Postagem em destaque

GRUPO DE CAPOEIRA CORDÃO DE OURO-NOVA CRUZ/RN REALIZOU O BATIZADO E TROCA DE CORDA FECHANDO COM CHAVE DE OURO! CONFIRAM!!!

FINAL - FOTO HISTÓRICA  - GRUPO DE CAPOEIRA CORDÃO DE OURO MOMENTO DO "ESQUENTE"  MOMENTOS DECISIVOS - MUITA CONCENTRAÇ...

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

ÍTALO FERREIRA SIMBOLO DE SUPERAÇÃO! UM FORMOSENSE CAMPEÃO DO MUNDO!


 Título conquistado pelo brasileiro Ítalo Ferreira, nos Jogos Mundiais de Surfe, no Japão.
Foto: http://agenciabrasil.ebc.com.br - Foto: Twitter/Olympic Channel
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas no palco
Foto do FACEBOOK de Ítalo Ferreira
"ÍTALO FERREIRA SIMBOLO DE SUPERAÇÃO" - Eduardo Vasconcelos

Por ÍTALO FERREIRA:

(Continuação nos comentários) Se você tiver um minuto, leia o texto abaixo e reflita comigo sobre tudo o que aconteceu nos últimos dias. Você pode transformar essa história em algo positivo pra sua vida.


Fui roubado 4 dias atrás, nos Estados Unidos. Na minha mochila, que eles levaram, tinha alguns pertences pessoais e o documento mais importante para uma pessoa que está viajando e nem sabe falar perfeitamente a língua local: o passaporte. Este era eu. Sem saber pra onde ir, sendo que no mesmo dia eu tinha um voo marcado para o Japão 🇯🇵 para competir em um evento mundial essencial na busca por uma vaga nas olimpíadas de 2020, em Tokyo.

No dia seguinte ao roubo, tive ajuda de algumas pessoas do Brasil, Estados Unidos e até mesmo do Japão. Tentaram me ajudar com um passaporte novo, um visto japonês e o mais difícil: o visto americano. Todas as informações diziam que o melhor era eu sair dos Estados Unidos para refazer tudo (marcar horário, agendar entrevista, etc) no consulado americano. Então saí dos Estados Unidos no dia 08 de setembro e embarquei para Tokyo, com entrevista marcada para o dia seguinte, 09.

Parecia tudo normal, mas MEU VOO ATRASOU POR CAUSA DE UM FURACÃO 

- inclusive, fiquei 18 horas dentro do avião. Ou seja, eu não teria como chegar a tempo para a entrevista no consulado no Japão. Então remarquei para as 8:30 do dia 10 de setembro, primeiro dia da competição, sem ter certeza de que o visto seria aprovado.

Eu estava confiante e feliz, mesmo depois de tudo, só por ter chegado até o Japão. O visto foi aprovado, deixei meu passporte no consulado americano e comecei mais uma missão. Fui correndo para o Aeroporto de Tókio em busca do primeiro voo para a cidade onde eu iria competir. Minha bateria era a 6ª do Round 1, mas o evento atrasou 1 hora e isso me deu uma pequena chance de chegar a “tempo”. Quando pousei no aeroporto, saí correndo: larguei as malas e fui direto para o carro do comitê brasileiro que estava a minha espera. Minha bateria já tinha começado e demoramos 10 minutos do aeroporto até a praia. 

CONTINUA NOS COMENTÁRIOS!

"Ítalo Ferreira exemplo de superação, determinação, fé e luta!

Clic no link  abaixo:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/esportes/noticia/2019-09/italo-ferreira-e-campeao-nos-jogos-mundiais-de-surfe-no-japao

EDUARDO VASCONCELOS ENTREVISTA ÍTALO FERREIRA EM 02 DE JANEIRO DE 2015 NO CHALÉMAR - BAÍA FORMOSA-RN. Clic no Link:Abaico: 

https://eduagreste.blogspot.com/2015/01/em-baia-formosarn-eduardo-vasconcelos.html

