Postagem em destaque

A hora e a vez de lutar pelo Fundeb

Prestes a vencer, programa imprescindível para educação básica no país precisa ser reeditado com melhorias Programa fundamental para ed...

sexta-feira, 24 de maio de 2019

O Oldflix reúne só filmes antigos e foi criado no Rio Grande do Norte

Publicado porPor Henrique 
Já pensou se existisse uma Netflix dedicada exclusivamente a filmes das antigas? Pois ela existe, e foi criada por três desenvolvedores de sistemas de Natal (RN). Eles construíram um site semelhante ao famigerado “Netflix” para reunir antigões do cinema e o batizaram de “Oldflix”.
O site surgiu no começo de 2016 com cerca de 800 títulos, e de lá pra cá oferece um acervo de vários clássicos da TV e do cinema, como “A Marca do Zorro”, “Jornada nas Estrelas” e “King Kong”. Todo o conteúdo é transmitido por “streaming”, e pode ser assistido em qualquer aparelho conectado à internet e compatível com a plataforma.

Tela do site Oldflix exibindo filmes antigos
Poucas semanas após seu lançamento, o TechTudo entrou em contato com um dos desenvolvedores, Wagner Wanderley, e com a assessoria de imprensa da empresa. Em nota, o site garantiu que seu acervo é licenciado. “Estamos há menos de uma semana no ar e realmente não esperávamos a enorme repercussão e adesão por parte do público e da imprensa. As pessoas abraçaram o Oldflix e viralizamos”, disse Wagner.
Hoje o site está dividindo títulos em várias categorias como Suspense, Comédia, Faroeste, Policial, e ainda, “Década de 40” e “Década de 50”. Os vídeos podem ser vistos por aplicativos “Android” e “IOS”, ou pelo site www.oldflix.com.br, desde que haja uma boa conexão com a internet, e podem ser acessados em até 2 dispositivos ao mesmo tempo com a mesma conta logada. Para usar, é preciso desembolsar no mínimo de R$ 12,90 mensais no menor plano, mas você ganha 7 dias grátis para testar.
E aí, você assinaria?
Com informações de TechTudo e CanalTech
Fonte; O Curiozzzo

Márcio Jerry: audiência para debater rádios comunitárias


O papel desempenhado pelas rádios comunitárias deverá ser tema de audiência pública na Câmara dos Deputados. O pedido, feito pelo vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA), durante reunião da Comissão de Ciência, Tecnologia e Informática (CCTCI) que discutiu os desafios e soluções da radiodifusão brasileira nesta quarta-feira (22), deverá ser formalizado junto à Casa Legislativa ainda esta semana.
De acordo com o parlamentar, o intuito é fomentar o debate em torno do potencial cidadão destes veículos. “Considero este um dos grandes, mais importantes e estruturantes avanços do processo de democratização da comunicação do nosso país, fruto da mobilização da sociedade, e uma conquista no campo da comunicação derivada de uma movimentação social”.
Para Jerry, com as mudanças institucionais que vêm sendo debatidas no âmbito do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), uma janela de oportunidades deve se abrir para abordar o tema, permitindo que se estude mais a fundo o impacto dessas rádios para reafirmação do regime democrático.
O encontro foi marcado pela apresentação do Secretário de Radiodifusão do MCTIC, Elifas Gurgel, que trouxe propostas da pasta para o serviço de transmissão no país.

