Postagem em destaque

A hora e a vez de lutar pelo Fundeb

Prestes a vencer, programa imprescindível para educação básica no país precisa ser reeditado com melhorias Programa fundamental para ed...

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Após 8 anos desativada, APES volta a ter voz

Associação Potiguar dos Estudantes Secundaristas elegeu nova diretoria nos dias 27 e 28 de julho.

Nova diretoria da Associação Potiguar dos Estudantes Secundaristas (APES) foi eleita, por unanimidade, em congresso realizado em Natal (RN), nos dias 27 e 28 de julho, com a participação de 400 estudantes de diversas regiões do Estado.  Lauanda Pedrita, 18, estudante da Escola Estadual Anízio Teixeira, na capital, assume a presidência da entidade pelos próximos 2 anos.
Entre as principais bandeiras da Apes estarão, a defesa do financiamento público das escolas, derrubada da Lei da Mordaça, uma nova reforma do ensino médio e a defesa do ensino técnico integral e a discussão do Plano Nacional de Educação.
“Precisamos conduzir a Associação Potiguar dos Estudantes Secundaristas tendo em mente uma construção coletiva e unitária, com menos preconceito e mais respeito, com mais merenda e menos ‘biscoito com suco’, com mais professores e menos opressões. Destaco ainda a necessidade lutarmos por um novo debate Sobre a Reforma do Ensino Médio, porém agora com a ajuda e colaboração dos estudantes e profissionais da educação. Teremos inúmero desafios, mas acredito na ousadia e coragem do secunda potiguar”, afirmou Lauanda.
Lauanda tem 18 anos e foi eleita presidenta da APES durante o 15º CONAPES. (Foto: Rodrigo Lima | Viral – Mídia e ID Digital)

O congresso, que teve 200 delegados, contou com representação de toda a Região Metropolitana e cidades como Mossoró, Currais Novos, São Miguel do Gostoso, Rio do Fogo, Carnaubais e Caicó. Agora, a entidade estudantil mais antiga do Brasil, fundada em 1928, terá em sua diretoria representantes de todas as forças da juventude potiguar: União da Juventude Socialista, Paratados, Kizomba, Fora de Ordem, Levante Popular da Juventude, e Juventude e Articulação de Esquerda.
O 15° Congresso da Apes foi realizado, no Centro Estadual de Educação Profissional Professora Lourdinha Guerra, em Nova Parnamirim, e contou ainda com diversos debates sobre a estrutura das escolas, pautas identitárias e transporte público.
Fonte: UBES

UNE lança campanha Bolsonaro Não! ontem quarta-feira (1)

Para entidade soluções à crise que vivemos passam pelo aprofundamento da democracia e não pelo retorno de ditaduras e do conservadorismo
Para os estudantes brasileiros as eleições de 2018 serão uma batalha decisiva para eleger um projeto de nação que tenha diálogo com o povo e esteja aliado com uma educação emancipadora e laica.
Preocupados com o crescimento de ideias radicais e conservadoras que frente a crise tem ganhado expressiva parte da população, em especial a juventude – como projeto Escola Sem Partido, ou o rechaço a políticas de igualdade de gênero, raça ou orientação sexual nas escolas e universidades- a UNE está lançando uma campanha contra o candidato a presidência da República Jair Bolsonaro, do PSL.
“A UNE por todo o seu histórico de luta não pode tolerar um candidato que exalta regimes autoritários e torturadores, que compactua com pedidos de intervenção militar, e ridiculariza os direitos humanos. Estamos dando o primeiro toque nessa bola, que deve ser tocada pela rede do movimento estudantil como DCEs, UEEs, Executivas de curso, e se alastrar para outras organizações da sociedade civil”, destacou a presidenta da UNE, Marianna Dias.
A campanha Bolsonaro Não será divulgada no site e nas redes da UNE e deve ainda promover alguns eventos em conjunto com entidades dos movimentos sociais.
A UNE quer dessa forma contribuir com ferramentas que organizem a sociedade e aglutinem as forças progressistas para enfrentar a ameaça de retrocesso ainda maior que representa o candidato do PSL.

