Postagem em destaque

A hora e a vez de lutar pelo Fundeb

Prestes a vencer, programa imprescindível para educação básica no país precisa ser reeditado com melhorias Programa fundamental para ed...

terça-feira, 26 de junho de 2018

Fies & Prouni: Inscrições para o ProUni 2018/2 já estão abertas

Prazo para participar da seleção termina no dia 29 de junho

Os candidatos interessados em disputar bolsas de estudo no Programa Universidade para Todos (ProUni) já podem fazer sua inscrição online. O sistema ficará aberto até as 23h59 desta sexta-feira (29).

Faça a sua inscrição no ProUni 2018/2

Ao todo, serão oferecidas 174.289 vagas para bolsas de estudo em 1.460 instituições de ensino privadas. Dessas bolsas, 68.884 são integrais e 105.405 parciais. Os candidatos podem pesquisar as vagas por curso, universidade ou município.
Fonte: guiadoestudante.abril.com.br

8ª Festa Nacional da Tainha


Essa semana tem! Marque em sua agenda: quinta-feira, dia 28, a 8ª edição da Festa Nacional da Tainha em Paranaguá. A festa, que anualmente movimenta o turismo no litoral paranaense, trará este ano gastronomia, entretenimento e cultura. Outras comemorações como a 33ª edição da Festa da Tainha, 41ª Festa do Pescador, além da 10ª Feira Regional da Tainha também fazem parte da festividade.
A Prefeitura de Paranaguá, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, definiu os valores do cardápio do evento junto aos pescadores e permissionários. A tainha recheada – uma das mais consumidas durante a festa – poderá ser degustada por R$ 60,00. O prato, que serve duas pessoas, conta com acompanhamento como arroz, salada e maionese.
Uma parceria firmada entre a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e o SEBRAE rendeu um curso gratuito de atendimento ao cliente ofertado aos garçons para trabalhar na Festa da Tainha. Eles sanaram dúvidas e aperfeiçoaram conhecimentos.
“Os profissionais estão motivados com a oficina e já aguardam o começo de mais uma edição da Festa da Tainha. Estamos gratos pela receptividade do SEBRAE e pelos frutos que a parceria está produzindo”, comentou o secretário de Cultura e Turismo, Harrison Camargo.
O encaminhamento dos garçons ao curso foi promovido por meio da Secretaria Municipal de Trabalho e Emprego e o SINE.

A TAINHA : PONTO CENTRAL DA FESTA!

Diferentes receitas com o peixe serão comercializadas na festa. Seja a tainha recheada, tainha defumada, a parmeggiana ou ensopada. Além disso, também tem o camarão na moranga e petiscos de camarão, peixe, ostras e outros frutos do mar.
Toda a estrutura do evento é garantida pela Prefeitura de Paranaguá, com a montagem de palco, stands, seleção de ambulantes, Guarda Municipal fazendo a segurança, equipe da Secretaria Municipal de Saúde para atendimento emergencial, equipe de fiscalização da vigilância, entre outras estruturas disponibilizadas para trabalhar do dia 28 de junho até o dia 8 de julho, quando termina mais uma edição da tradicional festa.
“É preciso valorizar eventos como esse, que mantém viva a nossa cultura e tradição caiçara. Além de suas belezas, Paranaguá é cercada de costumes e temos mais uma vez a oportunidade de mostrá-los aos turistas e visitantes”, disse o prefeito Marcelo Roque.
A festa terá 16 boxes que serão utilizados pelas famílias dos pescadores das comunidades pesqueiras da Baía de Paranaguá, Pontal do Paraná e Barra do Sul, em Santa Catarina.
Famílias de Paranaguá, Amparo, Ponta de Ubá, Ilha das Peças, Piaçaguera, Ilha do Teixeira, além da Ilha do Mel (Encantadas e Brasília) estarão participando do evento.
PROGRAMAÇÃO
28.06 – Quinta-feira
20h Mestre Brasilio
22h Fernanda Liz
29.06 – Sexta-feira
21h Mitzrael
23h Nega Fulô
30.06 – Sábado
13h Batukada.com
15h The Trio
21h Voraz
23h Marjorie Mell
01.07 – Domingo
13h Pés de Ouro
15h Magrone
21h Nosso Toque
23h Lefigarroo
02.07 – Segunda-feira
19h Guilherme Costa
03.07 – Terça-feira
19h Marcelo Reis
21h Soul Samba
04.07 – Quarta-Feira
19h Saphato Velho
21h Kauã Zime
05.07 – Quinta-feira
20h Igor Brenaz
23h Ricardo e Rafael
06.07 – Sexta-feira
20h Sacode
23h Vinicius e Thayna
07.07 – Sábado
13h Chorinho & Chicão do Cavaco
20h Calourada, Willian & Renan, Marcos & Luciano e Tiago Viola
08.07 – Domingo
13h Diego Maki
15h Chamavó
20h Sob Medida
22h Herança
Com informações da Prefeitura de Paranaguá