Pavilhão Étnico com festa pelo Dia da África e show de música argentina

Expressões culturais da África tomam conta do Pavilhão Étnico do Memorial de Curitiba, neste fim de semana, para celebrar a data internacional do continente (25 de maio). Aberto ao público, o evento vai mostrar um pouco do artesanato, da dança, música, literatura e culinária cultivados pelos afrodescendentes de Curitiba no sábado (25/5) e no domingo (26/5), das 9h às 16h30.
O palco do Memorial também receberá, no domingo (26/5), o show da cantora argentina Karina Valdez. Acompanhada dos músicos Andrés Fernandez (violão e voz), Matias Amarillo (percussão) e Martín Mestre Pelegrina (violão), o grupo interpretará canções representativas dos ritmos e estilos de diferentes épocas da América Latina a partir das 10h. O evento é uma promoção do Consulado da Argentina local.
A apresentação da cantora portenha será uma pausa na programação do Dia da África, que será retomada às 11h, com uma apresentação de capoeira e segue até a tarde, e deve atrair os frequentadores da Feira do Largo da Ordem. “Essa interação dá o tom da convivência entre os povos que queremos ver sempre em Curitiba e que passa pelo reconhecimento, respeito e pela apreciação das diferentes manifestações culturais”, observa o coordenador de Etnias da Fundação Cultural, Carlos Hauer Amazonas de Almeida.
Serviço:
Dia da África e música argentina
Manifestações culturais do continente africano:
Sábado e domingo (25/5 e 26/5), das 9h às 16h30
Show de música latino-americana:
Domingo (26/5), às 11h
Local: Memorial de Curitiba (Rua Dr. Claudino dos Santos, 79, Centro Histórico)
Entrada franca

Junho vem chegando e com ele as “deliciosas festas junina”.

Festa-Junina
Nada melhor que começar a organizar as receitas das festas. Elas são heranças portuguesas, a Festa Junina é um dos momentos mais aguardados do ano pelos brasileiros. Recheada de comes e bebes mais que apetitosos, a festividade é marcada pela grande presença do milho e outros quitutes ideais para esquentar o corpo e a alma. Dos grupos festeiros do Nordeste às quermesses que fazem a nossa felicidade no sul e sudeste, os costumes nessa época do ano são diversos, mas as comidas são sempre deliciosas em qualquer parte do país.
Todos os dias você terá uma informação sobre essas festas. Como surgiu uma das festas populares mais conhecidas no mundo e claro, receitas, muitas receitas.
As festas servem também para amenizar o frio de junho e antecipar a diversão das férias de julho para os piás e gurias. Apesar de ser bem popular e muito ligada às raízes históricas do Brasil, você sabia que a Festa Junina é um mosaico de diversas festas populares europeias? Veja como as quadrilhas, brincadeiras e costumes da Festa Junina surgiram, além, repetindo – AS RECEITAS.
Confira aqui no Portal da Cultura Brasileira as delícias doces e salgadas para fazer a festa no arraial!

VII SEMINÁRIO DE ARTE E CULTURA DA UFRN CHEGA AO SEU FINAL

Foto final do evento.
Primeira palestrante (esquerda), professora, CATARINA SHIN da Escola de Música - "Integração social nos seus mais diversos contextos das pessoas com deficiência e capacitação de profissionais para atendimento de qualidade as pessoas com deficiência.

Professora Beti Romine, segunda da esquerda falou sobre o Plano de Cultura da UFRN - "algumas ações em acessibilidade cultural."
Imagem demostrativa
3º Palestrante: FLÁVIA ROLDAN VIANA: "Libras - sua primeira língua" para que o sujeito surdo possa ter acesso ao aconhecimento e possa desenvolver, integralmente.
Presidente do CPC/RN, Eduardo Vasconcelos faz sua intervenção e no final parabeniza os palestrantes pela objetividade do tema, buscando mecanismo para melhorar as ações de acessibilidade e inclusão de mais jovens/estudantes com deficiência visual e auditiva em prol 

Ontem (23) o presidente do Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN, Eduardo Vasconcelos participou pela manhã do segundo dia do VII SEMINÁRIO DE ARTE E CULTURA DA UFRN e último do Painel sobre "As ações de pesquisa e extensão no campo de inclusão e acessibilidade cultural Docentes-pesquisadores da UFRN.

"Uma agenda pouco discutida nas universidades - Acessibilidade Cultural" - Jéferson Fernandes Alves - Mediador.

