Postagem em destaque

Atrofia cultural

O cartunista  Miguel Paiva  afirma que a cultura brasileira segue ameaçada. Ele diz: “um país como o Brasil não pode ser entregue a ini...

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Aprendizado dos alunos: Nova Cruz/RN



Com base nos resultados da Prova Brasil 2015, é possível calcular a proporção de alunos com aprendizado adequado à sua etapa escolar

Português, 5º ano

27%
É a proporção de alunos que aprenderam o adequado na competência de leitura e interpretação de textos até o 5º ano na rede pública de ensino.

Dos 474 alunos, 131 demonstraram o aprendizado adequado.

Português, 9º ano

19%
É a proporção de alunos que aprenderam o adequado na competência de leitura e interpretação de textos até o 9º ano na rede pública de ensino.

Dos 409 alunos, 78 demonstraram o aprendizado adequado.

Matemática, 5º ano

16%
É a proporção de alunos que aprenderam o adequado na competência de resolução de problemas até o 5º ano na rede pública de ensino.

Dos 474 alunos, 75 demonstraram o aprendizado adequado.

Matemática, 9º ano

11%
É a proporção de alunos que aprenderam o adequado na competência de resolução de problemas até o 9º ano na rede pública de ensino.
Dos 409 alunos, 45 demonstraram o aprendizado adequado.



Fonte: http://qedu.org.br

Confira o Ideb 2017 no QEdu

Ideb 2017 - Os dados já estão disponíveis no QEdu
Olá, CENTRO!


Lançados oficialmente pelo Inep ontem, segunda-feira 3, os resultados podem ser conferidos em detalhes na maior plataforma de dados educacionais do Brasil. No Portal QEdu, é possível acessar os dados detalhados de Aprendizado e Fluxo, como a média em Português e Matemática; o indicador de rendimento de cada ano em cada etapa escolar (anos iniciais, anos finais e ensino médio); a evolução histórica do Fluxo, para cada ano de cada etapa escolar; e a evolução histórica do Aprendizado em Português e Matemática.
Clique aqui para ver os dados do Ideb 2017!
Os números apontam uma ligeira melhora na qualidade da educação nos anos iniciais do Ensino Fundamental (do 1º ao 5º ano), atingindo a meta do governo. Já no que se refere aos últimos anos do Ensino Fundamental (do 6º ao 9º ano), apesar da melhora no indicador, os dados revelam que vários estados e municípios não conseguiram atingir as notas estipuladas pelo Ministério da Educação (MEC). No Ensino Médio, o resultado geral das escolas públicas se manteve o mesmo que 2015, não atingindo a meta.

Criado em 2007, o índice é usado como parâmetro para medir a qualidade da educação no Brasil e estabelecer políticas públicas na área. O cálculo leva em consideração o Fluxo (que representa a taxa de aprovação dos alunos) e o Aprendizado (a média padronizada na Prova Brasil, que avalia o aprendizado em Português e Matemática). Para a educação básica pública, a análise é feita por escola, município, estado e país. Na Academia QEdu, você pode conferir mais informações sobre o índice: academia.qedu.org.br.
Veja como utilizar os dados do Ideb para melhorar a educação!
#AEducaçãoQueEuVejo