Paulo Freire 19 de setembro

Paulo Freire (1921-1997) foi um educador brasileiro, criador do método inovador no ensino da alfabetização, para adultos, trabalhando com palavras geradas a partir da realidade dos alunos. Seu método foi levado para diversos países.
Paulo Freire nasceu no Recife, Pernambuco, no dia 19 de setembro de 1921. Filho de Joaquim Temístocles Freire, capitão da Polícia Militar e de Edeltrudes Neves Freire morou na cidade do Recife até 1931, quando foi morar no município vizinho de Jaboatão dos Guararapes, onde permaneceu durante dez anos.
Formação
Iniciou o curso ginasial no Colégio 14 de Julho, no centro do Recife. Com 13 anos perdeu seu pai e coube a sua mãe a responsabilidade de sustentar todos os 4 filhos. Sem condições de continuar pagando a escola, sua mãe pediu ajuda ao diretor de Colégio Oswaldo Cruz, que lhe concedeu matrícula gratuita e o transformou em auxiliar de disciplina, e posteriormente em professor de língua portuguesa.
Em 1943 ingressou na Faculdade de Direito do Recife. Em 1944 se casou com Elza Maria Costa de Oliveira, professora primária, com quem teve cinco filhos. Depois de formado continuou como professor de português no Colégio Oswaldo Cruz e de Filosofia da Educação na Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Pernambuco.
Em 1947, Paulo Freire foi nomeado diretor do setor de Educação e Cultura do Serviço Social da Indústria. Em 1955, junto com outros educadores fundou, no Recife, o Instituto Capibaribe, uma escola inovadora que atraiu muitos intelectuais da época, e que continua em atividades até hoje.
Método de Alfabetização Paulo Freire
Preocupado com o grande número de adultos analfabetos na área rural dos estados nordestinos, que formavam um grande número de excluídos, Paulo Freire desenvolveu um método de alfabetização baseado no vocabulário do cotidiano e da realidade dos alunos.
As palavras eram discutidas e colocadas no contexto social do indivíduo. Por exemplo: o agricultor aprendia as palavras, cana, enxada, terra, colheita, fogo etc. e os alunos eram levados a pensar nas questões sociais relacionadas ao seu trabalho. A partir das palavras base, ia se construindo novas palavras e ampliando o vocabulário.
A iniciativa do educador foi aplicada pela primeira vez, em 1962, na cidade de Angicos no sertão do Rio Grande do Norte, quando foram alfabetizados 300 trabalhadores da agricultura. O projeto ficou conhecido como “Quarenta horas de Angicos”. Os fazendeiros da região chamavam o processo educativo de “praga comunista”.
Exílio
Com o golpe militar de 1964, Paulo Freire foi acusado de agitador e levado para a prisão onde passou 70 dias, e em seguida se exilou no Chile. Durante cinco anos desenvolveu trabalhos em programas de educação de adultos no Instituto Chileno para a Reforma Agrária.
Em 1969, Paulo Freire lecionou na Universidade de Harvard. Durante dez anos, foi consultor especial do Departamento de Educação do Conselho Municipal das Igrejas, em Genebra, na Suíça. Viajou por vários países do Terceiro Mundo dando consultoria educacional.
Em 1980, com a anistia, Paulo Freire retornou ao Brasil, estabelecendo-se em São Paulo. Foi professor da UNICAMP e da PUC. Foi Secretário de Educação da Prefeitura de São Paulo, na gestão de Luísa Erundina. Após a morte de sua primeira esposa, casou-se com Ana Maria Araújo Freire, conhecida como Nita Freire, uma ex-aluna do Colégio Oswaldo Cruz.
Reconhecimento
Por seu trabalho na área educacional, Paulo Freire foi reconhecido mundialmente. É o brasileiro com mais títulos de Doutor Honoris Causa de diversas universidades, são 41, ao todo, entre elas, Harvard, Cambridge e Oxford.
Paulo Freire faleceu em São Paulo, no dia 2 de maio de 1997.
Obras de Paulo Freire
Educação Como Prática da Liberdade (1967)
Pedagogia do Oprimido (1968)
Cartas à Guiné-Bissau (1975)
Educação e Mudança (1981)
Prática e Educação (1985)
Por Uma Pedagogia da Pergunta (1985)
Pedagogia da Esperança (1992)
Professora Sim, Tia Não: Carta a Quem Ousa Ensinar (1993)
À Sombra Desta Mangueira (1995)
Pedagogia da Autonomia (1997)

