Postagem em destaque

Atrofia cultural

O cartunista  Miguel Paiva  afirma que a cultura brasileira segue ameaçada. Ele diz: “um país como o Brasil não pode ser entregue a ini...

domingo, 26 de agosto de 2018

#AnistiaJá: No Paraná, estudantes lutam contra sentenças arbitrárias pós ocupações


Jovens de escolas públicas estão recebendo condenações com valores entre mil e 30 mil reais por participar de movimento em 2016.

Qualquer um que constrói o movimento estudantil no Brasil conhece o Paraná como estado pioneiro em 2016 nas ocupações de escolas, movimento que depois se espalhou por mais de 1.300 unidades no Brasil todo, contra o congelamento de investimentos na Educação, contra o golpe político-parlamentar de 2016 e contra uma reforma do Ensino Médio autoritária. O que nem todos sabem é que quase dois anos depois esta história de resistência ainda não acabou e ganha traços cada vez mais autoritários e antidemocráticos no estado.
Adolescentes paranaenses têm recebido notificações de sentenças em que são condenados a pagar multas com valores entre mil e 30 mil reais ou a prestar trabalhos voluntários. Foram processados pelo governo estadual, de Beto Richa (PSDB) e Cida Borghetti (PP), e condenados por “reintegração de posse” de colégios já desocupados há mais de 18 meses. É o único estado onde isso acontece. Detalhe: as pessoas julgadas não tinham nem conhecimento dos processos.
“Esta perseguição é feita não só para deslegitimar o maior levante estudantil do último período, mas também para que estudantes se sintam intimidados em participar do movimento estudantil”, denuncia Wellington Tiago, presidente da União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES-PR). A entidade realiza a campanha “Anistia Já”, pela anulação dos julgamentos arbitrários que não param de chegar.
Segundo o estudante, a campanha é muito importante também para defender a legitimidade das ocupações, movimentos autogestionados que poderiam ensinar muito aos sistemas de ensino: “Era preciso lutar contra a PEC 55, temos direito de manifestar nossa opinião. E ainda mostramos um novo jeito de organizar as escolas, mais democrático, plural e com participação dos estudantes”.
Leia abaixo entrevista com Wellington, 18 anos, estudante do Colégio Estadual do Paraná, em Curitiba.

ENTREVISTA:
“O legado das ocupações deve ser mais democracia, não perseguições”

