Para acessar o edital de chamamento público, disponível no site da Fundação Cultural, e obter informações sobre o processo de inscrição, acesse aqui:
Podem participar do edital pessoas jurídicas regularmente estabelecidas no país, cuja finalidade e ramo de atuação principal seja produção de espetáculos circenses, que tenham lona própria compatível ao local destinado e experiência profissional em espetáculos na área.
Cadastro
Os interessados devem estar cadastrados como agente cultural, pessoa jurídica, no Portal da Cultura (SIC – Sistemas de Informações Culturais). Quem não tem o cadastro, ou está com as informações desatualizadas, deve acessar o endereço eletrônico: www.sic.cultura.pr.gov.br/cadastro/agente para se cadastrar ou atualizar os dados.
Praça do Circo
O programa “Praça do Circo” foi criado para acomodar circos nacionais, de médio porte, em espaços públicos de Curitiba. Inicialmente serão disponibilizadas áreas em dois parques da cidade: o Barigui e o Parque Náutico. O período de autorização de uso dos espaços será de até 90 dias corridos, podendo ser prorrogado.
Como contrapartida para uso dos espaços públicos, os circos participantes do programa realizam apresentações gratuitas e destinam 10% da lotação de cada espetáculo para estudantes das escolas públicas e outros projetos sociais mantidos pela Prefeitura de Curitiba.
Demanda antiga da classe circense, a concessão de espaços públicos foi criada pela Lei Municipal Nº 15.129, aprovada em 1º de dezembro de 2017. A assinatura do Decreto de Regulamentação da Lei e o lançamento do programa ocorreram em outubro como parte das comemorações do Dia das Crianças, no Circo Zanchettini, montado no Parque Barigui especialmente para a abertura do programa.
Espaços
Localizado na região central da cidade, o Barigui é um dos mais frequentados parques de Curitiba, principalmente nos finais de semana. Foi disponibilizado para o programa uma área gramada de aproximadamente 7.000m², onde ficava um antigo parque de diversões.
Outro espaço disponibilizado fica no Parque Náutico, na região sul da cidade. A área de 5.260,56m², localizada na avenida Marechal Floriano Peixoto, recebeu melhorias para receber as companhias.
Serviço:
Últimos dias para Inscrição no Edital de Chamamento Público Praça do Circo
Inscrições: até às 12h do dia 02 de dezembro de 2018

Acesso ao edital no link:
Cadastramento de Agentes Culturais: www.sic.cultura.pr.gov.br/cadastro/agente
BRASIL CULTURA

Confira o resultado do Prêmio de 200 Anos de Independência

O Ministério da Cultura publicou, no Diário Oficial da União, o resultado final do Prêmio de Incentivo à Publicação Literária, 200 Anos de Independência. Foram selecionadas 25 obras literárias inéditas com livre abordagem sobre o bicentenário da Independência do Brasil. A premiação para cada obra é de R$ 40 mil.
Dentre os premiados, há autores já experientes, como Marcelo Duarte, que escreveu o Guia dos Curiosos (1995); Eduardo Bueno, autor de A Viagem do Descobrimento (1998), Náufragos, Traficantes e Degredados (1998), Capitães do Brasil (1999) e A Coroa, a Cruz e a Espada (2006); e Adelice dos Santos Souza, que já publicou os livros Adestradora de Galinhas (2014), Kali, Senhora da Dança (2013) e O Homem que Sabia a Hora de Morrer (2012). Confira aqui a lista com todos os vencedores.
Para receber o prêmio, os autores têm cinco dias corridos para enviar ao MinC, por meio do e-mail premioliterario200anos@cultura.gov.br, a documentação complementar que está especificada no artigo 14 do edital.

Acesso Rápido

Representatividade

Dos 33 autores dos livros premiados, 14 são mulheres, 42% do total dos selecionados. Há obras de quatro das cinco regiões brasileiras, sendo dois da Região Centro-Oeste (8%), três da Região Sul (12%), seis da Região Nordeste (24%) e 14 da Sudeste (56%).
De acordo com a coordenadora geral do Departamento do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Ministério da Cultura, Ana Cristina Araruna Melo, “o resultado do edital foi muito gratificante e democrático porque as obras selecionadas contemplaram autoras e autores de várias regiões e os mais diversos gêneros literários”.
Para Guilherme Relvas, diretor do DLLLB, “a importância do Edital está na promoção, valorização e difusão da literatura brasileira, assim como na divulgação de autores e das produções literárias, impulsionando uma reflexão nacional sobre o país, seu futuro e contribuindo para a construção de uma agenda de desenvolvimento”.

