Postagem em destaque

GRUPO DE CAPOEIRA CORDÃO DE OURO-NOVA CRUZ/RN REALIZOU O BATIZADO E TROCA DE CORDA FECHANDO COM CHAVE DE OURO! CONFIRAM!!!

FINAL - FOTO HISTÓRICA  - GRUPO DE CAPOEIRA CORDÃO DE OURO MOMENTO DO "ESQUENTE"  MOMENTOS DECISIVOS - MUITA CONCENTRAÇ...

domingo, 28 de julho de 2019

10 fotos do Natal Shopping há uns anos atrás pra você relembrar por Henrique Araujo

Imagem do Google (Curiozzzo)
O Natal Shopping Center foi inaugurado em 4 de Junho de 1992 (tem vídeo da inauguração no fim do post), e foi um dos primeiros shoppings da capital potiguar. O investimento nele foi de 32 milhões de dólares.
E aqui estão registros raros do passado pra você relembrar deste que foi ponto de encontro oficial de toda uma geração, principalmente nos anos 90.

Quem não lembra desse cinema?

Ou do Mc Donald’s desta forma?

Você já tomou um sorvete aqui?

Ou já jantou uma comidinha chinesa aqui?

Ou quem sabe já se arriscou a comer um sushizinho aqui?

Você com certeza já percorreu este corredor

Indo até aqui…

E quando você olhava lá pra baixo via isso aqui

Ou isso aqui

E pra fechar, lembra daquela lan house?

Pois é, melhor que isso só vendo esse vídeo inédito da inauguração né?

Ex-presidentes da UBES comparam a luta quando eram secundas e hoje

Resultado de imagem para imagens Ex-presidentes da UBES comparam a luta quando eram secundas e hoje
A UBES faz 71 anos, mas o espírito de luta e esperança não envelhece

Muita coisa mudou ao longo dos 71 anos de existência da UBES, que se completam nesta quinta (25/7), mas a defesa de um Brasil soberano e justo sempre esteve presente ao longo destas décadas. É o que mostra as respostas abaixo de três antigas lideranças da entidade em diferentes momentos.

Convidamos Juca Ferreira, Manoel Rangel e Manuela Braga para mostrar o que mudou – ou não – nas suas lutas e suas crenças sobre educação, comparando quando eram secundaristas e agora. 

As frases dos ex-presidentes evidenciam que o movimento secundarista é apenas o primeiro passo para a participação cidadã e democrática – um papel que nunca mais se deixa para trás.

JUCA FERREIRA, 1968

O sociólogo baiano passou pela UBES em um dos anos mais intensos e conturbados da história recente, 1968: teve a morte do estudante Edson Luís, o acirramento da luta estudantil contra a Ditadura Militar e o Ato Institucional número 5 (AI-5). Pouco depois, a UBES seria desmantelada e Juca iria para o exílio por nove anos.

Atualmente secretário da Cultura de Belo Horizonte, ele já foi por duas vezes ministro da Cultura.
Resultado de imagem para imagens Ex-presidentes da UBES comparam a luta quando eram secundas e hoje
À esquerda, Juca Ferreira em Estocolmo durante exílio de 9 anos
Resultado de imagem para imagens Ex-presidentes da UBES comparam a luta quando eram secundas e hoje
Quando eu era secundarista, eu lutava por liberdade, contra a ditadura, pela democratização da educação, contra o acordo MEC-USAID*.

Hoje, eu luto por liberdade, democracia, sustentabilidade e, principalmente, por justiça social.

Quando eu era secundarista, o grande problema da educação era inacessibilidade, baixa qualidade imposta pela Ditadura.

Hoje, o grande problema da educação é qualidade. A Educação tem que ser libertadora.

Quando eu era secundarista, a arte que mais me tocava era música, artes visuais, cinema.

Hoje, a arte que mais me toca é música, artes visuais, cinema.
Resultado de imagem para imagens Ex-presidentes da UBES comparam a luta quando eram secundas e hoje

O ex-ministro da Cultura e ex-presidente da UBES durante a Bienal dos Estudantes, em Salvador
MANOEL RANGEL, 1988
O cineasta brasiliense esteve à frente da UBES na transição para a democracia, no ano em que a atual Constituição Brasileira foi promulgada, 1988. Fazia apenas quatro anos que a entidade funcionava na legalidade.