Wellington Tiago, 18 anos, estudante do Colégio Estadual do Paraná e presidente da União Paranaense de Estudantes Secundaristas (UPES): “Queremos anulação dos processos e defender o legado das ocupações”
UBES: O que é a campanha ‘Anistia Já’, criado pelo movimento estudantil do Paraná?
Wellington Tiago: Quase dois anos depois do movimento de ocupações de escola, muitos estudantes estão sendo processados judicialmente por ter participado. São processos absurdos. O único motivo da sentença é ter ocupado sua escola.
São mais de cem pessoas processadas que, como estudantes de escola pública, não têm dinheiro para pagar os valores pedidos nas sentenças. A própria UPES está sendo notificada e não tem dinheiro para pagar.
Além da anistia destes processos arbitrários, queremos mostrar que as ocupações foram sim um movimento legítimo de protesto. A Constituição nos garante o direito à manifestação. Precisamos mostrar a perseguição que estamos sofrendo.
UBES: Qual o legado vocês gostariam que as ocupações deixassem para a educação do Estado, que não o das perseguições políticas?
Wellington: Todas as ocupações do Paraná deixaram um legado de uma escola mais democrática, mais plural, com menos preconceito, mais participação dos estudantes. Principalmente, de um novo modelo de ensino. Onde houve ocupação conseguimos deixar isso claro.
Infelizmente, para o estado ficou esta perseguição. É natural, uma vez que quem está no comando são governadores que já mandaram a polícia agredir professores, em manifestação de 2015 conhecida nacionalmente. O governo de Beto Richa (PSDB) e Cida Borghetti (PP) não deu prioridade nenhuma para a educação e ainda é acusado de desvio de verbas do ensino público.
Essa perseguição acontece não só para deslegitimar o maior levante estudantil do último período, mas também para que estudantes se sintam intimidados em participar do movimento estudantil. A maior parte dos processados deixam seus grêmios, suas entidades municipais.
A ideia da campanha é mostrar para a sociedade também que o movimento foi legítimo, que era preciso lutar contra a PEC 55, que temos direito de manifestar nossa opinião e que mostramos um novo jeito de organizar as escolas.
Cena do documentário
“Ocupa Tudo – Escolas ocupadas no Paraná”
(Carlos Pronzato, 2017)
UBES: Como a campanha está atuando?
Wellington: Estamos indo às escolas conversar com os grêmios e estudantes sobre o que vem ocorrendo. Os grêmios fazem cartazes, rodas de debate. Pretendemos realizar uma audiência pública sobre o assunto e estamos apresentando um Projeto de Lei a deputados para arquivamento dos processos injustos. No dia 30 de agosto, vamos fazer um protesto junto com professores em Curitiba.
UBES: Alguém já foi punido por ter participado de ocupações?
Wellington: Muitas pessoas já foram punidas. Pelo menos mais de cem estudantes, a própria UPES, diversos professores, trabalhadores de escolas e diretores.
No caso dos professores, estão sofrendo processos administrativos em que podem perder o emprego, apesar de concursados. No nosso caso, envolve valores financeiros.
No caso dos estudantes menores de idade, os pais estão respondendo judicialmente, com sentenças entre mil e 30 mil reais e trabalhos voluntários.
UBES: Por que acha que os processos são arbitrários?
Wellington: Em relação aos estudantes, em todos os processos até agora, ninguém foi chamado para nenhuma audiência, ninguém participou ou teve direito de ser ouvido no seu julgamento. Simplesmente recebeu a notificação. É uma perseguição, porque o réu não tem direito à defesa.
Leia também:
Fonte: UBES

BOLSONARO, NÃO!

PORQUE DIZEMOS NÃO A BOLSONARO?

Em um momento de desesperança com a política e com o nosso país, é natural que saídas fáceis tentam nos seduzir. Mas por trás disso podem estar escondidos retrocessos perigosos aos nossos direitos e a nossa liberdade. Por isso iremos combater as ideias retrógradas que atacam à nossa juventude e a democracia.

Dizemos NÃO à retribuição da violência como solução para a segurança pública.

Dizemos NÃO à privatização das nossas empresas estatais e a entrega de nossas riquezas ao estrangeiro.

Dizemos NÃO à discriminação contra mulheres, negras e negros, LGBTs.

Dizemos NÃO à qualquer tentativa de cerceamento da nossa Liberdade.

Dizemos NÃO à tentativa de dividir nosso povo pelo ódio às diferenças, sejam elas ideológicas, culturais ou étnicas.

Esse não é o Brasil que queremos. Queremos devolver a esperança ao nosso povo.

Queremos uma segurança pública.

Queremos nossa indústria e nossas empresas estatais fortes.

Queremos desenvolvimento e justiça social.

Queremos respeito e igualdade entre todas as pessoas.

Queremos MAIS democracia, MAIS participação e fortalecimento do debate político.

Queremos o nosso povo unido.

SIM À ESPERANÇA!
NÃO À BOLSONARO

!

