Postagem em destaque

CPC/RN PROMOVE DIA 11/12/2019 SUA III NOITE DAS HOMENAGENS NA CÂMARA DOS VEREADORES DE NOVA CRUZ/RN - CONFIRA!

Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN - 2009/2019 " "Dandara", simbolo de luta em favor da LIBERTAÇÃO da população NEGRA!&...

domingo, 23 de dezembro de 2018

Temer pode ser preso assim que acabar o mandato. Assessores aconselham fuga para Portugal

Michel Temer. Foto Cesar Itiberê/PR
Temer coleciona um total de nove pesadelos: três denúncias, um inquérito já instaurado e cinco inquéritos por instaurar.
A coluna de Josias de Souza deste domingo (23) informa que Michel Temer avalia que deve ser preso após deixar o Planalto. Seus interlocutores concordaram que o risco é real e o aconselharam a passar uma temporada no exterior, talvez Portugal, onde tem amigos. Discutiu-se a ideia de dar aulas na universidade de Coimbra. Temer refugou o conselho.
Ele descartou também a hipótese de tentar a indicação para uma embaixada, o que lhe garantiria a manutenção do escudo do foro privilegiado.
O blog de Josias apurou ainda que, ao explicar aos auxiliares por que excluiu do seu baralho a carta da saída via aeroporto internacional, Temer soou categórico: “Vão dizer que estou fugindo. E eu não vou fugir, vou enfrentar”, disse.
E Temer tem mesmo com o que se preocupar. A procuradora-geral da República Raquel Dodge acusou-o de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O caso envolve esquema no setor de portos, com desvios estimados em R$ 32,6 milhões entre agosto de 2016 e junho de 2017.
Mas, tem mais. Outras duas denúncias formuladas pelo ex-procurador-geral Rodrigo Janot a partir das delações do grupo JBS congeladas pela Câmara no ano passado, serão retiradas do freezer.
Um outro caso ainda envolve repasse de R$ 10 milhões do departamento de propinas da Odebrecht para Temer e seu grupo político.
Raquel Dodge requereu ainda a abertura de cinco inquéritos novos. São filhotes da investigação sobre portos. Ou seja, Temer coleciona um total de nove pesadelos: três denúncias, um inquérito já instaurado e cinco inquéritos por instaurar que, diante do fim do foro privilegiado, devem descer do Supremo Tribunal Federal para a primeira instância do Judiciário.

PRESIDENTE DO CPC/RN, RADIALISTA EDUARDO VASCONCELOS CONCEDE ENTREVISTA NA AGRESTE FM 107.5 - NOVA CRUZ/RN E FALA DAS AÇÕES DO CPC/RN


 Momento da entrevista na Agreste FM 207.5 - Nova Cruz/RN
Moisés registrando tudo!

Ontem (22), Eduardo Vasconcelos concedeu entrevista na Agreste FM - 107-5 e falou sobre as ações desencadeadas pelo CENTRO POTIGUAR DE CULTURA - CPC/RN.

Eduardo Vasconcelos um balanço das ações como o Seminário sobre Cultura, realizado em Baía Formosa, Reunião em Mossoró, sobre a o Núcleo da UERN em Nova Cruz, Assembléia Geral do CPC/RN, que elegeu a nova diretoria (2019/2021) e II NOITE DAS HOMENAGENS, que ocorrerá próximo dia 30 de dezembro na Câmara Municipal de Nova Cruz, entre outras atividades.

Para Eduardo Vasconcelos foi uma forma de prestar conta das ações do Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN e ao mesmo tempo mostrar a importância do CPC/RN na defesa e resgate da CULTURA no estado, finalizou, EDUARDO VASCONCELOS, recentemente reeleito presidente do CPC/RN.

Participaram do debate, os radialistas, CLAUDIO LIMA e LENILSON CUNHA.