Começa seleção de candidato brasileiro a vaga no Oscar


Começou nesta segunda-feira (25) o processo de seleção do longa-metragem brasileiro que disputará uma vaga entre os cinco indicados ao Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira da Academy of Motion Picture Arts and Sciences – Oscar 2019. As inscrições deverão ser feitas até as 18 horas do dia 17 de agosto, por meio do formulário disponível no portal http://oscar.cultura.gov.br
Para participar do processo seletivo, o filme deve ter sido lançado e exibido inicialmente no Brasil, entre 1º de outubro de 2017 e 30 de setembro de 2018, em sala de cinema comercial, por pelo menos setes dias consecutivos. A inscrição deverá ser feita pela produtora titular dos direitos da obra ou pela distribuidora autorizada, que poderá inscrever sob o mesmo cadastro quantos filmes desejar.
O anúncio do resultado da seleção será feito pela Comissão Especial de Seleção do Oscar 2019 no dia 11 de setembro. A produtora ou distribuidora do filme selecionado terá até 1º de outubro para enviar à Academy of Motion Picture Arts and Sciences uma cópia do filme em 35mm ou 70mm, juntamente com os demais documentos estabelecidos no edital do concurso.
Comissão Especial de Seleção
A Comissão de Seleção será presidida pelo distribuidor e diretor vice-presidente da Academia Brasileira de Cinema (ABC), Jorge Peregrino. Os demais membros titulares serão a atriz Bárbara Paz, os diretores Flávio Tambellini, Jefferson De, João Jardim e Hsu Chien e a produtora Lucy Barreto. Os suplentes serão a diretora e produtora de festivais Kátia Adler, a produtora Cláudia da Natividade e o produtor e diretor Ricardo Pinto e Silva.
Bingo, o Rei das Manhãs, de Daniel Rezende, foi o longa selecionado para disputar uma vaga entre os indicados ao prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira no Oscar de 2018. Na edição de 2017, o indicado foi Pequeno Segredo, de David Schürmann. Nos últimos anos, também foram indicados Que horas ela volta?, de Anna Muylaert (2016); Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, de Daniel Ribeiro (2015); O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho (2014); O Palhaço, de Selton Mello (2013); Tropa de Elite 2: o inimigo agora é outro, de José Padilha (2012); Lula, o filho do Brasil, de Fábio Barreto (2011); e Salve Geral, de Sérgio Rezende (2010).

Acesso rápido

Por que Lula foi preso na ditadura militar?

Lula foi preso na ditadura militar devido a sua atuação durante uma greve no ABC paulista
Luiz Inácio Lula da Silva passou 31 dias encarcerado em 1980 na sede do Dops (Foto: Reprodução | Nossa Política)

Entenda o motivo que deixou o ex-presidente detido por 31 dias na década de 80


Você sabe os motivos pelos quais o ex-presidente Lula foi preso na ditadura militar? Luiz Inácio Lula da Silva passou 31 dias encarcerado em 1980 na sede do Dops, o Departamento de Ordem Política e Social em São Paulo, capital.

O político foi preso no dia 9 de abril por conta das sua atuação como sindicalista na região do ABC paulista.
Inicialmente, ele deveria ficar três anos e meio preso, mas ele recorreu e sua pena acabou sendo reavaliada. Ele passou somente um mês. Confira agora mais detalhes sobre por que Lula foi preso na ditadura militar.

Razão da prisão de Lula na década de 80

Foi por conta da sua atuação durante uma greve no ABC paulista que Lula foi preso. Ele estava à frente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e foi apontado como o mentor da paralisação que afetou dezenas de indústrias da região.