Pontal do Paraná

pontal-do-parana-101
Pontal do Paraná é um município brasileiro do estado do Paraná.. Foi desmembrada do município de Paranaguá em 20 de dezembro de 1995, fazendo parte hoje da Região Metropolitana de Paranaguá (RMP)
A história do município de Pontal do Paraná começou quando houve os primeiros fluxos no século XVII. O objetivo dos primeiros fluxos era de colonizar o território do atual Estado do Paraná. Trata-se de um município geograficamente próximo a Paranaguá, tanto por terra como por mar. Isso permitiu que os fatos políticos e administrativos do município mais antigo do Paraná tivessem influência na vida pública da comunidade pontalense.
As praias de Pontal sempre receberam muitos visitantes vindos do interior do Paraná e da capital, Curitiba. Pontal do Paraná também é objeto de conhecimento por ser o lugar de onde vem os barcos que levam uma grande leva de turistas às ilhas próximas. Entre as ilhas, merece destaque a Ilha do Mel, pertencente ao município de Paranaguá. Esta ilha costeira recebe muitos visitantes de todos os lugares.
Como Chegar
BR 277, seguindo pela PR 407
BR 376, depois pela PR 412. Distante 97 km de Curitiba.

Infra-estrutura de Acesso
Rodoviária
Terminal Rodoviário Ernesto Schaedler
Avenida Beira Mar, s/nº Tel. (41) 3455-1341

Empresa de Ônibus
Viação Graciosa
Tel. (41) 3455-1341 home page: www.viacaograciosa.com.br

O que Visitar
Praias
O município possui 23 km de orla marítima, onde se situam 48 balneários com boa balneabilidade e condições para banho, sendo estes os principais: Pontal do Sul, Las Vegas; Patrick II; Miami; Itapuã; Guapê; Vila Nova; Atami; Iracema; Guarujá; Barranco; Shangri-lá; Miramar; São José; Ipê; Marissol; Jardim Marinês; Beltrame; Jardim Jacarandá; Mirassol; Luciane; Carmery; Marisa; Jardim Canadá; Recanto Uirapuru; São Carlos; Porto Fino; Praia Bela; Leblon; Batel; Santa Terezinha; Canoas; Praia de Leste; Santa Mônica; Vila Jacarandá; Irapuan; Majoraine; Primavera; Santa Fé; Grajaú; Andaraí; Santa Rita Mar; Ipanema I; Ipanema II; Ipanema III; Ipanema IV; Monções.

Balneário de Pontal do Sul
Com praias de areia fina e clara, sua vegetação não difere muito dos demais balneários, sendo que ocorre uma larga área de restinga. Conta ainda com uma grande extensão de Mata Atlântica, além de ser rico em manguezais. Suas águas proporcionam banhos com segurança. Pontal do Sul, também recebe águas da Baía de Paranaguá onde estão instaladas as marinas e o terminal dos barcos que levam à Ilha do Mel.

Balneário de Praia de Leste
Com uma praia de areia branca e águas claras, sua vegetação quase já não pode ser observada nas áreas mais urbanizadas, mas é caracterizada por ser basicamente rasteira. Suas águas são constantemente movimentadas oferecendo locais para banhos.

Balneário de Santa Terezinha
Oferece ótimos picos de surf, além de ser o mais freqüentado por jovens. O balneário realiza o melhor carnaval de Pontal do Paraná e possui uma agitada vida noturna.

Balneário de Shangri-lá
 182111_449754465092264_1300810099_n
Praia tranquila de mediana extensão, é mais uma das boas opções que a cidade oferece. Costuma receber um bom número de visitantes todos os anos, que aproveitam para relaxar, tomar um refrescante banho de mar e repor as energias. É uma boa opção para todos os públicos, desde os mais jovens aos mais velhos. Conta com uma boa faixa de areia clara e batida, o mar é levemente agitado, formando boas ondas dependendo do tempo. De um azul muito bonito, suas águas cristalinas são propícias para o banho e prática de esportes como kitesurf e surf, dependendo do tamanho das ondas. No verão, jovens aproveitam a espaçosa faixa de areia para jogar futebol e frescobol. Levar alimentos e bebidas para fazer um pic-nic é uma boa dica. Possui uma larga faixa de areia, ondas mais fortes com alguns pontos propícios para a prática do surf e locais para pescaria.