Após o evento todos foram prestigiar a inauguração no novo prédio do Núcleo de Arte e Cultura da UFRN. Conforme CONVITE abaixo feito pela Reitora, Ângela Paiva.



Seminário de pesquisa do CCSA debate relação entre educação, redes sociais e desafios para a democracia


por Jeferson Rocha, Suzie Chagas
Numa época em que se discute o papel de redes e mídias sociais na vida das pessoas, o Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza, a partir da próxima segunda-feira, 27, a 24ª edição do seu Seminário de Pesquisa com o tema Educação, Redes Sociais e os Desafios para a Democracia. O evento reúne pesquisadores de diversas instituições do país no Campus Central para debater temas relacionados aos desafios que têm sido colocados para a democracia na contemporaneidade dada a conjuntura política atual e tempos que têm como instrumento de comunicação protagonista a poderosa internet, que ampliou possibilidades comunicacionais, fontes de informação e também alterou lógicas de monopólio da informação no Brasil.
Para a professora Arlete Araújo, Diretora do CCSA, a organização do Seminário escolheu esse tema como centro das discussões pela constatação de que as “redes sociais, ao tempo em que amplificam as possibilidades de comunicação e de interação, também são portadoras de intolerância, servem de espaço de ódio e de desinformação e se tornam plataformas para discursos que querem o fim da educação emancipadora, que valoriza a pluralidade de pensamento e o debate para uma formação cidadã”, ressalta.
A solenidade de abertura será marcada pela conferência da professora Maria Arlete Duarte de Araújo, da Fundação Getulio Vargas (FGV/SP), às 19h, no auditório do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ciências Sociais Aplicadas (Nepsa I).
Além das atividades que envolvem ensino e pesquisa, o evento reúne ações ligadas às atividades de Extensão, lançamento de livros, exposição fotográfica e a mostra Memórias das Resistências: Mostra Direitos Humanos no Cinema, com foco em produções ligadas aos direitos humanos. A mostra acontece de 28, 29 e 31 de maio, às 17h, no Nepsa 2, com exibição dos filmes Codinome Breno“Osvaldão”(2014)Um Café e Quatro Segundos500 – Os bebês roubados pela Ditadura ArgentinaA rua das casas surdas e Félix, o Herói da Barra, sempre com comentários de especialistas.
Aberto ao público
Realizado há quase 30 anos, o Seminário de Pesquisa do CCSA tem o objetivo de unir a produção acadêmica de docentes e estudantes de graduação e pós-graduação do Centro, além de compartilhar conhecimento com pesquisadores de instituições de todo o Brasil. Para se ter uma ideia, participam durante toda a programação representantes de instituições como Universidade de Brasília (UNB), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), além de servidores públicos do Tesouro Nacional, juízes e empresários.

Os participantes inscritos ainda poderão conferir as pesquisas produzidas pela Universidade. “Cada pôster, cada artigo ou trabalho que o aluno apresenta mostra dentro da academia que ele é capaz de produzir, e a sociedade precisa saber disso. Ela vai receber isso quando eles se tornarem profissionais, quando eles saírem daqui formados, vão encontrá-los e isso é fantástico”, diz Noeli Vitorino, secretária executiva da UFRN, integrante da comissão organizadora e secretária do evento.
“O que nós gostaríamos mesmo é de que a sociedade pudesse estar presente aqui dentro também, alguns membros da comunidade. A sociedade precisa participar dessas atividades dentro da universidade, que não é somente para alunos, mas é para qualquer cidadão”, completa Noeli.
Seminário de Pesquisa do CCSA chega a sua 24ª edição em 2019 – Foto: Jeferson Rocha
Infraestrutura
Uma das preocupações da comissão organizadora, além de trazer um ambiente rico em conhecimento, é atender da melhor maneira possível os mais de 2 mil estudantes inscritos no seminário. Por isso são pensados desde a adequação dos espaços para realização de cada atividade dentro das instalações do Centro até a comodidade para inscrições e submissão de trabalhos via web, por meio de um sistema cada vez mais moderno desenvolvido pela equipe técnica do CCSA e que vem sendo aprimorado desde 2012.