Os perigos da Base Nacional Comum Curricular e das diretrizes curriculares articuladas à Reforma do ensino médio

Elaborada sob a desculpa de adequar o ensino médio às aspirações da juventude e ao mundo do trabalho, bem como assegurar a permanência dos estudantes na escola, a Reforma do ensino médio está colocada...
Por Ribamar Martins 
Elaborada sob a desculpa de adequar o ensino médio às aspirações da juventude e ao mundo do trabalho, bem como assegurar a permanência dos estudantes na escola, a Reforma do ensino médio está colocada em curso e avança a passos largos. Mas, paralelo à essa apresentação positiva, o que se observa é que em 2016, a Reforma foi elaborada pautada pela desigualdade, à medida que institui processos de formação diferenciados e nega o diálogo e as práticas democráticas como método de construção das políticas públicas.
Implantada por meio de uma medida provisória, a reforma rompe com a horizontalidade que permeava a formulação das políticas educacionais desde a Constituição Federal (CF) de 1988 e amplamente experimentadas nos anos 2000.  Por consequência, tanto a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), quanto às Diretrizes Curriculares do Ensino Médio, corroboram o caráter elitista da educação brasileira, distinguindo a educação destinada às elites, daquela destinada à classe trabalhadora, esta última que, inclusive, está sendo desmembrada com a retirada de diversas matérias de formação geral.
Aprovada pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) em 5 de dezembro, a BNCC deverá ser implementada até 2022. Irresponsavelmente, a proposta define o conteúdo mínimo que os estudantes de ensino médio devem aprender em sala de aula, reduzindo a formação acadêmica, desobrigando e /ou “ facultando” o acesso aos conteúdos fundamentais para o desenvolvimento integral dos estudantes. Isso porque a medida define que o currículo escolar deve ser composto por habilidades e competências definidas em duas dimensões: formação geral básica e itinerários formativos.
Estes itinerários serão percorridos pelos estudantes de acordo com a oferta, podendo o aluno fazer mais de um itinerário dentre cinco, enquanto que ao município cabe a oferta de no mínimo dois deles. Trocando em miúdos, a BNCC estipula que apenas matemática e português são conteúdos obrigatórios, todos os demais conhecimentos compõem o escopo dos itinerários formativos. Desta maneira, cria-se alunos mão-de-obra para o mercado de trabalho apenas com formação técnica e profissional.
A um primeiro momento a ideia pode até parecer boa, ao remeter ao discente a definição por quais itinerários pretende construir sua trajetória acadêmica, imagina-se que desta forma possibilita e caracteriza o exercício da democracia, tão desejável nas práticas sociais. Porém, se avaliada do ponto de vista de contextos de profundas desigualdades sociais, a escolha pelo mínimo pode se constituir no máximo perseguido por aqueles cujas condições objetivas condicionam as escolhas. A urgência pela conclusão de mais uma etapa de ensino pode ser balizadora das escolhas para as classes populares e, nessa perspectiva, comprometer a qualidade do ensino alcançado.
Considerando que assim como a escolha, a oferta também seja mínima, culminará no aprofundamento das desigualdades; em regiões pobres itinerários reduzidos, enquanto que em regiões ricas uma oferta ampla e diversificada. Neste contexto criando, portanto, dois projetos de educação no país.
Os itinerários formativos são estruturados a partir de quatro eixos os quais devem ser trabalhados transversal e interdisciplinarmente.
  • Investigação científica;
  • processos criativos;
  • mediação e intervenção sociocultural;
Observa-se que, em totalidade, esses itinerários articulados às áreas de formação básica, compõem o escopo de uma formação integral desejável em um sistema de educação que se propõe à constituição da emancipação social. Entretanto, a subtração de qualquer uma dessas dimensões representa a fragilização da formação acadêmica e rompe com a perspectiva emancipatória da educação.
As diretrizes como ações orientadoras do como alcançar as definições previstas na BNCC são situadas de forma a corroborar ao que está consignado nesta base, portanto, apenas instrumentalizam a ação, o caminho a seguir e atuam como parâmetros.
Sendo assim, ao definir as diretrizes dessa etapa de ensino, a Câmara de Educação Básica do CNE confirma a perspectiva privatista ao traçar que até 20% do ensino médio diurno poderá ser realizado pela modalidade à distância (EaD), enquanto que no turno noturno poderá atingir até 30% da carga horária e chegando à 80% nos casos da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A possibilidade de oferta do Ensino Médio à distância revela o caráter excludente das políticas educacionais em curso.
Considerando as desigualdades presentes na sociedade brasileira que repercutem diretamente sobre a estrutura de escolas onde se convive com escolas melhores estruturadas e escolas pauperizadas, em geral, situadas nos espaços mais despossuídos de recursos econômicos do país, há que se prever que a opção pela oferta à distância, por meio de conglomerados educacionais de EaD deverá ser a tônica de muitos municípios.
Outro aspecto a ser considerado quanto à análise das políticas educacionais em curso, especialmente a partir da Reforma do ensino médio, é o caráter fragmentado das medidas. O fato da BNCC do ensino médio ser estruturada apartada do que foi desenvolvido no âmbito da educação infantil e do ensino fundamental, fratura o processo de formação na educação básica, ferindo seriamente a concepção de totalidade que esse nível educacional estabeleceu desde a Constituição de 1988, corroborada pela Lei de Diretrizes e Bases (LDB) de 1996.
Como pensar o que deve ser ensinado e aprendido no ensino médio sem levar em consideração o aprendido no ensino fundamental e vice-versa.  Ao separar estas etapas, corre-se o risco de se produzir um uma formação fragmentada e desconexa. Uma formação parcelar que interessa diretamente ao sistema de produção capitalista, a quem não importa a formação que oportunize aos(as) trabalhadores(as) a compreensão total do processo produtivo, mas tão somente das tarefas específicas que se lhes competem na engrenagem produtiva.
Não é à toa que a discussão sobre a BNCC e sobre as diretrizes ocorreram concomitantes ao acirrado debate do Escola Sem Partido que, simboliza o amordaçamento da educação, a quebra da autonomia das escolas e impede o debate plural de ideias e também da discussão de gênero.
O ano de 2019 exigirá do conjunto da sociedade um esforço coletivo para que possamos assegurar uma escola pública, democrática, gratuita, laica e inclusiva. Pretendem colocar em curso uma política educacional tão excludente que se assemelhada a que era desenvolvida na primeira metade do século passado. Inviabilizando o debate e/ou qualquer possibilidade de formulação crítica sobre o processo em curso, e o amordaçamento de professores(as) e estudantes é a pedra angular para materializar essa política de retrocesso.
“O que me surpreende na aplicação de uma educação realmente libertadora é o medo da liberdade.“ — Paulo Freire.
Fonte: SINPRO/DF