Balneário de Ipanema
É o de maior movimento durante a temporada, oferece mais opções para atividades noturnas. A praia tem areia um pouco mais grossa que as demais e ondas propicias para a prática do surf.

Comunidade Guaraguaçu
Localizada nas margens do Rio Guaraguaçu, o lugar é apropriado para pesca esportiva, lá se encontram duas marinas, bancas de artesanato e a Estrada Ecológica do Guaraguaçu que leva a comunidade indígena Guarani M`Byá e ao maior Sambaqui, conta com chácaras que servem a gastronomia típica, (somente com reserva). Para visitar deve-se entrar em contato com o Departamento de Turismo Tel. (41) 3975-3102

Calçadão de Praia de Leste
Área de lazer e ponto de encontro durante a temporada de verão. Estruturado com lanchonetes e comércio em geral. Localiza-se entre as Ruas Dídio Costa e Afonso Camargo.

Casa da Cultura
A Casa da Cultura fica na sede do antigo “Balneário Clube de Ipanema” onde aconteciam os mais famosos bailes de carnaval. Conta com um espaço para exposições itinerantes e permanentes como um acervo que reúne peças, fotos, documentos doados pela comunidade e o registro dos passos para a emancipação do município. Durante o ano é sede de projetos sociais voltados às crianças e adolescentes da rede pública de ensino, ainda é utilizada para a realização de eventos técnicos. No carnaval é oferecido um baile infantil. Localiza-se na Rua Alba de Souza e Silva, s/nº (balneário de Ipanema) Tel: (41) 3975-3102

Centro de Estudos do Mar/UFPR
Mantido pela Universidade Federal do Paraná é um núcleo de exposições e atividades em educação ambiental, tendo inúmeros programas em pleno desenvolvimento. Realiza trabalhos de pesquisas avançados sobre as potencialidades do nosso litoral e recebe estudantes de todos os níveis para explanações e visitas aos seus laboratórios. Possui farto material em vídeo, aquário marinho e exposição de material botânico, zoológico e geológico da região. Abriga desde de 2000 o curso de graduação em Oceanografia. Visitas somente com hora marcada. Tel. (41) 3455-1333 home page: www.cem.ufpr.br . Localiza-se na Avenida Beira-mar, s/n°. (balneário de Pontal do Sul)

Sede do Parque Natural Municipal do Manguezal do Rio Perequê
Inaugurada em 2003, possui biblioteca, videoteca, espaço para exposições, reuniões, além de computador com acesso a internet. Localiza-se na Avenida Mira-Mar ao lado do CEM. (balneário de Pontal do Sul)
Horário de funcionamento: segunda-feira a sexta-feira das 8h30 às 12h e das 13h às 17h

Ilha dos Currais
Afora os costões, possui pequena praia de seixos. Não há trilhas em seu interior. A Ilha está sob os cuidados do Centro de Estudos do Mar. Formada por três pequenas ilhas é a região do litoral com água mais limpa, sendo perfeitas para pesca e mergulho. Informações Tel. (41) 3455-1333. Localiza-se a 12 km do balneário de Praia de Leste.

Ilha da Galheta
De dimensões maiores que a dos Currais, a ilha é cercada pelos costões de rocha. Situa-se próximo à ponta da Ilha do Mel. O desembarque é difícil e não há praia ou trapiches e as ondas são muito fortes. Localiza-se a 3 km do balneário de Pontal do Sul.