POR QUE “BOLSONARO NÃO”?

Para a entidade que representa mais de 8 milhões de estudantes, dizer não ao Bolsonaro é ressaltar que as soluções à crise que vivemos passam pelo aprofundamento da democracia e não pelo retorno de ditaduras.
“É dizer que não aceitamos que mulheres recebam menos que homens pela mesma função. É dizer que não pode ser normal deputados que, com o discurso da moral e anticorrupção, se beneficiem por mais de 30 anos de mandatos sem qualquer produção legislativa relevante. É dizer que a diversidade brasileira é força constituinte de nosso povo e não pode sofrer ataques. É dizer que mulher alguma merece ser estuprada. É dizer não a um projeto que enfrenta a violência com mais violência”, destaca o documento aprovado por estudantes de todo o Brasil no 66º Coneg da UNE.
A UNE argumenta ainda que apesar de se dizer patriota, na verdade Bolsonaro recorre a velhas práticas entreguistas que colocam o Brasil na dependência das grandes potências mundiais.
“Sabemos que as pessoas estão descrentes na política, mas queremos conscientizar principalmente os jovens, que não existem saídas rápidas ou ‘salvadores da pátria’ para a recessão que estamos passando ou mesmo para a corrupção que assola esse país. É preciso cobrar transparência do governo, ter vigilância da sociedade e investimento em educação”, explicou Marianna.
De acordo com o TSE, o Brasil tem quase 23 milhões de eleitores de 16 a 24 anos que podem fazer diferença no resultado do pleito eleitoral do próximo 7 de Outubro.
“A juventude é uma das parcelas da população mais vulnerável e que mais tem sofrido com a violência nesse país, por exemplo. Queremos mostrar que a intervenção militar ou o armamento da população, práticas defendidas por Bolsonaro, não vão colocar o Brasil nos eixos ou manter as pessoas a salvo, muito pelo contrário”, disse ainda a presidenta da UNE.
Fonte: UNE
Adaptação: CPC/RN

ELEIÇÕES 2018 - UNE não vai apoiar nenhum candidato no 1º turno e lança campanha Bolsonaro Não!

Maior encontro de DCEs do Brasil aprovou também atos em defesa da educação de 6 a 15 de Agosto
Reunidos neste último fim de semana (21 e 22) em São Paulo estudantes de DCEs de todo o país votaram na plenária final do 66º Coneg da UNE que não apoiam nenhum candidato no primeiro turno. A decisão respeita a pluralidade das candidaturas das diversas forças políticas que compõe a entidade. “Não cabe à UNE apoiar qualquer candidato presidencial no primeiro turno, mas cabe à UNE a elaboração de um programa dos estudantes universitários que aponte a defesa de um Brasil mais justo e de uma universidade de qualidade a ser apresentado aos pré-candidatos”, diz parte da Resolução de Conjuntura aprovada por mais 150 entidades entre DCEs, UEEs e federações de cursos.
O programa dos estudantes universitários é a Plataforma eleitoral da UNE, que reúne o acúmulo das discussões deste encontro realizado e será lançada em breve. O objetivo é fazer com que os candidatos a presidência da República se comprometam com as reivindicações, em sua maioria, por melhorias e investimento na educação.
“ As eleições serão nossa oportunidade de virada deste período triste de retrocessos e desesperança que os estudantes brasileiros tem enfrentado. Colocamos no papel os nossos sonhos de uma educação que represente o futuro que queremos para a universidade e para o Brasil”, destacou a presidenta da UNE, Marianna Dias.

BOLSONARO NÃO

Embora não apoie nenhum candidato, os estudantes brasileiros organizados rechaçam a possibilidade de ter Jair Bolsonaro (PSL) na presidência.
Para a UNE sua posição clara contra o candidato do PSL reafirma reafirma sua posição em defesa da democracia e contra as saídas autoritárias à crise política brasileira.
“Dizer não a Bolsonaro é ressaltar que as soluções à crise que vivemos passam pelo aprofundamento da democracia e não pelo retorno de ditaduras. É dizer que não aceitamos que mulheres recebam menos que homens pela mesma função. É dizer que não pode ser normal deputados que, com o discurso da moral e anticorrupção, se beneficiem por mais de 30 anos de mandatos sem qualquer produção legislativa relevante. É dizer que a diversidade brasileira é força constituinte de nosso povo e não pode sofrer ataques”, diz documento aprovado.
A campanha BOLSONARO NÃO deve ser uma iniciativa da rede de DCEs, UEEs, Executivas de curso, mas a ideia é que ela contagie outras organizações da sociedade civil.