De 2006 a 2017 Manoel Rangel dirigiu a Agência Nacional de Cinema (Ancine), importante para o desenvolvimento do cinema nacional e atualmente ameaçada. 

Ex-presidente da Ancine e da UBES durante Bienal dos Estudantes, em Salvador
Quando eu era secundarista, eu lutava por democracia, por meia passagem, contra aumento de mensalidade e em defesa da escola pública.

Hoje, eu luto por democracia, pela continuidade de políticas públicas de cultura, pela diversidade, em defesa da soberania brasileira e dos direitos dos trabalhadores.

Quando eu era secundarista, o grande problema da educação eram currículos e ensino descolados da vida cotidiana real, baixos salários dos professores.

Hoje, o grande problema da educação é não ter superado os problemas de 30 anos atrás e agora ter que enfrentar o autoritarismo e obscurantismo das autoridades federais.

Quando eu era secundarista, a arte que mais me tocava era o cinema e a música.

Hoje, a arte que mais me toca é o cinema, a música e a literatura.
Resultado de imagem para imagens Ex-presidentes da UBES comparam a luta quando eram secundas e hoje
MANUELA BRAGA, 2011
Quando dirigia a UBES, a pernambucana participou da intensa luta pelo aumento do investimento na Educação. Lutava-se para que o país fosse obrigado a investir 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em Educação e que 50% do recente Fundo Social do Pré-Sal também fosse destinado para a área. Hoje, Manu se forma em arquitetura.
Resultado de imagem para imagens Ex-presidentes da UBES comparam a luta quando eram secundas e hoje
Manu tomou posse como presidenta da UBES em 2011
Quando eu era secundarista, eu lutava por Plano Nacional de Educação, 10% do PIB para Educação e royalties do pré-sal investidos em educação.

Hoje, eu luto por defesa da educação e dos direitos conquistados, contra cortes de investimentos em áreas sociais e pela democracia.

Quando eu era secundarista, o grande problema da educação era e é um problema estrutural! A Educação precisa estar a serviço do povo, do desenvolvimento e da emancipação. Não é o que acontece.

Hoje, o grande problema da educação, além da questão estrutural, é a falta de liberdade de ensino, os cortes de investimentos atuais e os ataques a alunos e professores pelo governo.

Quando eu era secundarista, a arte que mais me tocava era música.

Hoje, a arte que mais me toca é ainda a música, que pode ser ao mesmo tempo luta, arte e resistência.

Manuela Braga em São Paulo

Fonte: UBES

CONFIRAM A PROGRAMAÇÃO ALUSIVA AOS 16 ANOS DA CASA DE CULTURA DE NOVA CRUZ/RN!!!

No dia 16 de julho de 2003 a Governadora na época, Vilma de Faria ao lado do prefeito na época, Cid Arruda Câmara e François Silvestre, presidente da Fundação José Augusto - FJA, presidente em 2003, inaugurava a 1ª Casa de Cultura do Estado do Rio Grande do Norte e a cidade contemplada foi Nova Cruz/RN!, Denominada de Casa de Cultura "Lauro Arruda Câmara" I'memória ao ex prefeito.

A atual gestão da Casa em parceria com a Prefeitura Municipal de Nova Cruz, Governo do Estado, FJA, SEEC/RN, entre outras instituições promoverá nos dias 8 e 9 de agosto sua AGENDA CULTURAL alusiva aos 16 anos da casa, conforme programação acima.

Para Eduardo Vasconcelos um dos Agentes de Cultura este será um momento importante, pois a casa voltará aos "Trilhos da Cultura", com uma vasta programação até dezembro de 2019.  Agenda já estar pronta e o mês de agosto iniciaremos com CHAVE DE OURO! Disse, Eduardo.

Desde já, os agentes de cultura, Eduardo e Teobanio Tavares CONVIDAM todos os amantes da cultura e da sociedade em geral a se fazerem presentes a este momento tão significativo para a cultura local e porque não dizer significativo também para a região e para o estado do RN.