Mostra de Artes Visuais é laboratório de ideias na Bienal

Performances, intervenções urbanas e outras diversas linguagens estarão presentes no festival estudantil
Tudo é arte? Esta pergunta filosófica pode ter diversas interpretações, mas na 11ª edição da Bienal dos Estudantes podemos respondê-la afirmativamente. Isso porque a mostra de artes visuais abarcará diversos tipos de linguagens como intervenção urbana, performances, arte digital e até a arte-xerox, carro chefe do artista homenageado da vez, o artista multimeio Paulo Bruscky.
Pernambucano da capital, Bruscky é referência na arte conceitual. Desenho, pintura, gravura, fotolinguagem e experimentações com radiografias, eletroencefalogramas e eletrocardiogramas estão presentes no repertório do artista.
Para a coordenadora da mostra, a fotógrafa e integrante do Cuca da UNE Rebeca Belchior, a proposta é abrir espaço para a reflexão de ideias através das múltiplas possibilidades de linguagem e de construção de narrativas e provocações nas artes visuais.
”A expectativa é que a mostra dê vazão à efervescência e diversidade da produção cultural dentro das escolas e das universidades. Que esse laboratório de ideias seja representativo nas regiões do país, no gênero, na raça, na pluralidade de pensamento e de técnicas. Espero que seja um espaço de trocas e reflexão”, diz.

INSCREVA SEU TRABALHO

A inscrição de trabalhos é gratuita. Mas se você quiser garantir sua ida ao maior festival estudantil da América Latina, você poderá fazer a sua inscrição individual aqui e, caso o seu trabalho seja selecionado, o pagamento da taxa será devidamente estornado. Os trabalhos podem ser inscritos até o dia 1º de janeiro de 2019.
O valor da taxa de inscrição é de R$100 até o dia 10 de janeiro de 2019; de R$150 do dia 11 de janeiro de 2019 até 6 de fevereiro de 2019 e de R$200 na data da atividade.
Caso o seu trabalho não seja selecionado, não haverá devolução da taxa de inscrição. Você, no entanto, estará com a inscrição confirmada e terá direito a alojamento e acesso a todas as atividades da Bienal.
Na mostra de artes visuais serão selecionados no máximo 50 trabalhos das seguintes categorias: pintura, escultura, fotografia, desenho, gravura, colagem,técnicas desenvolvidas sobre papel, tela ou superfícies planas, objeto,instalação, performance e intervenção, charge, quadrinhos. A divulgação dos selecionados será realizada a partir do dia 20 de janeiro, no site da UNE.
As obras selecionadas deverão ser enviadas à secretaria da Bienal dos Estudantes com 1 (uma) semana de antecedência do início do evento. O envio é de responsabilidade do artista.

