Postagem em destaque

GRUPO DE CAPOEIRA CORDÃO DE OURO-NOVA CRUZ/RN REALIZOU O BATIZADO E TROCA DE CORDA FECHANDO COM CHAVE DE OURO! CONFIRAM!!!

FINAL - FOTO HISTÓRICA  - GRUPO DE CAPOEIRA CORDÃO DE OURO MOMENTO DO "ESQUENTE"  MOMENTOS DECISIVOS - MUITA CONCENTRAÇ...

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Em memória de Marielle, estudantes organizam atos e exigem justiça


Manifestações estão marcadas para o próximo dia 13 de abril; Veja como organizar uma na sua universidade
Em homenagem à memória da vereadora Marielle Franco estudantes estão organizando atos para a próxima sexta-feira, 13 de abril, data que marca quase 30 dias de uma execução ainda sem elucidações. As manifestações ocorrerão em diversas universidades brasileiras e foram convocadas durante a plenária final do 8º EME da UNE, realizado no último dia 01, na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Minas Gerais.
”É muito simbólica que a aprovação feita no 8º EME da UNE se transforme em um conjunto de ações a serem realizadas na véspera do aniversário de 1 mês das mortes de Marielle e Anderson. Chegamos nesse momento sem saber quem são os responsáveis por esse crime, portanto esse dia é fundamental para deixarmos claro que queremos saber quem mandou matar Marielle. Vamos reivindicar respostas para que não haja impunidade”, falou a 1ª diretora de mulheres da UNE, Luiza Foltran.
Marielle Franco e Anderson Gomes foram mortos a tiros, na noite do dia 14 de março, no centro do Rio de Janeiro, após deixarem a Lapa, onde ela participou do seu último ato político. As investigações seguem em sigilo. O secretário de Segurança do Rio, general Richard Nunes, declarou que os indícios apontam para um crime com motivação política. Marielle atuava contra milícias e era defensora dos direitos humanos.
Para Luiza, o legado e a luta de Marielle devem ser evidenciados.
” As mulheres da UNE se colocam na tarefa de dizer que Marielle foi assassinada porque enfrentava os poderes políticos nesta conjuntura de golpe e retrocessos. Porque era uma mulher negra, favelada, LBT que denunciava os ataques aos direitos humanos. Se por vezes a mídia tenta retratá-la como alguém esvaziada politicamente, a gente tem que fazer essa disputa de dizer quem era ela e porque suas pautas também são nossas pautas”, disse.

FAÇA UM ATO NA SUA UNIVERSIDADE

Você também pode organizar um ato em sua universidade em memória de Marielle e Anderson. Para isso, siga os passos descritos abaixo e participe dessa luta:
1. Articule com mais gente – A partir dos coletivos de mulheres, CA’s ou DCE’s paute a intervenção do dia 13 de abril.
2. Organize uma ação – Avalie com as entidades qual tipo de atividade é possível fazer de acordo com mobilização. Vale tudo! Intervenção artística, jogral no bandejão, lambes pela universidade, saraus, paralisação, debates…
3. Divulgue – No site da UNE disponibilizamos o panfleto da campanha “A defesa da universidade nos UNE #MarielleVive”, artes para os lambes e material de divulgação. Também é importante confirmar a presença no evento e informar quais a atividades que irão rolar, com local e hora para que a UNE ajude a divulgar.
4. No dia 13 – Envie e compartilhe fotos e vídeos da atividade para somar na cobertura colaborativa.

BAIXE OS MATERIAIS:

Fonte: UNE

Programa de Bibliotecas Rurais Arca das Letras


ASCOM/SEARA
O Arca proporciona cultura e conhecimento para crianças e jovens no meio rural
Ampliar as oportunidades culturais daqueles que vivem no campo, incentivando a leitura e o acesso aos livros em assentamentos, comunidades de agricultura familiar e de remanescentes de quilombos, esse é o objetivo do Programa de Bibliotecas Rurais Arca das Letras.

Criado em 2003 pela Secretaria de Reordenamento Agrário do Ministério do Desenvolvimento Agrário, o programa é executado com absoluto sucesso no Rio Grande do Norte pelo governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Assuntos Fundiários e de Apoio à Reforma Agrária (SEARA) e entidades parceiras.