Áreas de Lazer / Pesque Pague
Santuário Guaraguaçu
Estrada Ecológica do Guaraguaçu Tel. (41) 9101-9383 / 8435-0784
Horário de atendimento: sábado, domingo e feriado (somente com reserva)

Onde Dormir
Cadastrados no Ministério do Turismo
Tomate’s Bar Pousada & Restaurante
PR 412, 3179 balneário Primavera Tel. (41) 3458-2522

Serviços Turísticos
Terminal de Embarque
Alameda do Café, s/nº balneário Pontal do Sul Tel. (41) 3455-1144
Horário de Barcos
Pontal do Sul/Ilha do Mel: diariamente das 8h às 19h (a cada 30 minutos)

Marinas
Marina Central Náutica
Rua Erva Mate, s/nº balneário Pontal do Sul Tel. (41) 3455-1528
Horário de atendimento: diariamente das 7h às 19h

Porto Marina Mares do Sul
Avenida Beira Mar, 88 balneário Pontal do Sul Tel. (41) 3455-1447
Horário de atendimento: diariamente das 7h às 19h

Marina Vale do Sol
Rua Tapebuia, s/nº balneário Pontal do Sul Tel. (41) 3455-2282
Horário de atendimento: diariamente das 7h às 19h

Marina Bom Abrigo
Rua Imbaúba, 69 balneário Pontal do Sul Tel. (41) 3455-1222
Horário de atendimento: diariamente das 7h às 19h

Marina 7 Mares (somente associados)
Rua dos Iates, 44 balneário Pontal do Sul Tel. (41) 3455-2177
Horário de atendimento: diariamente das 7h às 19h

Marina Sul
Avenida do Mel, 1661 balneário Pontal do Sul Tel. (41) 3455-2187
Horário de atendimento: diariamente das 7h às 19h

Iate Club de Pontal do Sul
Avenida dos Iates, s/nº balneário Pontal do Sul Tel. (41) 3455-1141
Horário de atendimento: diariamente das 7h às 19h

Marina Ilha do Mel (somente associados)
Rua dos Iates, 1577 balneário Pontal do Sul Tel. (41) 3455-1580
Horário de atendimento: diariamente das 7h às 19h

Marina A
Rua dos Iates, 110 balneário Pontal do Sul Tel. (41) 3455-1392
Horário de atendimento: diariamente das 7h30 às 19h

Serviços
Hospital
Posto de Saúde 24 Horas
Rua Santa Mônica, 369 balneário Praia de Leste Tel. (41) 3472-7078

Bancos
Banco do Brasil
Avenida Beira Mar, 437 balneário Praia de Leste Tel. (41) 3458-2016

Banco Itaú
Rua São Luiz, 501 balneário Ipanema Tel. (41) 3457-1828

Banco HSBC (Caixa eletrônico)
Pátio do Mercado Super Rede balneário de Ipanema

Artesanato
Ateliê da Dona Jacyra
Rua dos Corais, 50 Tel: (41) 3457-5751
Horário de atendimento: sábado e domingo das 9h às 14h

Feira de Artesanato Centopéia (somente na temporada)
Balneário Marissol
Horário de atendimento: diariamente das 9h ás 23h

Artesanato de Pontal do Sul
Avenida Beira Mar s/nº (ao lado da Pizzaria Karrankas)
Horário de atendimento: diariamente das 9h às 24h (durante a temporada)

Feiras de Artesanato “Mãos de Pontal” (somente na temporada)
Praia de Leste: Avenida Aníbal Curi
Ipanema: Praça Central
Santa Terezinha: Avenida Beira Mar
Shangri-lá: Praça Central
Horário de Funcionamento diariamente das 9h à 24h

M’Byá Artesanato do Brasil
Avenida Beira Mar, 141 balneário Praia de Leste Tel. (41) 3458-3116
Horário de atendimento diariamente das 10h às 22h

Informações Turísticas
Secretaria Municipal de Desenvolvimento
Diretoria de Turismo
Rua Alba de Souza e Silva, s/nº – Casa da Cultura balneário Ipanema Tel. (41) 3975-3102

Terminal de Embarque de Pontal do Sul
Alameda do Café, s/nº Tel. (41) 3455-1144
Horário de atendimento: diariamente das 8h30 às 22h

Fonte  BRASIL CULTURA