No 17º dia de greve, o ministro do Trabalho do general João Batista Figueiredo, Murilo Macedo, determinou a intervenção no sindicato e a prisão do então líder da organização. Ele foi enquadrado na Lei de Segurança Nacional, a LSN.

Segundo o ex-presidente, essa ação de prendê-lo só fez fortalecer o movimento. Em depoimento à Comissão Nacional da Verdade, ele afirmou em 2014: “O que aconteceu quando eles me prenderam? Foi uma motivação a mais para a greve continuar, as mulheres fizeram uma passeata muito bonita em São Bernardo do Campo, depois foi aquele primeiro de maio histórico, em que foi o Vinícius de Moraes, e a greve durou quase 30 dias”.

Veja também: Biografia de Lula

O que era a Lei de Segurança Nacional, a LSN

A origem da Lei de Segurança Nacional, a LSN, entrou em vigor em 4 de abril de 1935. A ideia era de punir os crimes contra a ordem social e política, principalmente aqueles que atentavam contra a segurança do Estado.

Coube a Getúlio Vargas aperfeiçoá-la e trazer ainda mais rigorosidade aos seus termos. O ano de 1936 marcou mais um passo para que a Lei de Segurança Nacional, a LSN, se tornasse a base para os anos vindouros da ditadura militar: a criação do TSN, o Tribunal de Segurança Nacional.

Mesmo nos anos em que a ditatura não existia, como na era do Estado Novo, essa lei foi mantida, o que possibilitou que fosse retomada logo após o golpe militar de 1964. A LSN se fortaleceu durante a Escola Superior de Guerra.

Essa lei foi o ponta-pé inicial para que inúmeros oposicionistas ao regime militar fossem presos, como foi o caso de Luiz Inácio Lula da Silva. Ela inspirou a Lei Nº 7.170, de 14 de dezembro de 1983, que serviria de embasamento para a prisão do ex-presidente.

Lei mais recente reforça a LSN

Na década de 1983, a Lei Nº 7.170, de 14 de dezembro, reforçou a LSN, pois ela passou a definir os crimes contra a segurança nacional, a ordem política e social, estabelecer seu processo e julgamento e dar outras providências. Confira seus termos:


Art. 1º – Esta Lei prevê os crimes que lesam ou expõem a perigo de lesão:
I – a integridade territorial e a soberania nacional;
Il – o regime representativo e democrático, a Federação e o Estado de Direito;
Ill – a pessoa dos chefes dos Poderes da União.

Art. 2º – Quando o fato estiver também previsto como crime no Código Penal, no Código Penal Militar ou em leis especiais, levar-se-ão em conta, para a aplicação desta Lei:
I – a motivação e os objetivos do agente;
II – a lesão real ou potencial aos bens jurídicos mencionados no artigo anterior.

Art. 3º – Pune-se a tentativa com a pena correspondente ao crime consumado, reduzida de um a dois terços, quando não houver expressa previsão e cominação específica para a figura tentada.
Parágrafo único – O agente que, voluntariamente, desiste de prosseguir na execução, ou impede que o resultado se produza, só responde pelos atos já praticados.
Art. 4º – São circunstâncias que sempre agravam a pena, quando não elementares do crime:
I – ser o agente reincidente;
II – ter o agente:

a) praticado o crime com o auxílio, de qualquer espécie, de governo, organização internacional ou grupos estrangeiros;
b) promovido, organizado ou dirigido a atividade dos demais, no caso do concurso de agentes.
Art. 5º – Em tempo de paz, a execução da pena privativa da liberdade, não superior a dois anos,
pode ser suspensa, por dois a seis anos, desde que:
I – o condenado não seja reincidente em crime doloso, salvo o disposto no § 1º do art. 71 do Código Penal Militar;
II – os seus antecedentes e personalidade, os motivos e as circunstâncias do crime, bem como sua conduta posterior, autorizem a presunção de que não tornará a delinquir.

Parágrafo único – A sentença especificará as condições a que fica subordinada a suspensão.
Art. 6º – Extingue-se a punibilidade dos crimes previstos nesta Lei:
I – pela morte do agente;
Il – pela anistia ou indulto;
III – pela retroatividade da lei que não mais considera o fato como criminoso;
IV – pela prescrição.

Art. 7º – Na aplicação desta Lei, observar-se-á, no que couber, a Parte Geral do Código Penal Militar e, subsidiariamente, a sua Parte Especial.
Parágrafo único – Os menores de dezoito anos são penalmente inimputáveis, ficando sujeitos às normas estabelecidas na legislação especial.