SERVIÇO

O que? 11ª Bienal dos Estudantes
Quando? 6 a 10 de fevereiro de 2019
Onde? Universidade Federal da Bahia (UFBA), em Salvador

Presépio de Natal

O presépio é uma pequena construção, feita de madeira, barro, louça ou outros materiais, para representar o momento do nascimento de Jesus, num estábulo localizado na cidade de Belém.
Normalmente é constituído de imagens como a de Maria, José, o Menino Jesus em uma manjedoura, os animais que estavam no estábulo, como a vaca e o carneiro, e o jegue que transportou o casal até o local.
Segundo a bíblia sagrada, José e Maria fugiram da Galileia em virtude de um recenseamento, onde o rei Herodes, com medo de perder seu trono para o rei dos judeus, mandou matar todas as crianças da raça.
Os dois viajaram por longos dias procurando uma hospedaria para ficar, mas não encontrando um local, pediram abrigo em uma casa, porém o dono ofereceu o estábulo para passarem a noite. Foi então que Maria deu à luz.
Um anjo, de nome Gabriel, anunciou o nascimento do messias e uma estrela cadente indicou, num brilho intenso, o local onde ele se encontrava.
Dessa forma, os três reis magos seguiram o brilho da estrela e presentearam Jesus com incenso, ouro e mirra.
A origem dos presépios se deu em 1223, através de uma pregação feita por São Francisco de Assis, onde o mesmo criou uma forma teatral para mostrar às pessoas como teria acontecido o nascimento de Jesus. Com autorização do papa da época, construiu um cenário vivo, impressionando a todos que viam a cena.
Com isso, as famílias que assistiram ao espetáculo adotaram o costume de montar um presépio dentro de suas casas, sendo que o costume foi rapidamente difundido por toda a Europa, normalmente pelas famílias mais nobres em razão dos altos custos.
Porém, a partir do século XV, os presépios passaram a ser fabricados em materiais mais baratos, a fim de proporcionar essa importante parte da história de Jesus a todos os cristãos.
Hoje em dia podemos encontrar presépios de vários materiais, sendo que suas peças são comercializadas separadamente, para que cada pessoa monte de acordo com a sua interpretação.
Brasil Cultura

Destinos mais procurados de Réveillon preparam atrativos, espetáculo de fogos e grandes shows