Desde a implantação do programa no estado, já foram implantadas 792 (setecentos e noventa e duas) bibliotecas, em 127 (cento e vinte e sete) municípios; distribuídos aproximadamente 170.810 (cento e setenta mil ,oitocentos e dez mil) livros; beneficiadas cerca de 62.846 (sessenta e duas ,oitocentas e quarenta e seis mil) famílias rurais.

O RN é o quarto estado com o maior número de Arcas no Brasil. 

Desenvolvido através do projeto Leituras e Linguagens: para quem é da terra fortalecer suas raízes, o programa tem buscado registrar e incentivar as mais diversas manifestações artísticas e a diversidade cultural do homem do campo. 

As comunidades participam da formação e implantação das bibliotecas. Os moradores indicam o local de instalação das Arcas, os assuntos de seu interesse e seus Agentes de Leitura, voluntários das próprias comunidades que são responsáveis pelo empréstimo dos livros e pelo incentivo à leitura no local

Cada Arca comporta mais de 200 títulos, entre literatura infantil, literatura para jovens e adultos, livros didáticos, de pesquisa e técnicos (sobre saúde, cidadania e agricultura).
Com a missão de implementar uma política de incentivo à leitura, à arte e à cultura universal, fortalecendo as singularidades do campo, a coordenação acredita que o RN possa se tornar referência em práticas no campo educativo e popular, levando em conta a leitura, a arte e a cultura como instrumentos de resistência e transformação, articulando e integrando os conhecimentos que envolvam o sentido, o pensar e o agir contra a alienação, o analfabetismo e a fragmentação do saber que tanto atrapalha o desenvolvimento rural.

O programa, através de sua rede de parcerias, vem contribuindo para o desenvolvimento, o trabalho, a educação e o entretenimento no meio rural brasileiro. O Arca das Letras articula nacionalmente ações dos Ministérios da Educação, da Cultura, da Justiça, bem como de outras esferas públicas e privadas, que publicam livros ou produzem informações de interesse para as pessoas que vivem no meio rural.

Ao Arca das Letras agregam-se outros componentes de valorização social e cultural: articulação com os Pogramas de Alfabetização de Jovens e Adultos com atuação em assentamentos de reforma agrária,comunidades de agricultores familiares, remanescentes de quilombos e indígenas; fortalecimento das ações da Rede de Educação para a convivência com o semi-árido brasileiro; visitas de acompanhamento pedagógico a todas as comunidades beneficiadas com o Programa de Bibliotecas Rurais; participação em comitês, fóruns e grupos de trabalho ligados à educação do campo; promoção de oficinas de mediação de leitura com a participação de agentes de leitura e membros do comitê gestor responsável pela implementação do Programa Arca das Letras nas comunidades; realização de campanhas de doação de livros para renovação dos acervos das Arcas, entre outras.

Fonte: SEARA/RN

Editora Boitempo libera download gratuito de livro sobre Lula


O recém-lançado “Luiz Inácio Lula da Silva – A Verdade Vencerá”, publicado pela Editora Boitempo, está disponível gratuitamente para download em sua versão digital.
No livro, o ex-presidente relata o atual momento da história brasileira e o que considera ser sendo uma perseguição política sem precedentes por parte do sistema judicial do país.
“O que está aqui (no livro) é a minha verdade, é desafiar a verdade dos meus acusadores”, afirmou Lula no lançamento da obra, em março deste ano. O livro é o resultado de entrevistas concedidas aos jornalistas Juca Kfouri e Inês Nassif, ao professor de relações internacionais da Universidade Federal do ABC (UFABC) Gilberto Maringoni e a Ivana Jinkings, editora da Boitempo.
A versão digital do livro pode ser baixada diretamente do site da Boitempo. Segundo a editora, as principais plataformas de venda de livros eletrônicos também disponibilizarão a versão gratuita até o dia 13. Durante o período, os leitores que optarem pela versão impressa receberão um segundo exemplar gratuitamente.
Clique aqui para fazer o download do livro. Para comprar a versão impressa (R$ 35,00) clique aqui.
Fonte: Opera Mundi