Abraços,

Vitor do QEdu

RIO DE JANEIRO - Prédio do Museu Nacional não tinha seguro

Museu Nacional
Museu Nacional - 
Rio - O prédio do Museu Nacional não possui seguro, de acordo com a vice-diretora, Cristiana Serejo. O incêndio destruiu 90% do acervo do local, entre as obras perdidas está a coleção egípcia. "Não existia aqui no museu e acredito que em nenhum outro museu exista uma brigada de incêndio. Este é um 'custo a mais'. Nenhuma peça era assegurada que eu saiba", afirma. 
De acordo com a vice-diretora, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), responsável pelo museu, gasta R$ 8 milhões só com terceirizados no local. "Infelizmente, a gente sabe a importância de uma brigada de incêndio, mas é muito caro manter lá", comenta. 
Cristina Serejo diz que o Museu Nacional está recebendo várias ofertas de doações, inclusive de instituições estrangeiras. "Vamos começar a fazer uma campanha para receber e reerguer o Museu com as coleções. Temos muitos contatos internacionais e a ideia é receber esse material. Este é o momento de clamor público e estamos nos organizando internamente", afirma. 
"Foram ofertados acervos de insetos. Recebi hoje o contato de um fóssil de baleia que será doado, que inclusive era material do Museu. Estamos em contato com várias áreas, como de etimologia", declara. "Muitas coisas que estão em outros países são materiais do século XIX como: material de invertebrados, peixes — que foram emprestados aos pesquisadores do século 19 que vieram aqui, coletaram o material e levaram naquela época", completa.
Acervo recuperado
Segundo a vice-diretora, os materiais, que estão sendo encontrados, são recebidos e catalogados. "Estamos recebendo parceria para saber como vai ser esse tipo de acondicionamento dos materiais encontrados. Não é algo que pode ser de uma hora para outra ou de qualquer jeito", conta a vice-diretora. Uma empresa especializada será contratada para fazer a retirada dos escombros.
Segundo Serejo, a coleção egípcia foi totalmente perdida, mas foram salvos vertebrados, invertebrados, herbários (exsicatas, mas de 500 mil plantas), o acervo de 500 mil livros da biblioteca central — que fica no prédio anexo, alguns meteoritos, além de itens do Departamento de Paleontologia e Antropologia ainda não contabilizados. Entretanto, a Biblioteca Francisca Keller, de Antropologia Social, que ficava no prédio incendiado foi totalmente destruída, salvando somente o que estava emprestado. Ela não soube dizer quantos exemplares tinham neste espaço.
"Ainda é muito cedo pra dizer qual é a porcentagem do que sobrou, mas pode ser de 10 a 15%. Tivemos uma perda muito grande e agora nós vamos avaliar o que restou. Está sendo feito um levantamento com os especialistas nos escombros para salvar o maior número de coisas", disse a vice-diretora.
A população que encontrar objeto ou fragmento do Museu Nacional deve levar até a biblioteca, que fica em um prédio anexo na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio.
LEIA MAIS

A CASA DO ESTUDANTE É DA ESTUDANTADA POTIGUAR! NINGUÉM MEXE!

Fotos: Google: Foto 1 - CERN ANTES, Foto 2 - CERN HOJE

Tomamos conhecimento de alguns estudantes, que resistem e luta pela CERN (Casa do Estudante do Estado do Rio Grande do Norte), que  tem alguns órgãos do estado que vai "avaliar um modelo de uso e gestão da "CASA"  para que  ela possa ser preservada - na sua beleza arquitetônica, na sua história e na sua importância social e educacional" - Vagner Araújo (SETHAS/RN) - Fonte: (Atual presidente da CERN, TALES).

Nossa opinião: Desde já, somos totalmente contra o fechamento da CASA DO ESTUDANTE DO RN! O que o governo tem que fazer é apoiar e defender a instituição CERN, que pertence legitimamente aos ESTUDANTES POTIGUARES, já basta as décadas de sofrimentos e humilhações que centenas estudantes passaram por causa de políticas de governantes que nunca os olharam com bons olhos, esquecendo-os de que muitos que ali passaram se destacaram nas lutas sociais, chegando muitos deste a cargos importantes e que souberem respeitar e preservar suas raízes, ajudando a instituição, CERN! Sem falar de Emanuel Bezerra!

Queremos que o MP/RN assuma o papel de defesa dos interesses de quem realmente tem direito e precisa, OS ESTUDANTES! Sabemos da importância do MP neste papel! Não podemos deixar que isso ocorro, como tenta fazer com o Teatro Sandoval Wanderley - Alecrim - Natal, que está sendo "ameaçado" de demolição para construir um SHOPP!