Shows musicais, espetáculos pirotécnicos e outras opções de entretenimento e lazer vão marcar a virada do ano nos destinos nacionais mais movimentados da época. O Reveillon, que concentra boa parte das 75,5 milhões de viagens domésticas que serão realizadas por brasileiros neste verão, segundo estimativas do Ministério do Turismo, é o período em que atrativos de sol e praia, gastronomia e cultura ganham reforço na demanda.
Segundo o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, o período do Reveillon é a primeira contribuição do turismo à economia nacional no ano. “O aumento do número de viagens gera mais oportunidades de geração de empregos temporários e movimenta o comércio e equipamentos turísticos nas nossas cidades”, avalia.
De acordo com o Voopter, aplicativo que compara preços de passagens aéreas e promoções, Salvador, Recife, Fortaleza, Natal, Rio de Janeiro e São Paulo são as capitais mais procuradas no período de 26 de dezembro a 4 de janeiro e terão ampla programação para turistas. A lista dos 10 destinos nacionais mais buscados é completada com Florianópolis, Maceió e Porto Alegre, que ainda acertam detalhes das atrações públicas. Porto Seguro (BA) é a 10ª do ranking e terá dois dias de festa, com contagem regressiva para 2019 pela cantora Solange Almeida, seguida de show pirotécnico, além de show do cantor Bell Marques no dia 1º, que comandará um trio elétrico.
A capital baiana, número 1 da lista, terá cinco dias de celebrações pela chegada de 2019. De 28 de dezembro a 1º de janeiro, o Festival Virada Salvador vai proporcionar mais de 70 horas de música em um grande palco na orla da Boca do Rio, com 28 shows e 300 artistas envolvidos. A lista de nomes que se apresentarão inclui Zezé Di Camargo & Luciano, Milton Nascimento, Claudia Leitte, Ivete Sangalo, Daniela Mercury, Anitta e Alok, entre outros. Além dos shows, o Festival vai novamente oferecer uma enorme roda-gigante, tirolesa e Vila Gastronômica. O local terá show pirotécnico de 15 minutos, espetáculo que também será realizado em 16 bairros da cidade.
A tradicional festa de Recife é o Réveillon na orla de Boa Viagem, promovido pela Prefeitura Municipal, que será embalado pela música pernambucana. A noite do dia 31 vai ter 14 atrações, divididas em dois palcos montados nas areias das praias do Pina e de Boa Viagem. As atrações incluem Elba Ramalho, Nena Queiroga, Erica Natuza, Isadora Melo, Adriana B, Karina Spinelli, Belo Xis e Gerlane Lops. Na hora da virada do ano, o show será ‘piromusical’: numa ação inédita na capital, as cerca de 16 toneladas de fogos de artifício vão pipocar no céu em sintonia com a música tocada no momento, por aproximadamente 15 minutos. O espetáculo vai ser distribuído em três balsas entre os dois palcos, de forma a permitir uma visualização mais ampla ao longo da orla da cidade.
A capital potiguar, cujo aniversário é celebrado no dia de Natal, 25 de dezembro, já promove comemorações desde o início do mês, envolvendo uma programação repleta de eventos culturais. As atrações do projeto ‘Natal em Natal’, organizado pela Prefeitura Municipal, incluem a virada do ano e terminam em 6 de janeiro, com a Festa de Santos Reis, realizada no bairro de mesmo nome. Durante o Réveillon, vários shows musicais gratuitos vão animar a Praia da Redinha, palco de apresentações de artistas regionais como Luizinho Nobre, Carlinhos Zens, Jaina Elne, Debinha Ramos e Perfume de Gardênia. Já na Praia de Ponta Negra e na Ponte Newton Navarro, o espetáculo fica por conta dos fogos de artifício, que vão iluminar e colorir o céu da capital do Rio Grande do Norte.
 Em Fortaleza, a música fica por conta de nomes como Claudia Leitte, Marília Mendonça, Alcione e Jorge Vercillo. O Réveillon programado pela prefeitura é aberto ao público no Aterro da Praia de Iracema, cartão-postal local. Neste ano, a capital do Ceará também abre espaço para artistas regionais, como os cantores Ítalo e Renno, Waldonys e Tom Drummond, este último vencedor do Festival da Música de Fortaleza. O evento contará, ainda, com apresentações da bateria da escola de samba carioca União da Ilha e da Banda Patrulha.
A Cidade Maravilhosa, palco de uma das mais concorridas festas de Réveillon do Brasil, na Praia de Copacabana, terá atrações durante quase dez horas. O famoso espetáculo pirotécnico reunirá 10 balsas, sincronizado junto a uma trilha sonora desenvolvida pelo DJ João Brasil, com 14 minutos de duração. A lista de artistas da noite inclui Gilberto Gil, Baby do Brasil e Ludmilla, além da escola de samba Beija-Flor. Na noite da virada, o Cristo Redentor, um dos ícones do Rio, receberá uma projeção digital, o que possibilitará a rotação ilusória da estátua em 180 graus. O monumento também vai transmitir uma mensagem de paz em Libras, que será transmitida por meio de telões na Praia de Copacabana.
Já o Réveillon da Avenida Paulista, um dos principais pontos turísticos da capital de São Paulo, terá atrações gratuitas para diferentes perfis na virada do ano. Shows musicais vão ser transmitidos por telões em led instalados na avenida, de maneira que o público possa acompanhar todos os detalhes. A festa deste ano reserva uma novidade: os fogos de artifício terão barulho reduzido, a fim de diminuir a poluição sonora, com duração de até 15 minutos. A medida cumpre lei local sancionada em maio, que proíbe o uso e a fabricação de artefatos pirotécnicos dotados de efeito exclusivamente sonoro. O palco montado pela prefeitura vai receber shows de artistas como Jorge Ben, Gal Costa, Péricles e Diogo Nogueira, além dos grupos de forró Rastapé e Trio Virgulino. As apresentações serão intercaladas com performances do grupo de comédia Risadaria.
Edição: Vanessa Sampaio