Postagem em destaque

MUSEUS DO RIO GRANDE DO NORTE - FIQUEM POR DENTRO!

Centro de Documentação Cultural Eloy de Souza - Cedoc O  Centro de Documentação Cultural Eloy de Souza (Cedoc) está sediado no Solar Joã...

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Heraldo se desmente vergonhosamente

J10.jpg
Ele próprio disse que não sou racista
Ministros ajudam... (Divulgação)

O suposto âncora do novo Jornal das Dez da GloboNews se desmente vergonhosamente na
 Fel-lha.

Na rádio corredor da Globo ele é conhecido como “erraldo” Pereira.

Primeiro: num acordo na Justiça ele reconheceu que não sou racista.

Segundo: o STF ainda não decidiu se o suposto crime já prescreveu ou não.

TODAS as instâncias anteriores concordaram com a Constituição: crime de injúria prescreve.

Mas o ansioso blogueiro generosamente entende: o suposto âncora precisa ancorar-se em ministros do Supremo para vestir-se de suposta credibilidade.

PHA, que não é racista, segundo a Justiça e um suposto âncora

Em tempo: interessante que para alguns respeitáveis juízes do STF ele se apresente como “advogado”. Sem comentários...
Fonte: https://www.conversaafiada.com.br/pig/heraldo-se-desmente-vergonhosamente

Moacyr Luz: Sintonia com sentimento popular explica sucesso da Tuiuti

tuiuti_-_jackson_e_mocyr_luz118644
A Tuiuti ganhou notoriedade e o apoio popular ao trazer para a avenida a temática da escravidão pós abolição, como persiste esse grande problema na história brasileira. Entre os destaques, duras críticas ao governo de Michel Temer (MDB), e a suas propostas de ataques a direitos, especialmente a reforma trabalhista que, entre outros retrocessos, dificulta o acesso à Justiça da parcela mais frágil da sociedade.
“Sou um amador na questão política, meu sentimento é extremamente popular. Tenho uma pessoa que passa roupa na minha casa. Não consigo cobrar nada dela porque é injusto demais. Mora a quilômetros de distância e o transporte é péssimo. Como posso cobrar dela se o país não dá condições mínimas”, afirmou Moacyr, em entrevista à Rádio Brasil Atual nesta sexta-feira (16).
A Tuiuti veio de um sério problema no ano anterior. Antes do desfile, um incêndio nas alegorias dos componentes deixou uma pessoa morta. O músico ressalta a volta por cima da escola. “A responsabilidade era muito grande porque a escola veio de um problema no carro alegórico no ano passado. As chances eram muito poucas. Sentei com Claudio Russo (outro interprete do tema), pensamos na história e bate com o que temos observado das pessoas do Brasil”, disse.
O samba-enredo foi o grande destaque da Tuiuti, aliado à bela execução. Com o tema “Meu Deus, Meu Deus, está extinta a escravidão”, a apresentação chocou o público ao escancarar a realidade. Comissão de frente representada por escravos torturados, fantasias de “manifestoches”, em referência àqueles que saíram às ruas em defesa do impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT), o que iniciou o governo neoliberal de Temer, patos de borracha com cifrões nos olhos, representando o apoio da Fiesp ao impeachment e o presidente vestido de vampiro com uma fantasia intitulada “Vampiro Neoliberalista”.
A repercussão junto ao público foi imensa. Internautas clamaram que a escola “lavou a alma” dos brasileiros. A hashtag #TuiutiCampeãDoPovo ficou dias entre as mais comentadas do país.
Fonte: Rede Brasil Atual