Guerra dos Farrapos

Guerra dos Farrapos, também conhecida como Revolução Farroupilha, foi a mais importante rebelião do período da regência no Brasil, que ocorreu no Rio Grande do Sul e durou dez anos, de 1835 até 1845.
Teve início durante a regência de Feijó e só terminou no Segundo Reinado. Foi favorecida pelo caráter militarizado da sociedade rio-grandense, organizada em meio a lutas fronteiriças, desde a época da Colônia de Sacramento.
Causas da Guerra dos Farrapos
A Guerra dos Farrapos ou Revolução Farroupilha foi promovida pela classe dominante gaúcha, constituída de estanceiros, donos de grandes propriedades rurais usadas para criação de gado, indignados com os elevados impostos territoriais, além de altas taxas sobre as exportações de charque, couro e sebos.
Além disso, as ideias republicanas e federativas encontravam muita receptividade entre os rio-grandenses, estimulados pelas vizinhas Repúblicas Platinas.
Agravando a situação, em 1835, o regente Feijó nomeou o moderado Antônio Rodrigues Fernandes Braga como presidente da província, o que não foi aceito pelos gaúchos. Na Assembleia Provincial tornou-se cada vez mais viva a oposição ao presidente Fernandes Braga.
O Conflito
No dia 20 de setembro de 1835, uma revolta armada, com pouco mais de 200 cavaleiros se estabeleceu nos arredores da capital. Uma pequena força armada enviada para dispersar os rebeldes foi repelida e obrigada a regressar.
Alarmando o presidente, fugiu para a vila de Rio Grande, instalando ai seu governo. No dia seguinte, o comandante da Guarda Nacional local, Bento Gonçalves, um dos principais promotores do movimento, entrava em Porto Alegre e, com o apoio da Assembleia Provincial, em 1836, proclamou a República do Piratini.
O regente Feijó nomeou novo presidente para a província, José de Araújo Ribeiro, futuro visconde do Rio Grande. A guerra continuou e os legalistas conseguiram prender vários chefes rebeldes, entre eles Bento Gonçalves, que foi mandado para Bahia, de onde fugiu, com a ajuda da maçonaria.
Em setembro de 1837, regressa ao Sul e é eleito presidente da República do Piratini. A luta dos rebeldes era cada vez mais popular e com o apoio do revolucionário italiano Guiseppe Garibaldi o movimento se propagou. Pressionado, Feijó foi obrigado a renunciar. Iniciou-se a regência de Araújo Lima, apoiado pelos conservadores.
Em 1939, Davi Canabarro, um dos chefes da revolta, com a colaboração de Guiseppe Garibaldi, tomou Laguna, em Santa Catarina, fundando nessa província a República Juliana, confederada à República Rio-grandense, alargando o cenário da revolução.
Em 1840, com a maioridade antecipada de Pedro II, foi concedida anistia a todos os revoltosos políticos do período regencial. O novo presidente, Álvaro Machado, nomeado pelo governo imperial, tentou convencer os rebeldes a terminar a guerra e aceitar a anistia, mas nada conseguiu.
O Fim do Conflito
Em 1843, para evitar a intensificação do conflito, Luís Alves de Lima e Silva, o futuro Duque de Caxias, foi nomeado presidente e comandante das armas.
Depois de várias derrotas, em 1845, os rebeldes aceitaram a proposta de paz, oferecida pelo governo, que incluía algumas vantagens: anistia, incorporação dos oficiais farroupilhas ao exército imperial, libertação dos escravos que haviam lutado ao lado dos farroupilhas, devolução das terras que havia tomado dos rebeldes, diminuição dos impostos naquela província e aceitar o fortalecimento da Assembleia provincial.
Portal BRASIL CULTURA

SUCESSO TOTAL!!! "TALENTOS DAS CASAS DE CULTURA POPULAR - EDIÇÃO 2019 - CONFIRAM

 Imagem: Os 13 inscritos após receberem seus troféus e medalhas pousam para as fotos ao lado dos organizadores - Fernando Luiz (Talentos Potiguar), Jefferson Tavares (FJA) e Eduardo Vasconcelos e Teobanio Tavares (Agentes de Cultura).


Os 13 que fizeram a diferença! PARABÉNS MESMO! Mais dias melhores virão!

NOSSA SINGELA HOMENAGEM E AGRADECIMENTO AOS 13 HERÓIS DA CULTURA
JOICE KARLA OLIVEIRA DE SOUZA; SILVANDREISON DE FREITAS SILVA ;ABDÊNAGO CÂMARA PEREIRA;RENATO CRISANTO; VIVIANA DA SILVA CRUZ; MICHELY OLIVEIRA. CRISTIANE GOMES DA SILVA; FRANCISCO PAIXÃO DA SILVA; MARCIO SANTOS; JEFFERSON DA SILVA LIMA; WEDSON FIRMINO DA SILVA. JULIANA GOMES SOARES E DANIEL PAIXÃO DIAS (DANIEL DO ARROCHA). Vocês foram as estrelas da noite. Os momentos virão. Sim! do 4º ao 13º as sequências não significa a classificação.