#Leituragerafuturo

O Prêmio de Incentivo à Publicação Literária, 200 Anos de Independência, integra o Programa Leitura Gera Futuro, lançado no início do segundo semestre. Além dessa premiação, outros três editais compõem o programa destinados ao fomento à criação de bibliotecas digitais, à realização de feiras literárias e à seleção de obras literárias inéditas sobre os 100 Anos da Semana de Arte Moderna de 1922. Foram disponibilizados, ao todo, R$ 7 milhões nesses quatro certames.
Confira a tabela com o resultado final dos selecionados:
Fonte: Brasil Cultura

Natal Luz é vetor econômico da cidade de Gramado

De outubro a janeiro, Gramado, no Rio Grande do Sul, poderia ser confundida com a vila do Papai Noel. O Natal Luz, evento que chega à sua 33ª edição nesse ano, mobiliza toda a cidade e atrai milhões de turistas para a região. A cidade, que já tem clima semelhante ao europeu, se enfeita para acolher seus visitantes com o melhor de suas tradições, arte, culinária e hospitalidade.
Mas nem sempre foi assim. Antes do evento, Gramado ficava vazia durante o verão, já que os moradores se dirigiam para o litoral com o objetivo de aproveitar o período das férias. Foi quando um grupo de empresários, acostumados às festas natalinas da Europa e dos Estados Unidos, decidiu mudar essa tendência e criar um festival que pudesse trazer fluxo turístico para cidade na temporada de veraneio. Estava criado o Natal Luz.
Desde então, o evento se tornou o principal vetor econômico turístico e cultural de Gramado. Por temporada, mais de quatro mil empregos diretos são criados e para cada real investido pela organização, R$ 35 são gerados em retorno para o município. Próximo às datas comemorativas, a rede hoteleira chega a ter entre 95 e 99% de ocupação.
De acordo com Diego Scariot, gerente de eventos da Gramadotur, a dimensão atingida pelo evento se deve ao trabalho da comunidade. “Gramado é uma cidade serrana e ficou muito conhecida pela temporada de inverno. Hoje, isso mudou graças ao empenho da comunidade com o Natal Luz. Antes de começar o evento, os comerciantes e moradores enfeitam suas lojas e casas, a cidade inteira se prepara para receber os visitantes e celebrar as festas de fim de ano”, destaca.
Programação gratuita
Entre os destaques da programação, está a famosa Parada de Natal, o Show de Acendimento de Luzes, a Árvore Cantante e a Trupe de Natal, que sai pela cidade encantando os espectadores com diversas intervenções artísticas. Neste ano, serão mais de 500 apresentações durante os 81 dias de duração do evento – de 25 de outubro a 13 de janeiro de 2019. E o melhor de tudo: grande parte dos espetáculos, cerca de 400, são gratuitos.
O patrocínio para as apresentações abertas ao público é obtido via Lei Rouanet. Nas últimas seis edições, os organizadores do evento conseguiram captar mais de R$ 21 milhões. “O patrocínio via Rouanet é essencial para manter a qualificação artística do Natal Luz. Como uma autarquia municipal, a Gramadotur só pode fazer contratações por meio de licitações em que vigora o menor preço, o que torna quase impossível a seleção artística, a curadoria das apresentações. Sem a Rouanet, que nos permite formatar os espetáculos e contratar artistas de expertise e grande qualificação técnica, não seria possível fazer o Natal Luz com tanta qualidade e profissionalismo”, diz Adriana Martins, da AM Produções, que presta consultoria em gestão cultural para o evento.
Escola profissionalizante
A demanda por artistas de circo, atores e bailarinos para os espetáculos do Natal Luz e de outros eventos da cidade é tão grande que o município criou o Programa de Artes Pedro Henrique Benetti, cujo objetivo é formar artistas para suprir a demanda por esse tipo de profissional.
“Boa parte dos profissionais que trabalham nas apresentações são moradores da cidade que, na alta temporada, conseguem trabalhar nos espetáculos do Natal Luz e garantir renda extra para suas famílias”, destaca Diego.
Mais informações sobre o Natal Luz podem ser acessadas na página do evento: www.natalluzdegramado.com.br

Frente Única de Cultura tem encontro de formação no Paraná

Seguindo os passos de antigos movimentos de agitação cultural como Fóruns de Cultura do Paraná, aconteceu no começo do mês de novembro a primeira plenária para criação da Frente Única de Cultura no Paraná. Diversos coletivos, artistas, professores, estudantes e trabalhadores da cultura, agitadores culturais unem forças progressistas da arte e da cultura para construir uma frente ampla “para resistir ao desmonte do estado brasileiro, resistir aos ataques da nossa cultura e ao nosso povo, aos retrocessos, a quebra de direitos e liberdades, avanço do fascismo no país”.
Segundo o movimento, o momento é de se (re) organizar, de mobilizar as bases, de abrir espaços de formação política, de articular unidade do campo democrático e progressista, de marchar ao lado dos movimentos sociais, de potencializar nossa arte e a agitação e propaganda.
No próximo sábado, dia 1º, a Frente Única de Cultura do Paraná fará seu primeiro encontro de formação, reunindo trabalhadores da cultura e representantes de outros movimentos para a troca de experiências. Está prevista a participação de movimentos sociais como Movimento sem Terra (MST), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Movimento Popular por Moradia (MPM), Movimento Indígena, Movimento Negro, além de integrantes do Sarau Periférico, Cultura Popular e Casa Selvática.

Serviço

1º Encontro de Formação da Frente Única de Cultura

Sábado, dia 1º de dezembro, das 8h30 às 17h30
Centro de Formação e Cultura Marielle Vive, próximo à Vigília Lula Livre, no Santa Cândida, Curitiba.
Apoio: Portal da Cultura Brasileira – Brasil Cultura.