Postagem em destaque

A hora e a vez de lutar pelo Fundeb

Prestes a vencer, programa imprescindível para educação básica no país precisa ser reeditado com melhorias Programa fundamental para ed...

terça-feira, 10 de abril de 2018

Estudantes pressionam o MEC em defesa da UnB e da educação pública



Universidade criada por Darcy Ribeiro é a mais nova ameaçada de parar o funcionamento devido as cortes feitos pelo governo
Nesta terça-feira, 10 de Abril, estudantes de uma das mais importantes universidades do país, a Universidade de Brasília (UnB) realizam um ato de protesto contra a politica de austeridade fiscal na educação em frente ao Ministério da Educação, na capital federal. A concentração será as 10h em frente ao Museu Nacional. Alguns cursos da universidade devem inclusive paralisar as aulas.
A UnB enfrenta uma grave crise, devido às restrições orçamentárias impostas pelo Ministério da Educação, o que coloca em risco o funcionamento da instituição.
“ Vamos fazer piquetes em frente dos departamentos para chamar os estudantes e haverão ônibus saindo da UnB para a concentração do ato no Museu Nacional. De lá vamos marchar até o MEC e vamos entregar uma carta construída com a UNE, SINTFUB, Fasubra e Andes, entidades que se somam ao ato”, explicou a estudante de museologia, Amanda Costa, representante do DCE UnB Honestino Guimarães – Gestão Todas as Vozes.
De acordo com a estudante, alunos e comunidade acadêmica estão começando a sentir o reflexo dos cortes principalmente depois da aprovação da Emenda Constitucional 95.
De 2016 para 2017 a UnB teve um corte de mais ou menos 47% no orçamento, foram 80 milhões. Além disso 50% desses recursos serão geridos para o MEC. Ou seja, será metade da metade dos recursos de 2016”, ressaltou.
Além de todos os cortes a UnB também tem um limite de arrecadação, parte dos recursos que a universidade arrecada anualmente acaba voltando para a União. Com os cortes a devolução dessa arrecadação para a União tem sido sofrida.
Amanda relata ainda as tentativas de contingenciamento por parte da reitoria que tem prejudicado muito os estudantes como a tentativa de aumentar o preço do RU de R$2,50 para R46,50; a revisão de contratos das empresas terceirizadas que resultou na demissão de servidores da limpeza e segurança – um problema constante na universidade; e na última semana a demissão mais de mil estagiários da instituição.
Para falar desses problemas os estudantes realizaram uma assembleia geral no último dia 29 de Março na reitoria, para cobrar um posicionamento da direção da universidade e onde decidiram pressionar o MEC. Na reunião Denise Imbroisi, decana de Planejamento e Orçamento da UnB chegou a anunciar que com a crise financeira, se não houver contingenciamento a instituição poderá parar de funcionar no mês de agosto.

EXPERIÊNCIA EDUCADORA

A Universidade de Brasília foi inaugurada em 21 de abril de 1962, com a promessa de reinventar a educação superior. Na construção da universidade estão nomes como antropólogo Darcy Ribeiro, o educador Anísio Teixeira e o arquiteto Oscar Niemeyer que transformou as ideias em prédios. Durante três anos consecutivos, a instituição obteve nota máxima no Índice Geral de Cursos do MEC e é destaque na área de pesquisa, sendo reconhecida internacionalmente por cursos como o de relações internacionais.
Fonte: UNE

Todos Iguais, Todos Diferentes



Existe preconceito de todas as cores e de todos os tipos, que chega uma hora que tu te pergunta: Até quando?


Porque a diferença existe e porque a discriminação é real é preciso mudar mentalidades. Quando olhamos para o "Outro" há sempre uma apreciação que nos é instintiva. Muitas das vezes não sabemos como olhar, porque somos capazes de o julgar de uma forma subjetiva. Neste julgamento que fazemos, colocamos à frente de tudo as aparências, as crenças, as orientações e deixamos de lado o valor real que Ele tem.

Nem todos temos a côr da pele igual, nem as mesmas crenças, os mesmos gostos, ou a mesma altura, todas as pessoas exteriormente falando são diferentes umas das outras. Mas no interior, bem lá dentro somos todos iguais. Precisamos de carinho, de atenção, de afetos, todos precisamos de felicidade para sermos alguém melhor e mais forte.

Precisamos de saber viver com as nossas diferenças e fazer a diferença, respeitar as dos outros.
Um afro abraço.
Claudia Vitalino.

Fonte: www.inclusive.org.br/arquivos/

Dia Mundial do Livro nas Fábricas de Cultura


Dia Mundial do Livro é comemorado em 23 de abril desde 1995. Originalmente a data surgiu na Catalunha, região da Espanha, mas só com a morte do escritor inglês William Shakespeare a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) oficializou a comemoração. As Fábricas de Cultura das zonas norte e sul, organizaram uma série de atividades gratuitas para celebrar a data.
A programação terá início no dia 12 de abril, quinta-feira, às 15h00, com a Oficina de Reparos na Fábrica de Cultura Jardim São Luís. A proposta é conscientizar, de maneira lúdica, os participantes a conhecerem de forma teórica e prática as condições, os cuidados e os reparos com os materiais disponíveis nas bibliotecas. A atividade é livre e serão oferecidas 20 vagas.
Fábio Lisboa conta a história de seu livro O mistério amarelo da noite, na Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, também no dia 12 de abril às 15h00. A obra narra a aventura de um menino que está voltando sozinho para casa e, de repente, a iluminação desaparece. Correria e perseguição o levam até o Beco Escuro, onde o autor instigará seus ouvintes a usarem a imaginação e vencerem seus medos. Serão oferecidas 50 vagas para crianças de 6 a 11 anos. Essa contação de história acontecerá em todas as Fábricas em datas diversas.


Na Fábrica de Cultura Brasilândia, a equipe da biblioteca realizará a intervenção Dia do Livro, utilizando a literatura como ferramenta. No dia 18 de abril, quarta-feira, a partir das 13h, histórias serão contadas e poemas serão declamados por quem quiser participar. A atividade será livre e serão oferecidas 20 vagas.
Ainda na zona norte, a Fábrica de Cultura Jaçanã convida as crianças de 8 a 10 anos para construírem seus próprios diários no dia 19 de abril, quinta-feira, às 15h00. Na oficina Construa este Diário, a equipe da biblioteca apresentará para a criançada uma série de “Diários” do acervo – como Diário de um Banana, Diário de uma Garota Nada Popular e Diário de um Zumbi do Minecraft –, para que eles montem seus diários pessoais, com histórias livres e criativas.
E fechando as comemorações, a Fábrica de Cultura Capão Redondo realizará a atividade Escrita Viva, no dia 26 de abril, quinta-feira, às 15h00. O jogo consiste em usar vários espaços da Fábrica para brincar, utilizando a leitura e a escrita como recursos; a ideia é construir o mundo em palavras e as palavras em mundo. A atividade será livre e serão oferecidas 15 vagas.
Fonte: Brasil CULTURA