Foto: Concorrentes e sociedade atentos ao inicio do festival
 Foto da esquerda para a direita: Teobanio, Eduardo, Abdênago, Fernando Luiz, Silvandrison, Joyce e Jefferson Tavares (FJA)

 Fotos que ficarão nas nossas memórias para sempre
 Joyce e Fernando Luiz  e Silvandreison e Jefferson Tavares, (após receberem troféu)
 O público compareceu e a mesa julgadora foi muito profissional e as musas do festival deram seus recados. Parabéns a todos!
Resultado; Foto 01 Joyce Karla (Primeiro Lugar; Silvandreison (Segundo Lugar) e Abdênago (Gil Góis) - (3º Lugar).

Ontem (19) a Casa de Cultura Popular de NOVA CRUZ, juntamente com a FJA (Fundação José Augusto) e TALENTOS POTIGUAR promoveram a III Edição  do Projeto TALENTOS DAS CASAS DE CULTURA POPULAR - Edição 2019 de autoria do TALENTO POTIGUAR (Fernando Luiz).

O evento aconteceu de fronte a Casa de Cultura "Lauro Arruda Câmara", onde centenas de pessoas estiveram presentes para prestigiar os cantores inscritos para a competição.

Antes de iniciar Fernando Luiz discursou explicando a importância do Projeto e aproveitou para falar um pouco da sua  trajetória artística e também falou do objetivo do projeto e no final das apresentações o mesmo cantou várias músicas de sua autoria, principalmente a musica que ficou em nossas mentes a musica GAROTINHA. O mesmo antecipou seus agradecimentos e mostrou-se bastante emocionado em estar voltando a sua terra natal, onde tudo começou. É bom lembrar que, Fernando Luiz é filho de parteira que trabalhou muitos anos no Hospital Municipal Monsenhor Pedro Moura.

O segundo orador foi Jefferson Tavares, coordenador adjunto das Casas de Cultura Popular, que estava representando o presidente da FJA, Crispiniano Neto, reforçou as palavras de Fernando e aproveitou para informar que a FJA ampliará suas ações nas cidades através das casas de cultura, elogiando a organização do evento.

O terceiro a falar foi o Agente de Cultura, Eduardo Vasconcelos, que também é presidente do Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN. Eduardo focou muito na importância da sociedade apoiar os artistas da terra, incentivando-os a continuarem na lutas nas buscas da realizações de seus sonhos, Concluindo, Eduardo Vasconcelos adiantou que o objetivo maior é identificar talentos e procurar ajudá-los a vencerem os obstáculos, procurando atingir seus objetivos e a FJA estará disposta a ajudar a realizarem seus sonhos através de investimentos para a cultura potiguar. 

Eduardo Vasconcelos antecipou que irá juntos com outras instituições, mobilizar a galera para irem em caravana para NATAL dá força a nossa representante, JOYCE KARLA na final. Aguardem! Eduardo Vasconcelos concluiu dizendo que mais oportunidades virão, garantiu ele.

Após as apresentações dos 13 inscritos a mesa julgadora reuniu-se e divulgou os resultados: 1º Lugar: JOYCE KARLA; 2º Lugar: SILVADREISON DE FREITAS SILVA e 3º Lugar: ALDÊNAGO CÂMARA PEREIRA (GIL Góis), recendo troféus, medalhas e certificados e os demais receberam medalhas, juntamente com certificados.

Os agentes de cultura, juntamente com Fernando Luiz e a FJA agradeceram a todos que acreditaram e contribuíram para o sucesso do evento, como o Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN, Escolas Estaduais e Municipais, Sindicatos, Órgãos Públicos, aos jurados, Arthur, Teobanio e Matilde Soares, bem como as secretarias municipais, SEEC/RN, CODESP-SEEC/RN, CÂMARA MUNICIPAL DE NOVA CRUZ, SINTE/NOVA CRUZ, STRAF-NOVA CRUZ, Claudio Lima (cerimonial) e as empresas, REDE MAIS, BAR DA ESTAÇÃO, Rádios Agreste FM  (107)e Curimataú (103) ,BETO RAMOS SOM, TECLADISTA WANDERSON, INFORGRAF, REDE MAIS de NOVA CRUZ e a todos que de forma direta ou indireta contribuíram para o sucesso do evento.