Desde a sua primeira edição em dezembro de 1991, o Seminário vem crescendo em quantidade e qualidade. Só o número de artigos aumentou em mais de 1000%: se no início o evento contou com 34 publicações, este ano são mais de 380 trabalhos nas áreas de Administração, Biblioteconomia, Ciências Contábeis, Direito, Economia, Serviço Social e Turismo. Ao final, os melhores pôsteres serão premiados por grupos de Trabalho, em uma cerimônia a ser realizada na sexta-feira, 31, no auditório do Nepsa 1, como forma de incentivar o trabalho de pesquisadores iniciantes.
Além de apresentações de trabalhos, a programação do seminário contempla 19 conferências, 29 oficinas, 73 minicursos e 52 mesas-redondas.
Integrados
Para se ter uma noção da amplitude do Seminário do CCSA, além de toda a programação própria, o evento também sediará outros cinco encontros relacionados às sociais aplicadas, promovidos pelos grupos de pesquisas, departamentos e programas de pós-graduação do Centro.

De 28 a 30 de maio, será realizado o I Encontro Estadual de Pesquisadores em Soberania, Segurança Alimentar e Nutricional (SSAN), com o tema Gestão social e desenvolvimento sustentável, lições para a sociedade e avanços para a democracia. O evento é uma parceria das universidades federais Rural de Pernambuco (UFRPE), da Paraíba (UFPB) e UFRN, junto ao ObservaSAN e em parceria com a OASIS/UFRN e o Programa de Ensino Tutorial Zootecnia UFRN, da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ).
Já nos dias 30 e 31, será realizada a segunda edição do Colóquio Feminismo Materialista e Marxismo, promovido por pesquisadores do Departamento de Serviço Social da UFRN, com participação de conferencistas convidadas da UNB e da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) para debater temas como luta de classe, violência contra a mulher e racismo.
No período de 29 a 31 de maio, acontece o IX Colóquio de Ciência da Informação, com mesas-redondas, painéis, minicursos e Grupos Temáticos. A palestra de abertura, ministrada pelo professor Ronaldo Ferreira de Araújo, da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), debaterá Ciência Aberta e métricas alternativas: papéis e desafios para os bibliotecários.
Este ano o evento conta com apresentações de mais de 380 trabalhos – Foto: Jeferson Rocha
Nos dias 29 e 30 será realizado o V Colóquio sobre Gestão Pública da UFRN, com o tema Participação e controle social na gestão pública: balanço e perspectivas na contemporaneidade. O evento contará com a conferência de abertura Portais da Transparência e possibilidades para tomada de decisão na gestão pública, com o professor Gustavo Fontoura de Souza, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN).
No último dia, 31 de maio, será realizada a 18ª edição do Seminário de Seguridade Social e Trabalho, que debaterá o impacto das atuais reformas sociais sobre o trabalho decente, além do painel Os desafios para a defesa dos Direitos Sociais. Os eventos contarão com a participação do juiz Marcus Barberino, do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, além de Ileana Neiva Mousinho, procuradora do Trabalho, e Wellington Duarte, diretor do Adurn-Sindicato.
Inscrições
Os interessados em participar do XXIV Seminário de Pesquisa têm até o próximo domingo, 26, para efetuar inscrição no evento e em suas atividades. Qualquer pessoa pode participar, sendo cobrada uma taxa no valor de R$20 para alunos (de qualquer instituição) e R$40 para professores, técnicos e demais interessados.


Boletim produzido pela Agência de Comunicação da UFRN – AGECOM
Reitora: Ângela Maria Paiva Cruz
Vice-Reitor: José Daniel Diniz Melo
Superintendente de Comunicação: José Zilmar Alves da Costa
Diretor da Agência de Comunicação: Francisco de Assis Duarte Guimarães
Telefones: 84 3215-3116, 84 3215-3132 / Fax: 84 3215-3115