A Casa do Estudante do RN, precisa sim! Da união da classe política e dos órgãos como: SETHAS, SEC/RN, entre outros para que possam fazer da CERN um ambiente saudável, com bibliotecas, quartos dignos, banheiros dignos, entre outras coisas mais. E abrindo as portas para alojar os nossos jovens estudantes que sonham em estudar e se formarem em Natal.  E não fazer o mesmo que outros governos fizeram com a casa, literalmente abandonando-a!

Precisamos (CERN, CPC/RN, UEE/RN. DCEs entre outras marcarmos uma audiência com o MP/RN para buscarmos uma solução mais democrática, procurando preservar a história da casa e é só assim que o sonho se tornará realidade, ou seja: nossos jovens terem uma oportunidade de ter um lugar história, de luta e hospitaleiro para alojar nossos estudantes, que sua maioria são carente e não tem condições de alugar um local na capital para poderem estudarem.

Vamos a luta! O governo faça a sua parte, que os estudantes farão a sua! Nem um direito a menos!

HOJE (22) PROMOVE SEMINÁRIO "SINDICALISMO E A IMPORTÂNCIA DA CULTURA NA ESCOLA PAULO FREIRE - BAIA FORMOSA/RN

SEMINÁRIO "SINDICALISMO E A IMPORTÂNCIA DA CULTURA"
Cartaz do CPC/RN

O evento iniciará conforme programação abaixo:
As inscrições já estão abertas, sem taxa, com direito a um almoço e certificado! Serão aproximadamente 60 inscrições.
Contato: centropotiguardecultura@gmail.com

RIO DE JANEIRO Risco de desabamento interrompe trabalhos no Museu Nacional

Uma das estátuas de deusas que ficam no topo do Museu Nacional caiu nesta madrugada (imagem em destaque)
Uma das estátuas de deusas que ficam no topo do Museu Nacional caiu nesta madrugada (imagem em destaque) - 
Rio - As 22 estátuas de deusas que estão no topo do Museu Nacional, destruído por um incêndio, correm o risco de cair a qualquer momento. Uma delas, que representam o espaço das musas, já caiu durante a madrugada e, com isso, os trabalhos de rescaldo feito pelo Corpo de Bombeiros, seguido da busca de funcionários do museu para achar itens que não foram perdidos, foi interrompido, já que estruturas da parte interna também podem ruir. Às 9h35, uma laje da parte interna do prédio desabou. A Polícia Federal (PF) isolou todo o perímetro e ninguém mais passa para a área do palácio.
"Ninguém mais pode entrar, há também um risco de desabamento interno, das lajes e divisórias, pessoas podem ser atingidas por essas estruturas. Bombeiros deixaram o local. Temos que analisar e, depois de um pós-risco, os funcionários do museu poderão entrar para fazer a retirada dos escombros. Não existe previsão para que funcionários possam entrar para fazer esse recolhimento, pois precisamos fazer o isolamento", disse Luis Andre Moreira, coordenador técnico da Defesa Civil do município do Rio.
Além das estátuas, gradis, sancas e ferros — que estão do lado de fora — podem desabafar, por isso o motivo da interdição. Para os funcionários do museu entrar também será necessária a contratação de uma empresa credenciada pelo Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea-RJ) retirar os escombros.
Os focos de fogo ainda resistem em meio aos escombros e os bombeiros, que também estão impedidos de acessar ao local, apagam de longe os pequenos incêndios.
Exército reforça segurança
Militares das Forças Armadas reforçam a segurança no entorno do Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, na manhã desta terça-feira. O objetivo é evitar saques de peças preciosas que possam ainda estar perdidas nos escombros da instituição. A decisão é do Comando Militar do Leste, por solicitação da Secretaria de Segurança.
O número do efetivo não foi divulgado, mas são equipes de cinco a nove homens que, além dos armamentos convencionais, usam armas não letais e dispositivos para efetuar imobilizações e prisões. O Exército se junta a agentes da Guarda Municipal e à Polícia Militar, que estão no local desde ontem. 
Fonte: odia.ig.com.br/