SEMANA DE DEFESA DA EDUCAÇÃO E DEMOCRACIA

O 66º Coneg da UNE aprovou ainda atos para o Dia do Estudante, a “Semana em Defesa da Educação e Democracia” que ocorrerá de 6 a 15 de Agosto.
Durante o período os estudantes vão organizar ações nas universidades em defesa da educação pública e gratuita, contra a cobrança de mensalidades, em defesa de mais orçamento para educação pública, contra a mercantilização do ensino superior privado e contra as mudanças que prejudicam os estudantes do FIES e do PROUNI.
Essas atividades passarão também pelo “Dia do Basta” convocado pelas centrais sindicais para 10 de Agosto com paralisações em todo o Brasil e culminarão em Brasília nos dias 14 e 15 de agosto, com participação na marcha para a garantia do direito ao registro da candidatura de Lula. A UNE realizará em conjunto a marcha para a capital federal um encontro estudantil em defesa da educação e da democracia.
Fonte: UNE

LANÇAMENTO: LULA NA LAVA JATO

O jornalista e escritor José Augusto Ribeiro autor, entre outros, da trilogia “A Era Vargas” – base de um documentário -, “Tancredo Neves: A Noite do Destino” e “Jânio Quadros – O Romance da Renúncia”, lança seu livro “Lula na Lava Jato e Outras Histórias Ainda Mal Contadas” dia 08 de agosto em Curitiba.
José Augusto Ribeiro tem grande experiência em redações das mais variadas: O Cruzeiro, Folha de S. Paulo, Manchete, Jornal do Brasil, Última Hora, TV Globo, Band. Dos anos 1990 para cá, dedica-se a escrever livros.

Começou a trabalhar no seu oficio em 1956 quando tinha 18 anos de idade. Nesse mesmo ano entrou na Faculdade de Direito na Universidade do Paraná, em Curitiba, onde morava, formando-se em 1960.
Como jornalista, foi editor político do jornal O Estado do Paraná, onde se empenhou na elaboração de editoriais defendendo a campanha da legalidade em 1961, pela posse do presidente João Goulart, após a renúncia de Jânio Quadros.
Em 1963 foi trabalhar no Rio de Janeiro como assessor do novo ministro do trabalho de Jango, o senador Amaury Silva, onde se engajou por completo.
A partir de 1995 passou a trabalhar na elaboração de livros. Já havia publicado na década anterior “De Tiradentes à Tancredo Neves – Uma História das Constituições Brasileiras” voltado para os trabalhos da Assembleia Nacional Constituinte eleita em 1986. Em 2001 publicou “A Era Vargas”, em 3 volumes. Em 2008 lançou “Jânio Quadros – O Romance da Renúncia” e em 2015 “Tancredo Neves: A Noite do Destino”.
“Lula na Lava Jato e Outras Histórias Ainda Mal Contadas”
O fio da história se arma em teias. Muita vez menos diz o texto que o contexto. José Augusto Ribeiro vale-se de sua agudeza, experiência e memória raras para narrar, inclusive com revelações surpreendentes, a Lava Jato e o golpe por meio dos principais acontecimentos que antecedem e concorrem com a operação. As conexões entre eles e a Lava Jato ficam gentilmente atribuídas à inteligência, sensibilidade e singularidade do leitor.
SERVIÇO:
“Lula na Lava Jato e Outras Histórias Ainda Mal Contadas”
Dia: 08 de agosto – quarta feira
Horário: 19:00
Restaurante Swiss Terra Batata
Rua: Ubaldino do Amaral, 1191
Alto da Gloria – Curitiba