Rotina prisional de Lula nos anos 80

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou 31 dias na prisão em 1980. Sob a acusação de violar a Lei Nº 7.170, de 14 de dezembro de 1983, que foi inspirada na Lei de Segurança Nacional, a LSN, de 1935.


Segundo Lula, à época, o delegado responsável pela cadeia, o delegado Romeu Tuma, tinha uma postura compreensiva em relação às reivindicações dos metalúrgicos, que faziam greve por melhores salários, não se metendo em assuntos políticos. Por isso, ele afirma que foi bem tratado durante o seu mês na prisão, ao contrário dos presos políticos que tinham discurso contra a ditadura.

Por isso, Lula chegou a ser liberado durante esse tempo para acompanhar o enterro da mãe, que veio a falecer justamente durante os dias que estava na cadeia; além disso, ele chegou a assistir jogos de futebol dentro da cela e ser praticamente uma celebridade durante o mês que passou por trás das grades.

Logo depois de preso, seus advogados recorreram da decisão, e ele conseguiu ser liberado em 31 dias.

Fonte: estudopratico.com.br

BRASIL - HISTÓRIA: Passeata dos cem mil - "Há exatamente 50 anos!" - EDUARDO VASCONCELOS - CPC/RN

Passeata dos cem mil
 "Há exatamente 50 anos!" - EDUARDO VASCONCELOS - CPC/RN

O dia 26 de junho de 1968 foi marcado por um dos acontecimentos mais importantes da História do nosso país: a Passeata dos 100 mil, a manifestação popular de protesto contra a Ditadura Militar no Brasil, ocorrida nas ruas do centro do Rio de Janeiro. Esta manifestação foi organizada pelo movimento estudantil e contou com a participação de intelectuais, artistas e demais setores da sociedade brasileira.

Os antecedentes da manifestação

Desde 1967, o movimento estudantil era a principal forma de oposição ao regime militar e, nos primeiros meses de 1968, vários protestos foram violentamente reprimidos. Além de se manifestar contra a ditadura militar, o movimento estudantil manifestava contra a política educacional adotada pelo governo, que tendia à privatização.

As prisões e outras ações arbitrárias eram as marcas da atitude do governo militar com relação aos crescentes protestos dos estudantes. Essa repressão atingiu o seu auge no final de março de 1968, com a invasão do restaurante universitário “Calabouço”, onde estudantes protestavam contra o aumento do preço das refeições. Durante a invasão, o secundarista Edson Luís de Lima Souto, de 18 anos, foi morto com um tiro à queima roupa, pelo comandante da tropa da PM, aspirante Aloísio Raposo.

Este fato comoveu e acirrou os ânimos em todo o país. Nos dias seguintes, aconteceram manifestações no centro da cidade do Rio de Janeiro, todas elas violentamente reprimidas, até culminar na missa da Candelária, em 4 de abril, quando soldados a cavalo atacaram estudantes, repórteres, padres e populares. No início de junho daquele mesmo ano, o movimento estudantil começou a organizar mais manifestações públicas, inclusive em outros estados, onde o movimento aumentava o seu nível de organização e mobilização.

A passeata

Na manhã do dia 26 de junho de 1968, as ruas da Cinelândia, no centro do Rio de Janeiro, já eram tomadas pelos participantes do ato político. A marcha teve início às 14 horas, com aproximadamente 50 mil pessoas presentes. Cerca de uma hora depois, esse número havia dobrado, chegando aos 100 mil manifestantes. Além dos estudantes, a manifestação contou com a participação de artistas, intelectuais, políticos e outros segmentos da sociedade civil brasileira, tornando-a uma das mais expressivas manifestações populares da história da República do Brasil.

Com uma enorme faixa à frente, onde se lia “Abaixo a Ditadura. O Povo no poder”, a passeata durou três horas, encerrando-se em frente à Assembléia Legislativa, sem confrontos com a polícia que acompanhou o protesto durante o seu percurso. As manifestações cresceram, sendo cada vez mais fortemente reprimidas, com a prisão e morte de vários estudantes. A repressão foi coroada com a decretação do AI-5, em 13 de dezembro daquele mesmo ano.

Fonte: estudopratico.com.br